Header Ads

10 Livros apocalíticos para você ler [ou quem sabe melhor não] durante o isolamento social

Durante esta quarentena ou isolamento social, você em suas leituras está procurando por temas que façam um pouco esquecermos o problema? Ou está mesmo afim de enfiar o pé na jaca e ler histórias assustadoras de e sobre mundos apocalípticos? Se sua escolha for a segunda opção, selecionamos 10 grandes livros apocalípticos para ler, confira:

1 - Mundo apocalípticos, John Joseph Adams (Org.): Uma coletânea com contos de ficção científica em geral que tratam justamente de mundos dizimados por diferentes fatores. Nesta antologia, publicada ano passado, mas reunindo contos das últimas décadas, nomes renomados como George R. R. Martin, Stephen King, Gene Wolfe entre outros | Veja nossa avaliação |;

2 - Filhos do Fim do Mundo, de Fábio M. Barreto: Para quem deseja dar uma conferida em apocalipses pensados por autores nacionais, esta é uma pedida interessante, especialmente para quem curte apocalipses com um bocado de ação. Além da resenha/avaliação, tivemos a oportunidade de entrevistar o autor sobre o livro;

3 - Na companhia das estrelas, de Peter Heller: Esse romance é bastante interessante pela atmosfera de desolação em seu cenário. O evento apocalítico já ocorreu, e diferente de um romance com zumbis, por exemplo, é essa atmosfera desolada e as ações humanas que vão dando o clima do romance, cuja resenha/avaliação vocês podem ler aqui;

4 - Nova York 2140, de Kin Stanley Robinson: Leitura interessante sobre eventos apocalípticos. Nesta obra a preocupação é o clima e o avanço das águas por sobre as cidades, as grande metrópoles. Nele uma espécie de leitura dos apocalipses humanos que já ocorreram, se pensarmos em guerras e pandemias, cujo ensinamento é de que o mundo não acaba de todo, mas sofre muitas e sérias mudanças, de modo que no romance o apocalítico é usado ainda para tratar das desigualdades sociais |nossa avaliação|;

5 - Celular, de Stephen King: Vale dizer que nesta seleção estamos compartilhando leituras feitas aqui no blog, o que, claro, lhe responde porque A Dança da Morte não está aqui. Dito isso, King é um autor essencialmente apocalíptico, como nesse livro [resenha] cujo apocalipse é desencadeado por pulsos dos telefones celulares. King já observava como este aparelhinho dominaria nossas sociedades. Mas o que não falta na bibliografia de Stephen King são obras apocalípticas, como Nevoeiro, o Belas Adormecidas, escrito em parceria com o filho Owen King;   

6 - O Poder, de Naomi Alderman: Neste livro o apocalítico chega junto de uma revolução feminista, o que torna tudo muito misturado, pois a justiça no que acaba gerando o evento é um elemento a enfraquecer o tom apocalítico de tudo, ainda assim, um apocalipse de muita energia, de muito poder conforme vocês podem ver em nossa análise;

7 - Máquinas Mortais, de Philip Reeve: O steampunk é um gênero bastante interessante de obras apocalípticas, pois nelas, algo já aconteceu e nos colocou num mundo que fica ao cabo entre nosso futuro inventivo e nosso passado de engenhocas mecânicas, caso deste livro marcado pelo debate sobre darwinismo social que também diz dos nossos tempos;

8 - A máquina do tempo, de H. G. Wells: Clássico da ficção científica há um acerto muito grande de Wells quando em seu viajar temporal vai colocando a responsabilidade dos destinos do planeta com a própria humanidade, como veremos especialmente das regressões sociais imaginadas distopicamente pelo autor [resenha/avaliação];

9 - Não Verás País Nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão: Na literatura brasileira é provavelmente o cenário mais apocalíptico que temos, desertificação, podridão, corrupção, um cenário quase impossível de sobreviver;

10 - Memória da água, de Emmi Itäranta: A água, ou a escassez [ou em outros casos a abundância do alteamento dos mares] dela vinha sendo uma das abordagens mais trabalhadas na literatura apocalíptica recente, caso deste livro que é de uma sensibilidade bastante interessante no gênero;

Nenhum comentário