Header Ads

10 Livros otimistas para leitura em tempos difíceis

Estamos meio que como Independence Day, aquele puta esforço coletivo (mas é claro que tem os cagados e valentões fazendo merda) na luta pela salvação não individual, mas de nossa espécie. Por isso ficamos em casa, não por nós, mas por todos. E nesses tempos difíceis a leitura não um escape, mas uma oferta de perspectivas, pode ser muito importante, além, é claro de nos ajudar a enfrentar os dias. Por isso hoje selecionamos algumas leituras aqui do blog que tratam não de uma esperança cega, mas que trazem certo otimismo e fé na própria humanidade, a despeito de todas as nossas merdas. Confira 10 livros otimistas para leitura em tempos difíceis. E convido a vocês que ampliem essa lista:

1 - O mundo ainda é jovem, de Domenico de Masi: Neste livro o autor de Ócio criativo volta seu olhar ao futuro tentando fugir do catastrófico a partir de nossa própria e recente história, afinal, o mundo, ao menos a nós humanos é realmente muito jovem. O autor mostra como hoje temos ferramentas e conhecimentos a auxiliar nesta jornada;

2 - Perdido em Marte, de Andy Weir: É bastante curioso que ao fim, o romance que é basicamente a jornada solitária de um ser humano esquecido em Marte acaba se transformando numa declaração de fé na humanidade. É mais ou menos isso que ocorre quando o autor procura demonstrar a capacidade humana em unir-se em esforços coletivos;

3 - A hora dos ruminantes, de José J. Veiga: Com muitas alusões à ditadura militar e àqueles tempos difíceis o livro traz em grande parte a opressão e a ruptura do ordenamento da ordem normal das coisas que em determinado momento as pessoas ficam presas em suas casas com as ruas tomadas de bois. Em princípio uma catástrofe, o livro acabou sendo acusado de otimismo porque nos lembra ao cabo que todas as horas passam, inclusive as más;

4 - Viver bem é a melhor vingança, de Calvin Tomkins: Claro que é preciso fazer a lembrança que a condição burguesa do casal Gerald e Sara Murphy tem impactos na possibilidade de viver tal conceito de vida como resistência a tempos sombrios, no caso deles o fascismo e a guerra. Mas creio que é possível ampliar essa ideia, pois tentar seguir vivendo bem a despeito das adversidades que o mundo nos joga é fundamental, por isso há sorrisos onde às vezes nunca se espera;

5 - Os meninos que enganavam nazistas, de Joseph Joffo: Pense a superação de duas crianças judias terem de atravessar diferentes países fugindo de nazistas e da morte. Pense também que em seus caminhos algumas boas almas interviram e os livraram da câmara de gás. Pense que isso não é um filme, mas uma história real, o que é de fato, e aí temos mais bons exemplos que se temos "os monstros" da e na humanidade, temos também muita coisa a nos orgulhar e crer que podemos superar as adversidades, por mais trágicas que sejam;

6 - Utopia, de Thomas Morus: Talvez o Corona Vírus acabe nos demonstrando que precisamos construir novas utopias, como a que criou e estabeleceu o termo até hoje e que se guardarmos a perspectiva histórica e o que nos distancia de lá até aqui, fica a intenção nobre de projetar uma civilização melhor. Cabe a nós melhorar os pensamentos de Morus;

7 - Holy Cow, de David Duchovny: Talvez tenha sido um reptiliano qualquer que tenha se apossado do astro de Arquivo X e escrito esta bela fábula contemporânea que é um convite ao entendimento, mas mais do que isso, uma bem-humorada demonstração do quão insignificante pode ser as diferenças que motivam fortes intolerâncias. O livro é um convite ao tolerar, creio que o espírito de agora possa turbinar nossa leitura da fábula;

8 - O guia do mochileiro das galáxias, de Douglas Adams: Tá, se a questão aqui não é otimismo, bem, pelo menos há as risadas. Mas essa incrível e divertida história tem sim, apesar de sua força crítica, boa dose de otimismo em um universo todo a se desvendar. E não esqueçam, na quarentena tenha sempre sua toalha. Além disso, nessas horas a principal mensagem da obra deve ser evocada Não entre em Pânico! [Lógico que nem por isso seja negligente, fique em casa];

9 - A livraria mágica de Paris, de Nina George: Este livro procura demonstrar como os livros podem nos ajudar nos momentos mais tensos. Na verdade a livraria aqui é quase como uma farmácia que em vez de químicos nos receita leituras capazes de colaborar com aquilo que queremos enfrentar;

10 - O princípio da esperança, de Ernst Bloch: Já quem quiser pensar a esperança em termos mais profundos e filosóficos a pedida é o trabalho deste autor que escreveu-o em seu exílio nos EUA. 

Um comentário: