Header Ads

10 Considerações sobre Holy Cow, de David Duchovny ou porque vacas podem ser mais sábias que você

O Blog Listas Literárias leu Holy Cow, Uma Fábula Animal, de David Duchovny publicado pela editora Record; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o Livro:

1 - Divertido e inteligente Holy Cow é um destes livros capaz de te arrebatar desde a sua primeira página ( e aqui uma confissão: li-o num único dia) com uma trama hilária, personagens que ficarão e acima de tudo, uma trama adulta disfarçada de literatura infanto-juvenil capaz de agradar leitores de todas as idades, mesmo que utilizando seu humor para tratar de assuntos bem sérios;

2 - A despeito de uma aparente simplicidade, afinal, temos uma vaca que descobre "a verdade das coisas" em fuga com um porco judeu e um peru cheio de salamaleques viajando disfarçadas pelo mundo, o livro aborda uma série de temáticas complexas numa leitura de mundo onde o sarcasmo desta vaca narradora funciona como um dedo que mexe e remexe feridas que nos incomodam pela incoerência da sociedade humana;

3 - Na verdade, o humor sempre foi uma ferramenta eficiente para a crítica, e David Buchovny consegue fazer isto com maestria nesta fábula que para além da natureza humana, debate geopolítica, religião e comportamento através de uma visão que pode encontrar muito eco entre leitores de uma nova geração que tenta compreender o mundo que vive;

4 - E o grande acerto da obra é justamente conseguir propiciar reflexão e entretenimento de uma forma muito equilibrada e bem feita, numa narrativa, que já havia comentado, fisga o leitor pela fluência e prazer, como por seus temas, sendo uma destas leituras que não esqueceremos mais, e ainda, arrisco a dizer que a vaca Elsie, o porco Shalon e o peru Tom se tornarão tão conhecidos em nossa realidade quanto em sua ficção;

5 - Além disso, não podemos negar que David Duchovny além de feliz em sua obra, foi extremamente corajoso ao tocar em assuntos espinhos que certamente não o pouparão das críticas, visto que religião e política muitas vezes causam incompreensão, no entanto, assim como nos revela esta vaquinha, algumas coisas poderiam ser mais simples;

6 - Portanto, o leitor de Holy Cow terá nesta leitura algo muito inteligente, porém aliviado de um peso através de seu humor e por sua inverossimilhança, algo natural às fábulas. Enquanto Elsie nos despeja uma série de opiniões e críticas com sua voz narrativa, geralmente que nos provocam a pensar ela também narra uma série de situações e ações que nos conduz sempre em frente, sempre querendo mais;

7 - Com isso, o livro provoca uma espécie de catarse do humor sendo impossível você não rir, mas rir muito. Aliás, se você é destes que gosta de comparações, Holy Cow têm a pegada sarcástica e hilariante de O Guia do Mochileiro das Galáxias, mesmo sendo obras tão distintas uma da outra;

8 - Ah, sem falar que contribui muito para esta avaliação a composição de Elsie, uma vaca inacreditavelmente erudita, nerd e culta, além de brincar com a própria feitura da narrativa (O que demonstra toda argúcia e comprometimento do autor) como nas inserções de suas conversas com a editora, ou na citação de suas fontes e influências;

9 - Contudo, e isto é inerente ao caráter político da obra, no meu caso há discordância com o olhar final sobre a obra, especialmente a naturalização com que a visão de Elsie encerra sua jornada, pois este tipo de naturalismo, como o perdão do lobo que lhe ataca, acaba de algum forma tirando um pouco da carga das críticas que são feitas a nós, humanos, com nosso comportamento incongruente e estranho sob o ponto de vista de uma vaquinha mais sábia que muitos de nossos exemplares da espécie;

10 - Enfim, Holy Cow é uma leitura imperdível. Algo que une o prazer de ler e o compromisso político e social da literatura. Divertido, inteligente e fascinante, você não pode deixar de conhecer essa história.



Nenhum comentário