Header Ads

10 Grandes cornos da literatura

Dizem que esse negócio de chifre é coisa que colocam na cabeça, mas o fato é que cornos sempre rendem boas histórias e anedotas. No post de hoje selecionamos 10 célebres cornos da literatura, e olha que há corno de todo o tipo e para todos os gostos, confira:

1 - Richard Robinson: Rapaz esse não é corno, ele é mas é muito, mas muito corno. Tudo bem que minha leitura de No Jardim do Ogro está em andamento e que o romance trata das angústias de sua esposa Adèle em relação ao sexo. Acontece que isso não apaga o fato que Richard exibe em sua testa chifres de uma boiada inteira, sendo ele uma espécie de "corno diário" que não fica um dia sem ver brotar algo novo na testa;

2 - Dom Casmurro: Não, eu não estou querendo propor uma resolução ao enigma irrelevante. Tomando a frase popular de que "chifre é coisa que colocam na sua cabeça", a premissa é válida para o auto-sugestionamento. O fato é que Casmurro acredita ser corno, pensa de modo a corroborar suas suspeitas, e a partir disso amigo, sua queda na armadilha da dúvida já o atira na categoria do "corno por convicção";

3 -Conde Alexei Alexandrovich: Difícil decidir entre o "corno civilizado" ou o tradicional "corno manso", mas a forma burguesa e a aparente frieza com que lida com o adultério de Anna Kariênina é bastante emblemático, porque por trás da aparente passividade, há algo de opressão e aprisionamento que impedem a mulher viver plenamente o amor;

4 - Robert Baratheon: É o típico "corno pago com a mesma moeda" já que o Rei dos Sete Reinos colecionava bastardos por Westeros. O que não significa que se descobrisse a galhada que a leoa Cersei lhe presenteava fosse levar na esportiva. Aliás, a cornitude de Robert é relevante para "As Crônicas do Gelo e do Fogo", já que na proteção desse segredo algumas cabeças rolar e umas tantas sem embebedaram com veneno;

5 - Don Truby: Homens, Mulheres & Filho é uma amarga leitura do sexo e da sexualidade nos tempos contemporâneos. Sobre o prazer, o desejo e o corpo há uma tintura de fastio narrada pela perspectivas de diferentes personagens interligados lidando de diferentes formas com a questão. Don é o "corno tipo conectado", quando Rachel o trai por encontro marcado pelo Ashley Madison enquanto não pode sequer pensar em transar com o marido;

6 - Frank Randall: Esse acaba sendo o "corno DeLorean" porque o chifre acaba tendo de viajar no tempo, já que sua esposa Claire não consegue manter a fidelidade depois de ir parar no passado e encontrar um amante ardente;

7 - John: Nos shakespeariano-machadiano Enclausurado, John é o típico "corno marcado para morrer" numa trama articulada por Claude e Trudy sob o testemunho do narrador, um bebê ainda dentro da barriga da mãe;

8 - Nacib: Nosso "corno ora, pois" se envolve em uma trama quente com a jovem Gabriela, sim, a do cravo e canela. Entretanto a relação com o tempo descamba para o florescimento de uma galhada nos cornos do português;

9. Cícero Branco: Autoproclamado "corno póstumo" ou se preferirem "corno zumbi', o advogado de Incidente em Antares confessa sua natureza de corno, já estando morto e apontando a um dos garotos com que sua esposa lhe metia os chifres;

10. Victor: Já o narrador de Travessuras da minha menina má, depois e envolver-se com uma garota mais jovem, depois de sentir brotar a galhada passa a bancar o "corno stalker", um tipo, aliás, bastante contemporâneo, a seguir os passos da amada pelas redes sociais.


Nenhum comentário