Header Ads

10 Melhores romances brasileiros para o Prêmio Jabuti 2017

Um dos mais prestigiados prêmios literários no Brasil, o Jabuti, anunciou ontem os finalistas (lista completa) da edição de 2017. Neste post selecionamos os 10 melhores romances do ano que disputam o prêmio (ordem nossa é aleatória), confira:

1 - Como se estivéssemos em palimpsestos de putas, de Elvira Vigna: Uma obra em que linguagem e narrativa se coadunam numa literatura raramente vista sendo capaz de ressignificar com sua prosa lindamente escamoteada e sonora uma série de questões da natureza que tão somente uma escritora de enorme talento poderia proceder tal leitura do mundo... + Veja avaliação Blog

2 - Machado, de Silviano Santiago:Viúvo e solitário, Machado de Assis sofre fortes dores e crises nervosas enquanto testemunha a modernização da antiga cidade do Rio de Janeiro. Em Mário de Alencar, filho de José de Alencar, o presidente da Academia Brasileira de Letras encontrará um precioso interlocutor, que também sofre terríveis crises nervosas e o encaminhará ao dr. Miguel Couto... + na Cultura

3 - Outros Cantos, de Maria Valéria Rezende: Um romance inteligente e de um caráter impressionista que não desgruda de seus leitores deixando uma marca indelével de curiosidade e interesse sobra as distintas camadas que compõe sua narrativa. Uma obra ambiciosa que nos esconde uma boa parcela de segredos para permanecer vívida... + Veja avaliação

4 - Soy Loco Por Ti América, de Javier Contreras: Narra o entrelaçamento de quatro vidas distintas... + na Cultura

5 - Descobri Que Estava Morto, de J. P. Cuenca: Um trabalho bastante visceral cuja interpretação não se encerra neste post simplificado. É uma obra que mexe com seu leitor, provoca o estranhamento necessário para o literário, que guarda suas contradições e suas virtuosos... + avaliação completa

6 - O Tribunal de Quinta-Feira, de Michel Laub: O fio condutor da história, que une o destino dos personagens diante de um tribunal inusitado, são os reflexos tardios e ainda hoje incômodos da epidemia da aids, e o que está em jogo são os limites do que entendemos por tolerância - mas para chegarmos a eles é preciso ir além do que seria uma literatura "correta" ao tratar de homofobia, assédio, violência, empatia, liberdade e solidariedade... + na Cultura


7 - O Marechal de Costas, de José Luiz Passos: Nas páginas deste romance, passado e presente se intercalam de forma espantosa. Acompanhamos não só um Floriano Peixoto humano e o nascimento da República, como os acontecimentos turbulentos do presente, por meio de uma antiga cozinheira que segue, de perto, as manifestações de 2013 e seus desdobramentos políticos. Um livro poderoso sobre a construção de nossa nação... + na Cultura

8 - Simpatia Pelo Demônio, de Bernardo Carvalho: O funcionário de uma agência humanitária é designado para levar o resgate que libertará o jovem refém de um grupo extremista islâmico. Enquanto espera para travar contato com os terroristas, o personagem revê o mais tortuoso episódio de paixão de sua vida- seu caso com um estudante mexicano em Berlim. É no espaço entre a vivência do terrorismo contemporâneo e a aceitação do mundo sem regras criado por um relacionamento desigual... + na Cultura

9 - Tristorosa, de Eugen Weiss: O que chama a atenção, em Tristorosa, de Eugen Weiss, é a estrutura formal: capítulos curtíssimos, prosa condensada, às vezes elíptica, andamento ora moderato ora vivace, feito o desenrolar das ondas da praia... Saiba +

10 - A Tradutora, de Cristovão Tezza: Beatriz é uma tradutora de 30 e poucos anos às voltas com o desafio de traduzir o espanhol barroco do catalão Felip T. Xaveste. Em seu apartamento, depara-se com uma sucessão de acontecimentos que entrelaça a urgência do instante presente com a memória- um envelope em branco deixado misteriosamente sob a porta da sala; as pequenas e grandes dúvidas que envolvem a tradução e os desdobramentos que projeta para a sua carreira; a conversa ao telefone com o namorado escritor, que a assedia intelectualmente... + na Cultura

Nenhum comentário