10 Razões para leitores, escritores e literários em geral votar Lula dia 30

 Você não pode se considerar um leitor, um bom escritor ou um literário coerente se no dia 30 votar em Bolsonaro. Ainda que haja literatura do fascismo, não há literatura no fascismo e isso é bastante perceptível nos tantos retrocessos na área literária com a ascensão das ideias fascistas que encontram em Bolsonaro a voz dos imbecis. Por isso, ainda que você tenha reservas ou querelas com Lula, pela democracia e pela liberdade ou é ele ou mergulharemos ainda mais nas sombras dos dias. Nesse post 10 razões para escritores, leitores e literários votar Lula dia 30:


1 - Pela liberdade, pela pluralidade e pela diversidade literária: Esses quatro anos de Bolsonaro, sem falar nos dois de golpe, vimos, tal como é registrado nos Estados Unidos, retrocessos democráticos que no campo da literatura reflete-se em censuras, proibições e perseguição a qualquer obra que não exalte um único ideal, o ideal dos fascistas. Sem Lula e com um Congresso problemático (mas não esqueçamos que progressistas também foram eletos em bons termos e talvez tenhamos uma resistência democrática mais efetiva), corremos o risco de ver a literatura afundar ainda mais no governo Bolsonaro e seus asseclas que perseguem qualquer pluralidade ou diversidade na literatura;

2 - Frear ações contra a literatura: Se o item número um deveria já ser suficiente para esta lista, não convém esquecer que durante o mandato de Bolsonaro a literatura e os livros foram seguidamente atacados, inclusive pelo Posto Ipiranga dizendo que pobre não lê, Na verdade essa gente não suporta que pobre leia ou pense;

3 - Ações para a literatura: Nos governos do PT e com Lula houve muito apoio para autores e para a literatura nacional, inclusive a tentativa de internacionalizar nossa literatura, algo que incomodou um bocado as elites ignorantes dessa terra que regozijam-se de suas tosquices tupiniquins;

4 - Com esperança, lemos mais: Isso em especial para aqueles que pensam em ser autores. Nos tempos do PT pudemos ver na prática como tempos de esperança favorecem a literatura. Entre os anos de 2005 e 2014, especialmente, as perspectivas para o mercado editorial foram crescendo de tal modo que chegamos a sonhar com um gigantesco mercado editorial. Com a ascensão da classe C, entre 2009 e 2014 os números de vendas de livros e surgimento de novos autores nacionais talvez nunca tenha sido tão expressivo. As bienais bombavam, as editoras expandiam.... mas aí veio os malditos Vinte Centavos;

5 - Lula é leitor: É fácil essa elite com ódio de classe detestar Lula, de falar de seus estudos, mas sério, comparem. Duvido que em toda sua vida Bolsonaro tenha lido mais que uma dúzia de livros, olha o tipo, o tipo que se vangloria de sua idiotice, daquele capaz de dizer "pra que ler?". Lula, por sua vez em muitos momentos demonstrou ser um leitor de temas importantes para o país, fosse ficção ou não-ficção;

6 - Liberdade de criação: O fascismo detesta a liberdade do outro, do que difere. Muitos autores têm sofrido censura ou perseguições no Brasil por não comungarem dos ideais fascistas mal sustentados por um olavismo intelectual de baixo calibre. O Brasil com Bolsonaro se tornou um país hostil aos escritores, a alguns ainda mais que outros, caso de quem publica temas LGBTQIA+, por exemplo. Essa gente prefere suas bolhas gospel ou literatura panfletária de péssima qualidade;

7 - Bolsonaro já pensou em encarecer os livros: Eles já tentaram, talvez agora consigam, mas o fato é que Bolsonaro em uma das táticas de minar a leitura e a leitura já tentou tributar livros, algo que falamos nesse post. Com Lula podemos esperar medidas de apoio à cultura e nesse sentido, à literatura;

8 - O Brasil não pode virar uma distopia teocrática: Já falamos aqui dos ataques à literatura no poder fascista representado por Bolsonaro. Inclusive esta seleção de charges demonstra o que temos sofrido nos últimos anos. O PT já esteve no poder e a literatura nunca foi perseguida, mesmo Olavo de Carvalho podia escrever suas babaquices com toda a liberdade, e esta é a grande diferença entre a democracia e os fascistas que aí estão. Se resta aqui ainda algum eleitor do Bozo, vai lá, faz o teste, fala mal de brincadeirinha do fuhrer tupiniquim para você ver o bando de camotim em você. Com Lula a liberdade e a democracia sempre esteve em plena e pura liberdade;

9 - Literatura fervilhante e barata: Num passado não muito distante, nesse passado "terrível" do PT a literatura fervilhava, nas elites, nas periferias, eventos brotavam, autores publicavam, tivemos fenômenos bestsellers em gêneros diversos, como a fantasia, por exemplo. Os livros estavam baratos e todos estavam animados com uma nova realidade com a do brasileiro que lê. Com essa coisa que está aí, bem vocês sabem;

10 - Salvar o mercado editorial: O mercado editorial em tempos de Bozo tem padecido e muito, não sabemos o quanto pode piorar. Com um mercado fragilizado as vozes diversas de um Brasil perdem espaço, nossa própria percepção de nação esvai-se. Ou pior, cria-se um ideal totalitário de visão única. Salvar o mercado editorial votando Lula é também salvar do apagamento as diferentes vozes que constituem esse país, vozes atacadas constantemente pelo fascismo bolsonarista. Por isso, dia 30 é #LiteráriosComLula.

11 - Escritores com Lula: Ah, e não dá para esquecer que os escritores mais relevantes desse país estão com Lula. 


1 Comentários

  1. Ótimo artigo,muito esclarecedor,concordo totalmente,é Lula lá.

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem