Header Ads

6 Curiosidades sobre a nova capa de Laranja Mecânica

Sobre o catálogo da editora Aleph nem precisamos falar, não é mesmo? Especialmente suas obras clássicas da ficção científica sempre tratadas com a excelência editorial, a começar por suas capas, como a nova identidade visual de Laranja Mecânica pelo projeto de designer Giovanna Cianelli. O resultado ficou muito bacana e a editora Aleph compartilhou 6 curiosidades sobre as referências presentes no design que aproveitamos para reproduzir aqui no blog, confira:

1 - O submarino: Parte do projeto foi inspirado no estilo psicodélico de animação do ilustrador e designer alemão Heinz Edelmann, responsável pela arte de trabalhos famosos, como Yellow Submarine (1968). Se você ver a capa do livro completamente aberta, vai perceber que ela lembra uma timeline de animação;

2 -A psicodelia: Ainda sobre os projetos de Heinz, ele foi responsável por uma icônica abertura da série animada (quase lisérgica) O Filme Fantástico, exibido na década de 1970 na Alemanha, que também foi importante para a concepção da capa;

3 - A transa: Sim, ficção científica e Caetano Veloso têm tudo a ver. Tanto que o lettering da capa do álbum Transa, lançado pelo cantor baiano em 1972, serviu como referência para a nova capa do Laranja Mecânica. Mas se você acha que paramos no ícone da Tropicália, segura aí porque as referências ainda vão muito além...

4 - O repolho: Na década de 1970, um livro singular na história da culinária propôs um objetivo: indicar uma imensa variedade de pratos com repolho. E embora salsicha com repolho não seja unanimidade na cozinha, a fonte aplicada no livro também serviu como base para a criação da nossa nova capa;

5 - O crédito: Já esta referência não viaja pelas excentricidades da culinária, mas presta uma homenagem bacana à adaptação do livro nos cinemas, dirigida por Stanley Kubrick em 1971. A mesma fonte usada para os créditos do filme foi aplicada para destacar o nome de Anthony Burgess na edição;

6 - A cena: Por fim, claro que uma das sequências mais chocantes da obra de Stanley Kubrick não poderia faltar nessa repaginação. Ainda hoje é difícil não ficar aflito e incomodado com a lavagem cerebral sofrida por Alex DeLarge, enquanto os seus olhos eram mantidos abertos da pior forma possível.



Fonte: Editora Aleph

Um comentário:

  1. Oi, bom dia.

    Sou um autor e peço permissão para postar o link para os meus livros que estão sendo comercializados na Amazon.

    https://www.amazon.com/s?i=digital-text&rh=p_27%3AArtur+Salles+Lisboa+de+Oliveira&s=relevancerank&text=Artur+Salles+Lisboa+de+Oliveira&ref=dp_byline_sr_ebooks_1

    Espero que não seja um inconveniente essa postagem.

    Atenciosamente,

    Artur Salles.

    ResponderExcluir