Header Ads

Abracadabra! 10 Considerações sobre Os Arteiros Mágicos, de Neil Patrick Harris

O Blog Listas Literárias leu Os Arteiros Mágicos, de Neil Patrick Harris publicado pela editora Plataforma 21 da Vergara & Riba; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Divertido e vibrante, Os Arteiros Mágicos é um livro com múltiplas possibilidades que para além da narrativa, possibilita a seus jovens leitores variadas formas de interatividade e também tutorias bacanas para você iniciar sua jornada pela mágica;

2 - Enquanto narrativa, a obra se alicerça nos principais elementos das narrativas infanto-juvenis, trazendo seu protagonista órfão que ao escapar da tirania do parente que lhe cuida e com ele vaga pelas ruas, acaba parando numa cidadezinha em que encontrará novos sentimentos e fará descobertas incríveis sobre si mesmo e seu talento para as artes mágicas;

3 - Carter é este garoto, um jovem explorado por seu tio Velhaco e que vive pelas ruas assistindo aos trambiques e roubos do parente. Todavia, a despeito da companhia, Carter possui valores morais bastante sólidos, tanto que entra em conflito com o tio, de quem foge e acaba indo parar numa cidadezinha chamada Mineral Wells;

4 - Nesta nova cidade o garoto irá deparar-se com duas turmas distintas, mas ambas com fortes ligações com os truques (truques, não, mágica) e o ilusionismo, tendo de um lado a ambição e os projetos sacanas de B. B. Bosso, dono de um parque que está instalado na cidade, e da turma de amigos que acaba fazendo, e que virão a ser conhecidos como Os Arteiros, que sob a batuta do Sr. Vernon revelam o lado encantador das artes mágicas;

5 - Neste sentido a trama prima pela simplicidade ao contar um enredo se não desconhecido, mas com a originalidade peculiar à trama. Deste modo Carter acaba integrando-se a um grupo de outros jovens garotos e garotas bastante heterogêneo em certos sentidos, mas homogêneo na paixão pela mágica e nas condutas morais, e claro, a partir disso, envolvendo-se o grupo numa perigosa trama para barrar os planos maus de B. B. Bosso;

6 - Entretanto, sob a camada mais simples da aventura de Carter, alguns pontos e mensagens são trabalhadas sob a primeira camada textual, como a questão da confiança na humanidade e nas pessoas, algo que o jovem protagonista terá de aprender, pois sua experiência nas ruas e com os trambiques do tio fizeram dele alguém muito cético, tanto em relação às pessoas, quanto em relação a seu conceito de magia;

7 - Além disso, de modo muito interessante e sem grandes alardes, Patrick Harris faz de sua obra um bom exemplo de trama inclusiva, destacando diferentes personagens e unindo-os por aquilo que deveria ser essencial e que as crianças na maioria das vezes sabem mais do que os adultos, estabelecer amizades sem importar-se para os que os diferenciam;

8 - E como já falado, é um livro bastante dinâmico, que traz a narrativa, mas outros elementos de potencial interesse e estímulo à leitura, como pistas deixadas pelo caminho, os truques de mágicas ensinados, além da forma descontraída do narrador para com o leitor, que dá uma proximidade a ambos. É um bom livro para as estratégias de letramento;

9 - E somado a tudo isso é uma história envolvente, talvez fortemente influenciada pelas estruturas das artes visuais, como o cinema, e que aliado a seus personagens autênticos acaba no todo resultando em divertida - e por que não, mágica - experiência de leitura;

10 - Enfim, Os Arteiros Mágicos é diversão garantida, num leitura que alia mensagens importantes e boa diversão enquanto leitura. Uma aventura capaz de encantar qualquer público.



Nenhum comentário