Header Ads

10 Grandes injustiçados pelo Prêmio Nobel de Literatura

Bem, sabemos que premiações serão sempre discutíveis, que muitas vezes não passam de selos a carimbar esta ou aquela arte. Ainda assim não deixam de ser relevantes, até porque as premiações desempenham importante papel no estabelecimento dos cânones que geralmente são ponto de partida para os estudos, no caso, literários. Por isso não seria diferente quanto ao Prêmio Nobel de Literatura que entre acertos e quem sabe alguns enganos acabou deixando de fora muitos nomes importantes para a literatura. Selecionamos 10 grandes injustiçados pelo Nobel de Literatura, confira:

1 - Philip K. Dick: Pelo menos a este insignificante leitor, uma dos maiores escritores de todos os tempos. O escritor americano é autor de uma obra complexa, que para muito além de suas naves espaciais e androides, tem no sumo da sua literatura a qualidade de adentrar às dúvidas mais incômodas da humanidade e suas reflexões acerca da fragilidade do que é real não encontram paralelos na literatura.

2 - João Guimarães Rosa: Não se pretende discutir aqui o mérito de nenhum jubilado, entretanto temos de ter a consciência de que países como Santa Lúcia e Islândia possuem seus nóbeis, enquanto o Brasil e sua rica literatura nunca sequer foi cogitado. A bem da verdade, a despeito da sua presença no mundo, a língua portuguesa tem sido castigada pelo Nobel, com apenas Saramago no hall da fama. Mas essa é uma questão, a outra, quais seriam os autores dignos para tal prêmio? Nomes não creio ser o problema, ma acredito que nenhum outro brasileiro merecesse mais que Guimarães Rosa. Sua prosa poética capaz de alcançar os dramas universais dos homens é já uma virtude suficiente, que somada ao trabalho de ourives de Rosa com a linguagem e sua percepção de sociedade capaz de dar voz ao erudito intelectual e ao matuto sertanejo, faz dele certamente um dos maiores nomes da nossa literatura, provavelmente o maior;

3 - Jorge Luiz Borges: Uma das nações mais literárias do globo terrestre tem neste autor seu maior expoente. E trata-se de um expoente qualquer, a literatura de Borges, como a de Dick, e no seu distinto campo, é das mais complexas e provocadoras da humanidade. Suas concepções acerca do tempo e do próprio universo são levadas a outros campos de estudos como a própria física, além de ter sido um dos mais influentes escritores no mundo;

4 - Agatha Christie: Ah, perdoem-me os ortodoxos e os narizes virados, mas desculpando-me o trocadilho infame, não é um crime ter deixado uma das mais prolíficas autoras de seu tempo sem um mérito desses? Ademais, não se pode dizer que a obra de Christie não tenha valores estéticos e literários, tanto que seus personagens são legados para a literatura e ainda hoje circulam entre os diferentes leitores. Além disso, especialmente E Não Sobrou Nenhum com habilidade ímpar, a autora parte de uma cantiga-poema popular para tecer um romance inesperado;

5 - José Luandino Vieira: De nascimento português e alma e literatura angola é das vozes emergidas dos Palops e seus dramas coloniais talvez a mais rica e poética, e especialmente Luuanda trata tanto das questões íntimas humanas quanto aos encontros culturais entre os traumas e a resistência;

6 - Margaret Atwood: A autora canadense é a voz literária mais firme contra a hegemonia cultural machista, e faz isso com uma narrativa pungente e com o olhar firme nos dramas da pós modernidade. Sua obra consegue captar com maestria essas novas e velhas lutas;

7 - J. R. R. Tolkien:  A esta hora sei que muitos nomes revoltam narizes ortodoxos, e Tolkien ainda recebe olhares evasivos, entretanto o autor britânico não só revolucionou a literatura trazendo para ela todo um novo gênero, com a partir de sua obra acaba modelando toda uma literatura de final de Século XX e início do XXI. Se olharmos bem para grande parte da literatura produzida nos últimos 30 anos, pelo menos, veremos que uma grande parcela das publicações é de heranças de Tolkien, que não só trouxe para os livros gerações de novos leitores, mas também novos autores;

8 - George Orwell:  A jornada do autor contra os diferentes totalitarismos produziu uma obra de grande envergadura e consistência indiscutível reunindo estética literária e alertas aos descaminhos humanos pelo globo. Além disso, deixou-nos não só sua ficção revisitada constantemente, mas também ensaios e artigos dos mais relevantes para a sociedade;

9 - Liev Tolstói: O autor russo ainda era vivo quando dos primeiros anos de Nobel de Literatura, e sua obra fala por si mesma, tanto que é uma dos autores mais celebrados de todos os tempos e seus Guerra e Paz e Anna Kariênina são patrimônios da literatura mundial;

10 - Ursula K. Leguin: Outra autora de significante contribuição para a literatura, escreveu em diferentes gêneros, fantasia, ficção científica e ensaios, e ainda hoje é uma autora que acaba ficando em determinado nicho, onde a qualidade de sua obra é inegável.

*Certamente eu também injusticei bons nome, senta o dedo nos comentários e coloca aí outras sugestões. 

Nenhum comentário