Header Ads

7 Engajadas Editoras brasileiras

Literatura é resistência, sendo que o próprio ato de editar e publicar livros é resistir, por isso no post de hoje selecionamos 7 pequenas e admiráveis editoras brasileiras que vale a pena você conhecer, confira:

1 - Editora Patuá: Dirigida por um dos mais militantes e ativistas da literatura e da poesia brasileira, Eduardo Lacerda, a editora tem sido destaque nos últimos anos pelo excelente catálogo e ótima participação em concursos literários dando voz - e páginas - a autores que nem sempre obtém espaço nas grandes casas, com destaque especial para suas obras em poesia;

2 - Editora Malê: A editora se identifica por "colaborar com a diversidade do mercado editorial brasileiro", mas vai para além disso, pois é principal canal de vozes periféricas e da cultura africana no Brasil que ocupa um espaço necessário, relevante, e traz para os leitores uma literatura que geralmente encontra muitas barreiras em meios "tradicionais";

3 - Boitempo: Como a própria editora declara, "suas opções editoriais são claras", em 20 anos de atividades, seu catálogo reúne obras de diferentes pensadores com perfil de esquerda. A editora, durante e pós golpe de 2016 atuou com firmeza política, e deu visibilidade a diversos textos sobre os eventos recentes no Brasil;

4 - Companhia das Letras: Não só pela sua diversidade de publicações, mas pelo envolvimento com a própria literatura, eventos literários, mas também com as demais discussões da sociedade, e com perfil humanista, dentre as grandes casas editoriais é a que mostra maior engajamento, indo além das preocupações apenas de mercado editorial;

5 - Hoo Editora: Criada em 2015 com a proposta de um literatura sem barreira de gêneros, a editora tem na sua proposta dar visibilidade a obras com temática LGBT;

6 - Iskra Editora: Editora com mais de dez anos de atividades que busca difundir, apropriar e recriar o pensamento marxista, ligada ao portal Esquerda Diário e que se destaca nas publicações de suas vozes feministas;

7 - Nós: Editora que também dá voz às periferias e à diversidade, buscando inovação cultural e literária sob um princípio fundamental, a literatura como direito humano, tendo um catálogo a ser conhecido;

Vocês conhecem outras editoras engajadas? deixem a dica nos comentários para que compartilhemos estes belos exemplos.

Nenhum comentário