Header Ads

10 Lugares estranhos para se escrever livros

No post de hoje selecionamos 10 lugares que a despeito de suas peculiaridades foram locais de escrita de obras, muitas delas, bastante famosas, mas que de primeira vista não nos parecem lugares inspiradores. Neste post lugares estranhos para se escrever livros, confira:

1 - Na Prisão: Tudo bem, este é um lugarzinho onde não falta tempo para ler, escrever e repensar, todavia, especialmente no Brasil, não recomendamos provocar uma estadia por algum cadeia como mecanismos de desbloqueio de autor/a. O fato é, que dos lugares estranhos para se escrever um livro, a cadeia é o mais provável, e uma seleção de grandes nomes já "experimentaram" isto: Graciliano Ramos, Dostoievski, Cervantes, Oscar Wilde entre outros gigantes da literatura;

2 - Num Foxhole: Para quem não sabe, este era o nome dos buracos (trincheiras individuais) nas quais os soldados americanos se enfiavam nas batalhas da Segunda Guerra. Um destes soldados era J. D. Salinger, que segundo alguns historiadores, neles já rabiscava seu O Apanhador no Campo de Centeio;

3 - Numa Rede: Não, não é a rede de computadores, ou uma rede colaborativa. É uma rede mesmo, destas atadas em dois coqueiros. Foi assim que Mário de Andrade, "balangando" numa rede, durante seis dias escreveu o clássico nacional, Macunaíma. Dá pra entender o inesquecível bordão "ai que preguiça";

4 - Espaço "Ghost", do outro lado da vida: Agora nada mais estranho é que se escrever por 8 minutos, estando clinicamente morto. Considerado uma das "livros mais perigosos" do mundo, a obra escrita por L. Hubbard, fundador da cientologia carrega a fama de ter enlouquecido quem o leu;

5 - Viagens de Trens: Ler em trens e ônibus lotados já não é uma coisa fácil, porém, o autor Jessé Andarilho escreveu seu primeiro romance, no celular, durante suas longas viagens de trem no Rio de Janeiro. Escrever em trânsito também era uma das opções do poeta Wallace Stevens, e até John Le Carré curtia escrever em trens;

6 - Num Caixão: Mesmo não estando defunta, a poeta Edith Sitwell, por sua vez tinha o hábito de escrever deitada num caixão aberto, lugarzinho que não faltava papel e material de escrita;

7 -  Aviões e sacos de vômito:  O polêmico Nick Cave durante uma turnê pela América do Norte em 2014, despejou suas ideias em sacos de vômito dos voos, que viraram uma edição em livro "The Sick Bag Song";

8 - Cabana Giratória: Bernard Shaw é um dos autores mais relevantes da literatura, e sua obra  Pigmalião teria sido escrita numa cabana giratória, feita sob encomenda;

9 - No lombo de um cavalo: Já o poeta Walter Scott teria escrito seu principal épico cavalgando pelas colinas de Edimburgo, o que além de criatividade, certamente exigia também, habilidades;

10 - Na Banheira: No caso da literatura, a "banheira" não indica impedimento, pelo contrário, essa era a exigência da prolífica Agatha Christie que mandou instalar uma banheira gigante onde comia maças e compunha seus famosos assassinatos;     

Um comentário:

  1. Esqueceram de colocar aí, o estranho hábito de escrever no banheiro. Tive um tio que era assim e sentava no vaso sanitário. Coisa de doido.

    ResponderExcluir