Header Ads

10 dicas sobre plataformas de autopublicação

No post de hoje o escritor Luis Fernando Amâncio de Contos de autoajuda  para pessoas excessivamente otimistas compartilha seus conhecimentos sobre autopublicação. E em breve teremos novidades relativas aos novos trabalhos do autor. Confira o post:

***


[Coluna do Luis no Digestivo Cultural]

[Site do autor]

O surgimento de plataformas de autopublicação e a sua popularização, sobretudo entre autores iniciantes, está causando uma nova dinâmica no mercado editorial. Se você é um autor e pretende tirar aquele original da gaveta através do serviço, ou é apenas um curioso, segue uma lista com dicas para utilizar o serviço da melhor forma.

1 - Saiba o que é. Plataformas de autopublicação são sites em que o autor poderá, através de comandos simples, disponibilizar seu livro para os leitores. Existem vários serviços que oferecem essa possibilidade. O Listas Literárias apresentou 7 dessas plataformas em 2015.

2 - Livro digital x livro físico. Há plataformas que operam apenas com livros digitais (ebooks), enquanto outras oferecem a possibilidade de seu produto ser disponibilizado nas duas opções. Plataformas que oferecem somente a opção de vender o livro físico são bem mais raras. O ideal é que o autor não abra mãos das duas opções. Ainda que esteja crescendo, sobretudo por sua praticidade, os ebooks enfrentam resistência de leitores tradicionais. Entenda, portanto, que são dois produtos diferentes e seus leitores vão ganhar se puderem escolher entre eles.

3 - Conheça o perfil do seu leitor. É claro que você quer acreditar que seu livro pode ser lido por toda a família brasileira. Mas não é bem assim. Determinados gêneros literários e temáticas possuem maior apelo com perfis específicos de leitores. Por exemplo, livros de aventura costumam ser mais populares com o público infanto-juvenil; romances hot possuem maior apelo entre mulheres mais experientes; e por aí vai. Faça o exercício de compreender qual é seu público alvo.

4 - Localize o seu leitor. Após o exercício de descobrir o seu público leitor, procure a plataforma que melhor se comunique com ele. O Wattpad, por exemplo, é uma plataforma bastante popular, mas não é todo tipo de leitor que você encontrará por lá. Muito associada a fanfics, leitores mais exigentes não se identificam com a maior parte dos títulos do Wattpad. É importante, portanto, estudar os outros títulos que se encontram na plataforma e ver se o seu livro dialoga com eles.

5 - Leve o preço em consideração. As plataformas de autopublicação costumam ser gratuitas, mas o custo do serviço aparece no preço do livro. Se o site encarecer demais o valor do seu produto, digital ou físico, isso causará problemas para o autor. Para um leitor que não te conhece, adquirir seu livro é um investimento de risco: portanto, quanto mais barato, mais sedutora é a aposta. Além disso, todo autor é o maior incentivador de seu próprio trabalho. Portanto, a possibilidade de comprar o próprio livro por um bom preço irá motivá-lo a fazer investimentos. Por exemplo, você poderá enviar exemplares para produtores de conteúdo ou adquirir um pequeno estoque para vender em feiras e outros eventos literários.

6 - Invista na capa. Plataformas de autopublicação costumam oferecer a opção de capas genéricas, com imagens do banco de dados do serviço. Se puder investir, contrate um capista profissional, que irá fazer uma capa original e dará maior credibilidade ao seu livro.

7 - Invista na revisão. Autopublicação é muito associada a textos com erros gramaticais. Não é uma regra, mas a facilidade de publicar faz com que alguns autores não tenham o cuidado devido e disponibilizem o texto com erros de revisão. Não faça isso. Erros gramaticais, por mais que sejam naturais, abalam a sua confiabilidade do seu livro. Nunca acredite apenas na própria revisão: o olho do autor, viciado com a leitura, deixa escapar falhas. Opte, sempre que possível, por contratar o serviço de um revisor profissional.

8 - Faça divulgação. Plataformas de autopublicação não oferecem um serviço de marketing. Editoras pequenas, por sua vez, também não colaboram muito nesse aspecto. Portanto, estude estratégias de divulgação e dedique tempo para implementá-las. Como dito acima, o autor é o maior incentivador de seu trabalho.

9 - Trabalhe com o leque ampliado. Se puder oferecer o seu livro em mais de um serviço de autopublicação, pense a respeito. Assim, seu produto será ofertado em diferentes opções, aumentando as possibilidades de escolhas para seus leitores. A Amazon KDP oferece vantagens interessantes para quem opta por oferecer o ebook exclusivamente na plataforma (seu livro fica disponível no Kindle Unlimited e há uma maior margem de lucro para o autor). Todavia, vender o livro em formato físico no serviço não é uma opção boa para brasileiros, pois ele não será impresso no país, encarecendo o produto final. Portanto, escolha outra plataforma para produzir o livro físico.

10 - Não pense que seu livro é menos importante por ter sido autopublicado. A qualidade da obra não depende da chancela de uma casa editorial. É importante que você se esforce em oferecer um bom produto, portanto considere contratar, além da revisão e da capa, ao menos uma leitura crítica. E, claro, dialogue com outros autores e leitores cuja opinião possa somar em seu processo criativo. Assim, você terá maior segurança na qualidade de seu livro e poderá aproveitar as possiblidades de autonomia que a autopublicação oferece.


Um comentário:

  1. Qual a plataforma com custo mais acessível para impressão dos livros no Brasil?

    ResponderExcluir