Header Ads

10 Considerações sobre O tarô de Marselha revelado, de Yoav Ben-Dov ou tudo é um sinal

O Blog Listas Literárias leu O tarô de Marselha revelado, de Yoav Ben-Dov publicado pela editora pensamento; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Ao que se propõe, ou seja, um guia sobre este jogo misterioso, O tarô de Marselha revelado cumpre seu papel, e ao leitor como eu, curioso por diferentes assuntos, revela ainda que mesmo questões aparentemente simples podem carregar uma longa carga e trajetória histórica, caso das descobertas aqui feitas, pois desconhecia as inúmeras discussões sobre o tarô;

2 - Além disso, claro, como todo bom guia, o livro partilhará a experiência de seu autor com as cartas, procurando levar ao leitor e aos interessados no tarô, não apenas os aspectos históricos, mas questões práticas e essenciais para leituras e interpretações das cartas de acordo com os estudos dos que se dedicam ao assunto;

3 - Sobre a importância de sua discussão Ben-Dov diz que "conhecido originalmente como um tipo mais modesto de jogo de azar, durante vários séculos esse conjunto misterioso de 78 cartas deu asas à imaginação de inúmeras pessoas" que as utilizavam como elemento de adivinhação, "como um repositório secreto de conhecimento antigo e poderoso" ou mesmo, nos tempos de hoje como instrumento de consulta e auxílio para tomadas de decisões;

4 - Todavia, procurando se distanciar de ideias mais radicais e conspiratórias colocando o tarô no meio de conhecimentos secretos, Ben-Dov observa que "pode ser mais sensato pensar nas cartas de tarô como uma arte coletiva que evoluiu, não de ensinamentos sublimes em templos secretos da sabedoria e espiritualidade, mas dos círculos populares, marginais e de pouca legitimidade". Veremos, inclusive que o autor reforçará bastante as relações das cartas com a arte e com o popular;

5 - Aliás, como o próprio título coloca, há no trabalho uma decisão e escolha do autor pelo baralho de Marselha, cidade que  nos séculos XVII e XVIII "tornou-se uma referência na produção de cartas" e que nesta publicação "adotou-se um modelo padrão [o de Marselha] para as cartas de tarô" que assim como a tradição de Marselha cujas "cartas criadas ao longo dos anos passaram a variar nos detalhes e na riqueza das cores; os temas e elementos principais de cada uma delas, no entanto, permanecem os mesmos..."

6 - Aliás, ao leigo nos debates sobre o tema, o tarô, caso deste leitor, foi bastante curioso conhecer que assim como outras áreas do conhecimento ou da espiritualidade, as releituras, as dissidências ou as novas interpretações acabam criando diferentes escolas, caso da francesa e inglesa, debatidas no livro, tal como a concepção mais recente de Aleister Crowley, figura emblemática do século XX;

7 -  Sobre as origens do tarô, o autor fala sobre "dúvidas sobre o criador original das cartas, a época e o local de sua criação" e mostra mesmo que a origem do nome do jogo e os significados de seus símbolos têm sido debatidos ao longo dos anos, mas que entretanto, a maioria dos historiadores apontam para o século XV, no norte da Itália, o seu surgimento;

8 - O autor ainda trata das diferentes possíveis fontes das cartas e no contexto histórico, além de uma interessante construção sobre o nome do jogo, acaba abrindo a discussão acerca das imagens das cartas em contextos de suas criações, que por certo poderiam causar problemas, se pensarmos, por exemplo na semiótica dos símbolos ali postos. Aliás, a linguistas, quem sabe o tarô seja curiosa fonte de estudos para a semiótica;

9 - Mas acima de tudo, vale reforçar, em seu papel de guia, em sua maior parte, a obra vai compartilhar da experiência de Ben-Dov enquanto especialista no tema, compartilhando sua filosofia de leitura das cartas, bem como possibilitando aos leitores auxílio em suas próprias tentativas de leitura a partir da significação das cartas, nos métodos de jogar o tarô e principalmente reforçando sempre o essencial para Ben-Dov de que no jogar das cartas tudo é um sinal;

10 - Enfim, para quem curte ou tem interesse em saber mais sobre o tarô, o livro reúne elementos interessantes, não apenas quanto ao seu histórico, mas para também lhe auxiliar a compreender sua sistemática. Um livro que procura reforçar o poder artístico das cartas "uma obra de arte" é o significado do tarô para o autor, uma arte coletiva que vem atravessando gerações a partir do conjunto excêntrico de imagens que manuseadas e jogas são procuradas pelas mais diferentes razões.



Nenhum comentário