Header Ads

5 Coisas sobre o "boom" dos cursos de escrita criativa

Quem por aí, especialmente entre futuros autores, já não se deparou com algum post patrocinado sobre cursos de escrita criativa. Eles se proliferam que nem Gremlins com água. Pois hoje resolvemos abordar essa questão de uma forma um tanto crítica o assunto, abordando alguns elementos que você poderia levar em consideração antes de adentrar numa destas jornadas, confira:

1 - Antes de mais nada, que tal observar quem faz o curso: Candidatos a novos autores são movidos a sonhos, e não raro se atiram em qualquer possibilidade de melhoria de sua escrita, o que, digamos, é uma coisa ótima. Defendemos cursos de escrita e oficinas literárias, contudo, sempre é bom lembrar que nada vale, se a atividade pouco agregar. Por isso quando decidida a participação em um curso ou oficina, a escolha de qual é fundamental. Dizemos isso porque, por exemplo, ninguém contrataria um personal trainer fora de forma, mas quando se trata de cursos de escrita criativa, nem sempre esta "regrinha" é observada. Acontece que muitos dos cursos oferecidos por aí são ofertados por pessoas sem o currículo que consideraríamos adequado. Por exemplo, vale a pena realizar um curso ou oficina ministrado por autores tão amadores ou desconhecidos quanto você? Nossa dica é que vale a pena procurar por atividades coordenadas por autores reconhecidos no mercado editorial, ou então teóricos e críticos reconhecidos;

2 - Não faça quando: Portanto, sempre recomendamos que se os ministrantes ou organizadores não tiverem um trabalho reconhecido no mercado editorial, que não terem sido publicados e que estiverem em patamar semelhante a vocês enquanto autores, melhor não gastar sua grana; 

3 - Ler sobre o ofício:  Antes do mergulho direto em cursos e oficinas de escrita criativa, uma sugestão interessante é a leitura de obras sobre a arte e o ofício da escrita. Nesta lista selecionamos 10 livros nesta perspectiva. O investimento em Escrever Ficção, por exemplo, pode ser bem mais vantajoso que a matrícula em uma oficina irrelevante;

4 - Faça quando:  Sim, todo autor que assim deseje ser reconhecido deve se qualificar e oficinas e cursos são fundamentais, e não estamos aqui dizendo para não se fazer. Aliás criticar a explosão de cursos de escrita criativa por autores desconhecidos e que às vezes nunca publicaram algo relevante não pode ser visto como elitismo, como às vezes é visto. É na verdade orientação a autores para que não gastem à toa seus recursos, que geralmente são parcos. Por isso quando partir para essas atividades é fundamental tentar participar de oficinas consagradas e conduzidas por autores relevantes, como a do Luiz Antonio Assis Brasil e de Raimundo Carrero. Além disso, como no caso da PUC-RS é possível até mesmo realizar seu mestrado em escrita criativa;

5 - Cursos e oficinas demandam investimento: Os autores, por certo, devem considerar tudo aquilo que lhe possibilite ferramentas para seu trabalho. Tudo que o ajude-o a evoluir. As oficinas podem fazer isso, mas todas elas possuem diferentes valores de investimento, por isso é importante ter isso em mente. Não raro grande parte delas são bastante caras para grande parte dos autores, de modo que é justamente por isso que a avaliação é fundamental para se investir da melhor maneira possível em sua qualificação enquanto escritor e escritora. 

Nenhum comentário