Header Ads

10 Considerações sobre Duplamente Ferida, de Nana Pauvolih ou sobre leituras vorazes

O Blog Listas Literárias leu Duplamente Ferida, de Nana Pauvolih publicado pela editora Essência. Neste post as 10 considerações da Gi sobre o livro, confira:

1 - Antes de mais nada, é preciso dizer que esta sequência da série Segredos, é daquelas leituras que nos impulsiona pela voracidade, de modo que, no meu caso pelo menos, a leitura desenvolveu-se com voracidade, literalmente devorando a leitura num só dia;

2 - Realizada esta pequena confissão particular do processo de leitura, Duplamente Ferida dá continuidade ao romance Ferida, revelando segredos de Eva numa narrativa que debate perdão, raiva e o ódio entre duas famílias, tudo isso, claro, envolto pelo erotismo natural ao gênero tão popular entre nós, leitoras;

3 - Dito isto, o romance começa nos trazendo uma Eva que começa a se revelar como realmente é, e quem ela de fato é, bem como aprofunda os meandros do projeto de vingança familiar, então abalado pela paixão que surge inesperadamente;

4 - Além disso, o romance mergulha da mesma forma na perspectiva de Theo Falcão, um homem dividido entre o amor e a raiva e com o fato de ter sido destruído pela mulher que amava. Isso causará nele fortes impactos, tornando-o frio e violento, e especialmente na questão da violência, não raro Theo será um personagem a dividir opiniões;

5 - Na bem da verdade a questão de Theo traz à tona os limites de uma relação abusiva, e em alguns momentos sua conduta certamente incomodará a nós leitoras, por seus excessos e pela ultrapassagem de alguns limites que às vezes podem ser bastante polêmicos, como a linha do estupro;

6 -  De certo modo as reações de Theo às descobertas e aos problemas do tumultuado e poluído relacionamento entre os dois é marcado por sentimentos que carregam seus perigos, como a obsessão, ao aprisioná-la, ou de tantas outras atitudes que ele acaba tomando durante o livro com ela, causando em nós, muitas vezes, fortes vertigens diante das situações extremadas que acontecem;

7 - Aliás, caberá a cada leitora construir suas perspectivas pessoais quanto ao relacionamento conflituoso entre os dois, abrindo discussões, por exemplo, acerca do sentimento de culpa que Eva acaba construindo nas tentativas de justificar a violência de Theo e o desprezo (aparente) com que ele passa a tratá-la. No ambiente interno do romance, questionando ou não as opções feitas por Eva, suas ações e abnegações correrão na esperança de reconquistá-lo;

8 - Mas se por um lado a relação nascida viciada em problemas e segredos envolvendo uma série de vinganças, neste livro é quando pelo menos neste sentido as coisas vão se resolvendo com a colocação de pontos finais a partir de quando todas as revelações estão feitas;

9 - Por tudo isso, junto ao ritmo voraz que de fato nos impulsiona à leitura, pode-se dizer que é também uma narrativa tensa, especialmente pela presença prolífica de cenas fortes e intensas. Se trazido para uma perspectiva do mundo real, os acontecimentos ali presentes retratam um cenário sempre preocupante, e em minha opinião, talvez o maior problema concentre-se em certo aspecto no amor próprio perdido por Eva em muitos momentos da trama, pois embora no final tudo se resolva, são marcas certamente que não estarão de todo, apagadas;

10 - Enfim, Duplamente Ferida cumpre seu papel enquanto leitura, nos levando de seu começo ao fim com bastante intensidade, o suficiente para não nos distanciar de sua leitura. Pelo contrário. Desejamos conhecer logo o desfecho dessa tumultuada relação que se nos deixa uma série de questões a debater sobre o que trata e da forma que trata. E, creio, isso faz um bom livro.



Nenhum comentário