10 Considerações sobre Em Um Bosque Muito Estranho, de Ruth Ware ou por que não se deve aceitar muitos convites

O Blog Listas Literárias leu Em Um Bosque Muito Escuro, de Ruth Ware publicado pelo selo Luz Negra da editora Rocco; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Em um bosque muito escuro é uma obra interessante para quem curte suspense e mistério numa trama policial que busca explicitar suas referências, em especial à Agatha Christie, além de buscar atrair diferentes grupos de leituras numa espécie de romance para adolescentes que agora estão um pouco mais crescidos e em vias de casarem-se (ou não);

2 -  É que a obra reúne elementos, geralmente vistos no cinema, que relembram as típicas histórias de horror adolescente, ou seja, um grupo específico que vai para algum lugar isolado, ou seja, o bosque, e por lá as coisas vão azedando num clima pouco festivo para o que deveria ser uma despedida de solteira;

3 - Contudo, não temos aqui os típicos jovens, mas sim personagens que adentram a casa das trinta e que reúnem-se sob pretexto da despedida de solteira de Clare, evento que leva à casa de vidro antigas amigas que porém estão afastadas há algum tempo. Esse reencontro irá justamente explicitar antigas diferenças discutindo lealdade e intrigas juvenis e como elas podem persistir por um bom tempo;

4 - Portanto constrói-se um cenário que tudo está fadado a dar errado, o que vai ficando claro em diálogos carregados de segundas intenções num ambiente restrito cuja principal ação das participantes é alfinetarem-se trazendo à tona o que ficara no passado. Em meio a isso, um clima que vai esquentando gradualmente até derramar o caldo daquelas diferenças amortecidas (mas não tanto) pelo tempo;

5 - É nesse ambiente que o mistério vai sendo colocado de maneira muito sutil, e em alguns casos mais uma vez reforçando alguns clichês do suspense contemporâneo dos cinemas com direito a tábua de ouija, pegadas misteriosas e nuances cheias de ameaças e promessas. Todavia, cumpre-se dizer que embora estes elementos do horror estejam presentas, a obra é claramente um thriller em que a protagonista corre contra o tempo para descobrir o que aconteceu na floresta, bem como salvar a própria pele;

6 - Mas é inegável a presença das influências de outros nomes da literatura, especialmente, como disse, o nome de Christie, que inclusive é citada numa obra que vem a calhar, os dez soldadinho de E Não Sobrou Nenhum, pois a obra além dos elementos do suspense televisivo são marcadas pela referências á dama do crime, ou seja, mansões, grupo diverso e diferente em meio a um crime, e claro todo o mistério envolvido;

7 - Entretanto, com todos elementos envolvidos vale dizer que a obra embora bom entretenimento, ainda carece de alguma profundidade maior, bem como de uma complexidade mais ampla para uma narrativa policial, pois ao final, percebemos apenas a repetição dos rancores juvenis levados para uma vida já adulta das personagens, além disso, a linha tênue entre referência/influência com os clichês em alguns momentos pendeu para o segundo caso de certa forma dando ares juvenis à narrativa policial;

8 - Além disso, a solução final acaba sendo um tanto polêmica para a obra visto que leitores de narrativas policiais, ainda que desejem uma explicação boa e plausível, por outro nem sempre agradam-se das soluções muitos simples, ou como no caso do romance, que na parte final se torna um pouco previsível, nos trás também um desfecho a partir de um jogo de palavras que leva a narradora-protagonista à solução final do romance;

9 - Por outro lado, a obra compensa em ritmo e envolvimento conseguindo segurar os leitores até o final do romance dosando de maneira bastante equilibrada ação e suspense;

10 - Enfim, Em Um Bosque Muito Escuro é uma interessante leitura com virtudes e qualidades que são contrabalanceadas com alguns clichês de certa previsibilidade da narrativa, sendo uma oportunidade de acompanhar uma narrativa com ares jovens mas num enredo clássico, o que pode agradar um bom número de leitores.


10 Considerações sobre Em Um Bosque Muito Estranho, de Ruth Ware ou por que não se deve aceitar muitos convites 10 Considerações sobre Em Um Bosque Muito Estranho, de Ruth Ware ou por que não se deve aceitar muitos convites Reviewed by Douglas Eralldo on segunda-feira, novembro 28, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário