Desidratar. Desidratar. 10 Considerações sobre O Problema dos Três Corpos, de Cixin Liu

O Blog Listas Literárias leu O Problema dos Três Corpos, de Cixin Liu publicado pela editora Suma de Letras; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - O Problema dos Três Corpos é uma leitura instigante ao mesmo tempo que conflitante, especificamente pelo contraste entre sua quase totalidade perfeita com seus últimos capítulos (na verdade suas últimas vinte páginas) que acabam prejudicando o convencimento do leitor, algo extremamente delicado numa obra do gênero ficção científica. Do mesmo modo, por esse livro ser o de abertura de uma trilogia, talvez este final acabe levando prejuízos ao restante da obra;

2 - É que do início até os os últimos capítulos citados temos uma obra promissora que beira a perfeição sendo capaz de redimensionar as obras com abordagens alienígenas, tudo isso calcado em muito suspense e mistério, mas acima de tudo com uma narrativa realista e palpável que faz brilhar nossos olhos conspiracionistas acerca dos visitantes do espaço;

3 - Contudo, a partir do capítulo 33 quando somos postos diante de uma narrativa que abarca o ponto de vista dos outros, sim, dos alienígenas, paira então certa decepção causada pelos ruídos no texto que apontam para divergências entre esta última parte e toda a construção que vinha sendo feita criando então uma narrativa pouco convincente em relação a determinados fatos, que aqui não aprofundo-me para não entregar spoilers demais;

4 - Na verdade após este momento da narrativa o que percebemos é um quebra visível na verossimilhança interna da obra pois as revelações deste desfecho criam uma versão dos fatos extraterrestres que não condizem com as informações até então colocadas deixando a clara sensação de "espere um momento, isso não faz sentido" em alguns momentos cruciais destas últimas páginas de tal modo que o leitor atento logo começará a fazer uma série de perguntas a cada página ao confrontar tais incongruências;

5 - Todavia poderia-se levar em conta a estrutura estética da narração da obra, uma questão aliás a ser melhor observada com sua voz em terceira pessoa que vai sendo conduzida a partir de determinadas ações de diferentes personagens e que em alguns momentos até permitiria "certa fantasia". Entretanto o que vemos nas últimas páginas acaba sendo marcante demais e contrastando a maior parte do livro com seu enfoque realista com a falta de encaixe dos acontecimentos finais;

6 - Feitas estas ressalvas, podemos dizer então que o livro nos causa um impacto inicial bastante forte com sua trama intrincada e realista abordando a temática de uma invasão alienígena narra sob um contexto diferente do que estamos habituados a ler e ver, pois o livro é ambientado na China, origem de seu autor que nos apresenta uma obra calcada em muita ciência, filosofia, mas também personagens reconhecíveis e não menos yankee como o policial linha dura e debochado Da Shi;

7 - Aliás, vale dizer que se o livro tem todos seus olhos voltados para o espaço e o perigo iminente (ou nem tanto) de uma invasão, por outro, não consegue escapar de suas amarras humanas seja nos traidores da espécie que moldam-se levando junto os mesmos defeitos que criticam e que os levaram a desistir da humanidade quanto os inimigos do espaço que embora se tente demonstrar diferenças da raça humana possuem conceitos terráqueos visíveis a olho nu ainda que detentores de uma cultura diferente que às vezes até serve como uma intrusão do autor para refletir sobre o sistema político de seu país;

8 - Na verdade o contexto político permeia todo o romance, algo natural para uma obra cuja ambientação inicia-se durante a revolução cultural chinesa e a ascensão do regime totalitário até os dias de hoje (e futuros) já um pouco mais abertos, o que dá uma força grande ao livro e amplia aquela sensação do início de uma trama realista pois até então política e ciência nos colocam diante personagens palpáveis, daqueles que soam como se fossem reais;

9 - Tudo isso monta um cenário em terra capaz de nos envolver plenamente no universo criado pelo autor com seus personagens complexos, sua linguagem muitas vezes científica e técnica que condizem com a realidade que tenta-se passar a partir de um cenário de confirmação de vida inteligente fora da terra, algo que como o livro aborda traria implicações gigantescas na sociedade humana. Talvez por essa proposta inicial tão bacana os deslizes finais causem certa decepção no final da leitura;

10 - Mas enfim, de toda forma O Problema dos Três Corpos é uma leitura necessária e a despeito dos conflitos causados pelo encerramento do primeiro livro, que, aliás, talvez só incomode aos leitores mais chatos - aquele tipo de gente que fica montando vídeos com os erros de continuísmo dos filmes - pois no geral a obra é ambiciosa e reúne personagens que certamente permanecem vivos após a leitura, o que só acontece com poucos. Certamente uma obra que te apresenta surpresas e pequenas decepções, mas que acima de tudo é extremamente inteligente e intelectual.



Desidratar. Desidratar. 10 Considerações sobre O Problema dos Três Corpos, de Cixin Liu Desidratar. Desidratar. 10 Considerações sobre O Problema dos Três Corpos, de Cixin Liu Reviewed by Douglas Eralldo on quarta-feira, outubro 19, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário