Header Ads

10 Livros sobre fascismo que muitos brasileiros precisariam ler

Em tempos conturbados como este é lamentável ver que não aprendemos nada com a história. O fascismo e a intolerância imperam em atos convulsionados por quem quer ver o circo pegar fogo. Por isso, hoje o Listas Literárias selecionou 10 livros sobre fascismo que seria bom todos lerem (embora fascistas abdiquem de argumentos), confira:


1 - Como Conversar Com Um Fascista, de Marcia Tiburi: O argumento principal é como pensar em um método, ou uma postura, para contrapor o discurso de ódio, seus reflexos na sociedade brasileira e repercussão nas redes sociais. A filósofa propõe o diálogo como forma de resistência e analisa notícias recentes e acontecimentos do mundo político para mostrar mais uma vez que é possível falar sobre temas complexos de maneira que todos compreendam... + na Saraiva


2 - Para um vida Não-Fascista, de Margareth Rago e Alfredo Veiga Neto: Com este livro, os organizadores pretedem contruibuir, por meio de críticas e análises de diversos autores, para a construção de modos de vida libertários e para a extinção das formas de fascismo presentes na contemporaneidade... + no Submarino

3 - Itália Fascista - Alemanha Nazista: O Estilo Fascista de Governar, de Alexandre J. De Grand:Tanto o Fascismo quanto o Nazismo, que nasceram em 1919 e perduraram até o rompimento da Segunda Guerra Mundial, tinham como proposta mitos nacionais ou raciais poderosos, ambos com mensagens fortes, positivas e negativas. Na visão de mundo desses regimes, determinado povo ou raça estava ameaçado por inimigos... + no Submarino

4 - A Anatomia do Fascismo, de Robert O. Paxton: Tentativa de trazer a literatura monográfica para mais perto das discussões sobre o fascismo em geral e de apresentá-lo de uma forma que leve em conta suas variações e sua complexidade... + na Saraiva

5 - Fascistas, de Michael Mann: Quem eram os fascistas, de onde vieram, quais eram suas motivações, seus valores e como chegaram ao poder? Mann analisa o surgimento na Europa de regimes autoritários de extrema direita após a Primeira Guerra Mundial... + na Saraiva

6 - Ideias e Práticas Fascistas no Brasil, de Natalia dos Reis Cruz: O surgimento da Ação Integralista Brasileira deve ser relacionado ao conjunto de fatores sociais, econômicos, políticos e culturais que marcou o período. A conjugação entre a crise econômica mundial – com reflexos sobre o Brasil –, o descrédito no liberalismo político e econômico, a ascensão das camadas populares simultaneamente... + na Saraiva

7 - O Panorama do Fascismo, de Oswald de Andrade: O homem e o cavalo e A morta são textos que demonstram as preocupações políticas do escritor... + na Saraiva

8 - A Revoada dos Galinhas Verdes, de Fulvio Abramo: No Brasil, o fascismo já tinha o apoio de váriosjornais e revistas. O Partido Nazista Brasileiro, com quase três mil membros, era já a maior seção nazista fora da Alemanha. Mas o grande candidato a repetir os passos de Mussolini no Brasil era Plinio Salgado e sua Ação Integralista.O momento culminante dos integralistasseria um grande desfile de suas milícias armadas em plena Praça da Sé, em São Paulo. Foi quando anarquistas, trotskistas, comunistas, socialistas, sindicalistas e imigrantes fugidos das ditaduras europeias chegaram à conclusão que era preciso colocar suas diferenças de lado e se juntar para enfrentar a ameaça fascista... + na Saraiva

9 - Ideologias Políticas - Do Liberalismo ao Fascismo, de Andrew Heywood: Quem nunca ouviu falar na revolução socialista na Rússia, em 1917, na ascensão do nazi-fascismo na Alemanha, na década de 1930, ou no governo neoliberal de Margaret Thatcher e Ronald Reagan nos anos 1980? Não há como negar: a política mundial é moldada desde o século XIX pelas várias correntes ideológicas ocidentais... + na Saraiva

10 - As Representações do Fascismo - A Cinematografia Soviética e o Stalinismo, de Diogo Trindade Alves de Carvalho:Para Além Dos Limites Da Velha Sovietologia. Com fim da bipolaridade, o desanuviamento da atmosfera intelectual no âmbito dos estudos sobre a nova Rússia e a antiga União Soviética, além da abertura dos seus arquivos históricos, desvela-se uma realidade complexa e contraditória, irredutível... + na Saraiva

9 comentários:

  1. Engraçado... Não vi o livro The Ideology of Fascism, de A. James Gregor. Talvez ele tenha verdades demais para esta lista. Aposto que vocês nem sabem dizer o que é o fascismo e acusam quem não o é de ser. "Xingue-os do que você é"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concedo um brinde se apontares neste post alguma acusação ;)

      Excluir
  2. Começar a lista com a Tiburi já prejudica todo o resto. Um livro bastante ruim... Intelectualmente desonesto. Com problemas conceituais sérios.

    Por que não indicar o "The Doctrine of Fascism" do próprio Mussolini/Gentile para começar? Não seria o mais honesto? Até porque o PDF se encontra gratuitamente!

    Outro ponto curioso é não encontrar nenhuma indicação aos livros do Renzo De Felice! Se não citam o De Felice, o que esperar do Ernst Nolte... Também não tem. Não vou nem citar o Evola...

    Mas para os incautos que aqui, por qualquer desventura passem, já deixo indicado o livro do Paul E. Gottfried
    "Fascism: The Career of a Concept", além do próprio "The Ideology of Fascism".

    Trabalhem melhor.

    ResponderExcluir
  3. Vejo muitos livros aqui que sao bem parciais qianquao seu conteúdo. Procuro livros que possam me ajudar a entender o conceito político e econômico do fascismo, seja o de mussolini, seja o franquismo, etc. Para estudos. Mas vejo aqui uma parcialidade muito grande para a esquerda. Ou é muita inocência por parte do autor deste artigo, ou vocês são totalmente parciais no assunto. Trágico!

    ResponderExcluir
  4. Colocar o livro da Tiburi em qualquer lista já demonstra a parcialidade da esquerda. O título já diz tudo...

    ResponderExcluir
  5. Tiburi? kkkkkkk Só podes estar brincando com a inteligência de seus leitores, né? Sem comentários...entrei aqui pra procurar alguns livros pra me ajudar num artigo, e olha só...

    ResponderExcluir
  6. Cadê os livros de Stanley Payne? Essa bibliografia´muito fraca

    ResponderExcluir
  7. Marcia tiburi? Só tou vendo autotes comunistas. Cadê hannah Arendt? Scruton?...fala sério, estudar facismo pela visao da esquerda apenas, nao forma nengum senso crítico em nenhuma pessoa. Isso é doutrinação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hannah arendt é boa sugestão, inclusive para desnudar comportamentos de emebelês e bolsonarista, em especial à luz de seu As Origens do Totalitarismo. Mas desconfio que tenhas interpretado a autora de forma equivocada.

      Excluir