10 Momentos memoráveis da Odisseia de Literatura Fantástica

Hoje com mais uma contribuição do Christopher Kastensmidt, ele como um dos organizadores deste grande e belo evento relembra alguns momentos marcantes da Odisseia de Litfan, confira:

*** 

A quarta edição da Odisseia de Literatura Fantástica será realizada entre os dias 10 a 12 de abril em Porto Alegre. Escolher os melhores momentos das primeiras três edições é como tentar escolher o filho preferido: dói o cérebro ao tentar. Mesmo assim, fiz a tarefa e selecionei dez momentos que me marcaram entre tantas belas lembranças deste evento.

1 – O primeiro sábado: Quando planejamos a primeira Odisseia, não tínhamos nenhuma noção do que esperar. Na nossa primeira reunião, adivinhamos que receberíamos um público em torno de 50 ou 100 pessoas para a primeira edição. Realizamos aquele primeiro evento no Memorial do Rio Grande do Sul, nos dias 27 e 28 de abril de 2012. Cesar Augusto Barcellos Guazzelli fez uma palestra de abertura na sexta-feira de noite, e o restante do evento (palestras e exposição de livros) aconteceu no sábado. Aquele dia superou de longe as nossas expectativas. Recebemos cerca de cem profissionais de oito estados (e a Argentina), um público total de quase 500 pessoas ao longo dos dois dias, 30 sessões de autógrafos, 17 editoras e centenas de livros vendidos. Foi um grande sucesso para um evento na sua primeira edição. No final, os organizadores, exaustos porém felizes, aproveitaram para tirar fotos com Sílvio Alexandre, organizador do Fantasticon, evento que inspirou a criação da Odisseia.



















2 – O lançamento de Ouro, Fogo & Megabytes: Um dos grandes lançamentos da primeira edição foi do livro Ouro, Fogo & Megabytes, de Felipe Castilho. O livro chegou recém-impresso da gráfica, e mal conhecíamos Felipe na época. Ninguém tinha noção da relevância futura que este livro ia ter no cenário nacional de literatura infanto-juvenil brasileiro.
Hoje, todo mundo conhece Felipe e sua obra, e no Rio Grande do Sul, os livros dele aparecem cada vez mais nas escolas. Vídeo: Revista Fantástica entrevista Felipe Castilho durante a I Odisseia de Literatura Fantástica.

3 – Bate-papos dos autores e editores: Para fechar a primeira edição da Odisseia, recebemos um grupo de estrelas da literatura fantástica nacional. Primeiro, tivemos o bate-papo “Quero escrever meu livro, quero escrever meu conto”, com Giulia Moon, Douglas MCT, Eddie Van Feu, Rosana Rios e F. Medina. Logo depois foi a vez dos editores, com “Quero publicar meu livro, quero publicar meu conto”, com a participação de Ana Cristina Rodrigues, M. D. Amado, Georgette Silen e Sílvio Alexandre. As palestras lotaram e deixaram o público com gosto de “quero mais” para a segunda edição.

4 – A chegada de Nikelen e Christian: Entre as primeira e segunda edições, Nikelen Witter e Christian David se integraram na organização do evento. A Nikelen tomou controle da exposição, expandindo o número de editoras e acrescentando fã-clubes e outras atrações. Christian aceitou o desafio de organizar um dia infanto-juvenil, que logo virou uma das partes mais importantes do evento.

5 – A abertura de Regina Zilberman: Regina é uma das pesquisadoras de Letras mais respeitadas do país. Na sua palestra de abertura, ela falou da importância de fantasia na formação do jovem leitor e discutiu a série Fronteiras do Universo de Philip Pullman. A afirmação dela foi muito importante para um gênero que, muitas vezes, é descartado pelo mundo acadêmico.

6 – O primeiro dia infanto-juvenil: O dia infanto-juvenil é meu dia predileto do evento. Acredito que temos uma obrigação a cultivar uma cultura de leitura entre as gerações novas, e que a literatura fantástica pode ser uma das nossas maiores armas nesta batalha. Ao soltar a ideia para um dia infanto-juvenil, a gente nem sabia onde começar. Felizmente, Christian David conseguiu chamar treze escolas e cerca de 400 alunos para o evento, superando mais uma vez as nossas expectativas.














7 – A participação dos fã-clubes: Recebemos três fã-clubes na segunda edição, número que acrescentou para quatro na terceira: Whovians-RS, Dracarys, Herdeiros de Sonserina e Blackjack-RS. Durante a terceira edição, organizadoras dos clubes se reuniram para um bate-papo com o público. Os fã-clubes trouxeram outro astral para o evento, e o nosso público se torna mais jovem e entusiasmado a cada ano.

8 – O lançamento de Mil Mortes de César: Considero O Centésimo em Roma, de Max Mallmann, um dos melhores livros a ser lançados na última década,. Por isso, foi uma grande honra receber o lançamento da sua continuação, As Mil Mortes de César, para a terceira edição do evento. Este é outro grande livro, um que certamente terá um longo impacto no mundo literário.

9 – Bando Celta: Mesmo com uma bela palestra de abertura de Tabajara Ruas, gravação ao vivo do Podcast ARGCast e a maior programação de todas as edições até hoje, muitas pessoas comentam que o show da banda Bando Celta foi o momento mais memorável da terceira edição da Odisseia. Foi a primeira vez que recebemos uma apresentação musical durante o evento, e a banda animou todo mundo com seu talento e energia. Foi um final perfeito para os últimos dois dias do evento. Vídeo: Bando Celta toca durante a Odisseia de Literatura Fantástica

10 – A parceria com o Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo: Na terceira edição, recebemos um público de 1.500, três vezes maior que a primeira. Com o evento em pleno crescimento, assinamos um contrato com o Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo (CCCEV). Com esta parceria, o evento terá uma casa nova, e conseguiremos organizar algo maior e melhor para 2015 e além!
10 Momentos memoráveis da Odisseia de Literatura Fantástica 10 Momentos memoráveis da Odisseia de Literatura Fantástica Reviewed by Douglas Eralldo on quarta-feira, abril 01, 2015 Rating: 5

Um comentário

  1. Literalmente Fantástica!! Uma honra, como autora, ter participado de todas as edições!

    ResponderExcluir