10 Considerações sobre A Bandeira do Elefante e da Arara, de Christopher Kastensmidt, ou porque aqui também tem grandes histórias

O Blog Listas Literárias leu A Bandeira do Elefante e da Arara: O Encontro Fortuito, graphic novel de Christopher Kastensmidt e ilustração de Carolina Mylius publicada pela editora Devir. Neste post as 10 considerações sobre o livro:

1 - A Bandeira do Elefante e da Arara nasce do universo ficcional de Christopher Kastensmidt, e este bebe das riquezas nacionais no que diz respeito à lendas e personagens, e talvez aí um dos grandes méritos deste trabalho;

2 - Em O Encontro Fortuito podemos descobrir as bases da aliança entre o escravo Oludara e o aventureiro Gerrard Van Oost, uma relação que nasce de uma verdadeira amizade, e principalmente pelo encontro de dois caráteres dignos, fortes e bem constituídos;

3 - E ao apresentar tais personagens, os mesmos estão num universo fascinante em que a riqueza das cores e das lendas brilham aos olhos criando uma mitologia que bebe em fontes muito próprias e se banham de originalidade ao se apresentar através de uma nova e vigorosa narrativa;

4 - Portanto, A Bandeira do Elefante e da Arara aproveita-se do mundo criado originalmente em "O Encontro Fortuito de Gerrard Van Oost e Oludara", aclamada noveleta do autor, e literalmente ganha vida e cores nesta graphic novel produzida com grande qualidade;















5 - Desta forma é possibilitado aos leitores através da graphic novel, de tanta atenção entre jovens e demais apreciadores, a leitura de um trabalho cuja riqueza se dá por aproveitar de elementos típicos a nossa cultura e apresentá-los numa linguagem contemporânea e agradável, fazendo assim prosperar as riquezas das nossas próprias histórias;

6 - Chega ser interessante que um autor que embora radicado no Brasil há tempos se utilize "do barro" que muitas vezes é renegado pelos próprios brasileiros. O trabalho desta obra está alicerçado na riqueza cultural do nascimento do nosso país, e Christopher Kastensmidt de certa forma retoma uma ideia nacionalista como vista na obra de José de Alencar;















7 - Quanto ao projeto em si, é preciso também elogiar as belas ilustrações de Carolina Mylius, tomadas por movimentos, identidade, e especialmente criatividade, o que a deixa em pé de igualdade com os grandes nomes desta arte;

8 - O mesmo podemos dizer para as cores de Ursula Dorada, que consegue transpor para o papel toda a vividez do colorido exigido pelo universo criado pelo autor, o que acaba resultando em um excelente projeto visual que deleita os olhos por sua imensidade de cores;

9 - E há ainda um ótimo posfácio e material de making of que fazem desta graphic novel uma ótima opção de presente, para amigos, e principalmente, para você mesmo;

10 - Enfim, A Bandeira do Elefante e da Arara é de uma qualidade indiscutível, e certamente está entre as mais importantes publicações no país dos últimos anos, especialmente por valorizar e dar vida às nossas próprias riquezas;



10 Considerações sobre A Bandeira do Elefante e da Arara, de Christopher Kastensmidt, ou porque aqui também tem grandes histórias 10 Considerações sobre A Bandeira do Elefante e da Arara, de Christopher Kastensmidt, ou porque aqui também tem grandes histórias Reviewed by Douglas Eralldo on domingo, março 15, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário