10 Considerações sobre A Primeira História do Mundo, ou porque mistério, crimes e Brasil, são fantásticos...

O Blog Listas Literárias leu A Primeira História do Mundo, de Alberto Mussa, publicado pela Editora Record, e publica neste post suas 10 considerações sobre o livro:

1 - A Primeira História do Mundo, de Alberto Mussa, "disfarçado" de romance policial leva o leitor através de uma trama intrigante e baseada em fatos reais a uma viagem enebriante aos primórdios da história de formação do Brasil e seus fantásticos acontecimentos numa época que europeus e índios dividiam esta terra;

2 - Alberto Mussa, neste livro procura reconstruir através do gênero policial a história do primeiro assassinato no Rio de Janeiro à época em que a cidade possuía poucas centenas de moradores e apenas três ruas, e o faz numa prosa de intensa interação com seu leitor, especialmente os aficionados pela literatura policial, embora o próprio autor revele as diferenças entre sua obra e as canônicas que marcaram o gênero;

3 - Mas além de uma trama policial, o livro é na verdade uma grande viagem ao passado, especialmente pela mitologia existente durante a formação do Brasil, quando da relação entre índios e europeus, numa terra ainda inóspita e cheia de conflitos;

4 - Como literatura policial, o próprio autor confessa o desafio e as dificuldades de se reconstituir a investigação de um crime acontecido há mais de quatrocentos anos, ainda assim, usa de todos os recursos que lhe é possível para teorizar, e encontrar o culpado pela morte do serralheiro Francisco da Costa;

5 - Rico da mitologia indígena brasileira, A Primeira História do Mundo em determinados momentos flerta com o fantástico, graças a seus mitos, lendas e cenários deslumbrantes que servem de pano de fundo para a "investigação" realizada por Mussa;

6 - Como um romance de policial, o livro também apresenta um caso dos mais curiosos, dado pela grande quantidade de suspeitos, quanto pela dificuldade de elementos para auxiliar a "investigação";

7 - Mas acima de tudo, a busca do autor neste livro se dá por sua "verdade mítica", em que ele discorre boa parte sobre a essência humana e a natureza da relação entre homens e mulheres por trás de qualquer conflito, especialmente a capacidade de isto gerar conflitos, disputas, e de estar intrinsecamente ligado à origem de todos os problemas; de certa forma é para o autor a luxúria e a lascívia presente nesta relação a questão elemental que move o mundo, desde a maçã, Adão, e Eva;

8 - Assim, A Primeira História do Mundo é uma leitura que deve satisfazer os mais exigentes leitores, independente de suas preferências de gênero, porque acima de um romance, ou um romance policial, é uma obra que versa sobre questões elementais da natureza e formação humana;

9 - Além disso, sendo um livro claramente identificado aos fãs da literatura policial, para apresentar suas soluções ao misterioso caso, Alberto Mussa recorre a grandes autores do gênero para embasar e justificar sua própria solução do crime;

10 - Enfim, A Primeira História do Mundo, é uma leitura indispensável, que alia muito mistério, intrigas, e um cenário fantástico que reconstrói os primórdios da civilização brasileira;



10 Considerações sobre A Primeira História do Mundo, ou porque mistério, crimes e Brasil, são fantásticos... 10 Considerações sobre A Primeira História do Mundo, ou porque mistério, crimes e Brasil, são fantásticos... Reviewed by Douglas Eralldo on terça-feira, julho 08, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário