10 Considerações sobre Enganos Mortais, ou como uma leitura ser paradoxal...

O Blog Listas Literárias leu Enganos Mortais de Jeferson Menegazzo, e publica nesta lista 10 considerações avaliando o livro. E aqui você pode ganhar 01 exemplar do livro cedido pela autor. 

1 – Enganos Mortais, de Jeferson Menegazzo é um livro paradoxal, nos apresentando de um lado um jovem autor que possui virtudes na escrita, mas que ao mesmo tempo, por causa de uma edição descuidada fica claro que o livro ainda não estava pronto para ser publicado. É sobre estes paradoxos que tentarei abordar nesta avaliação com muita justiça para com o autor, e para com os leitores do blog;

2 – O livro em si pode servir como testemunha de defesa dos críticos da autopublicação, ou das edições sob demanda, graças aos sérios problemas da revisão gramatical, e também do contexto geral da obra, deixando passar erros imperdoáveis em um livro;

3 – Por outro lado, é visível que o autor possui talento e virtudes para escrita, já que o livro não é tedioso, tampouco lento, e está justamente na forma de escrever de Menegazzo o melhor do livro, visto que mesmo com tantos problemas, conseguimos efetuar uma leitura rápida, e especialmente o autor consegue nos instigar a querer avançar até o fim do livro.

4 - Abaixo segue uma das imagens justificando minha crítica sobre a edição do livro. Entendo o autor desconhecer que o Capitólio é o Congresso Americano, e não inglês, mas isso é algo imperdoável a um editor, que no mínimo deveria salvaguardar seu autor tomando cuidado com este tipo de informação em um livro;




















5 – Além disso, é sempre um risco aventurar-se em terras desconhecidas, principalmente escrever sobre determinadas culturas que não compreendemos bem, e justamente por se passar em Londres, e por causa da estranha organização política apresentada no livro, o enredo por si, acaba ficando inverossímil, já que para o leitor sua Londres é composta politicamente como qualquer outra cidade brasileira.

6 – O livro é um thriller policial com bastante influência de autores como Agatha Christie e Conan Doyle, algumas inclusive destacadas no livro;

7 – Dentre outras qualidades do livro, as cenas de ação são movimentadas;

8 – Como trama policial, outra coisa a se comentar é que em todo o caso e seus desenlaces há referências e um pouco mais do mesmo, embora o autor minimize isso com reviravoltas e novas descobertas;

9 – O detetive McQueen, protagonista do livro também atrapalha um pouco, tanto seus parceiros, quanto o próprio leitor, já que desde o início ele sabe de tudo, mas não compartilha, dando a impressão de que ele busca ludibriar quem lê;

10 – Enfim, Enganos Mortais, infelizmente é um livro que talvez não estivesse pronto para ser publicado, exibindo problemas que um editor responsável poderia orientar o autor, que no fim das contas acaba pagando o pato. Mesmo assim, quem se aventurar por suas páginas verá que o autor tem talento na forma de como usar as palavras.


10 Considerações sobre Enganos Mortais, ou como uma leitura ser paradoxal... 10 Considerações sobre Enganos Mortais, ou como uma leitura ser paradoxal... Reviewed by Douglas Eralldo on quinta-feira, janeiro 03, 2013 Rating: 5

Um comentário

  1. Muito interessante a sua análise. Provoca reflexões sobre a auto-publicação... O trecho que você fotografou mostra uma prosa bastante imatura (por exemplo, excesso de adjetivos). Todo original deveria ficar amadurecendo dentro de uma gaveta por um certo tempo, para depois ser lido, relido, corrigido, desbastado e enriquecido (ou até mesmo esquecido).

    ResponderExcluir