10 Considerações sobre Ruas Estranhas, ou como caminhar por lugares bastante diferentes...

1 - Confesso que já na apresentação de George R. R. Martin, e ao passo que fui avançando pelos contos a imagem de fantasia urbana que esperava encontrar no livro foi se desfazendo, e de maneira alguma isto foi algo ruim já que mais que endereços estranhos, saber que o livro me propunha acompanhar detetives (ou algo similar a eles) em algum tipo de investigação envolvendo coisas fantásticas, reais... ou nem tanto, foi de fato uma boa experiência para quem gosta bastante de investigações. E elas ficam bem dinâmicas, quando em meio a criaturas fantásticas como zumbis, bruxas, maldições e fantasmas...

2 - O livro é composto por 16 contos, com uma diversa "fauna" fantástica, sendo que a passagem por cada um deles acaba propiciando o mergulho em distintos universos, e tempo, possibilitando num único livro viajarmos por ilhas tropicais, a ruas estranhas em universos paralelos em sempre se é 3 da manhã, onde circulam criaturas bem intrigantes;

3 - Obviamente, como em qualquer livro de contos haverá aqueles que gostamos menos que aos demais. No meu caso os textos de Charlaine Harris e Gleen Cook não conseguiram prender-me à leitura como os demais;

4 - Dentro de minhas preferências, sem medo algum destacaria como melhor conto do livro "A Dama Grita" de Conn Iggulden, pois o texto possuiu uma narrativa que já te cativa vivência-la desde o primeiro parágrafo, reunindo na trama além de todo o componente fantástico, personagens bem elaborados e peculiares num desfecho que além da surpresa final característica dos contos, trás a tona lembranças de momentos em que a humanidade não pode orgulhar-se de si mesma;

5 - Alias, por ordem, os contos que mais gostei no livro foram: A dama Grita, Coração Faminto, A sombra que Sangra, A águia de Adak, Sem Mistério, Sem Milagre e A Diferença entre um Enigma e Um Mistério;

6 - É no conto Coração Faminto, de Simon R. Green que o leitor encontrará o que talvez a capa instigue: a rua mais estranha e fantástica do livro, com sua peculiaridade de sempre ser 3 da manhã e frequentada pelas criaturas fantásticas, entre eles o detetive particular John Taylor lida com magos, fantasmas e espíritos;

7 - Uma coisa interessante que Ruas Estranhas proporciona é apresentar aos leitores brasileiros o texto de autores que não são muito vistos por estas bandas como Simon R. Green e Joe R. Lansdale. Aliás o texto de ambos me deixaram bastante curioso, principalmente sobre a série Nightshade de Green. 

8 - Entre tantos personagens que surgem no livro aquele que me cativou pelo seu jeito desleixado e bonachão é o Cabo Pop (Opa, chefe!) que protagoniza o conto Águia de Adak, um épico de tempos de guerra, e bebidas alucinógenas; 

9 - Mais uma vez sobre a diversidade dos temas e personagens do livro, isto fica bem presente com os dois protagonistas da trama declaradamente gays, envoltos com seus problemas com zumbis, e bruxas;

10 - Enfim, Ruas Estranhas é um livro composto por tramas diversas, que além da ação, da aventura, e de seus personagens fantásticos, e levado com narrativas carregadas que transportam os leitor para mundos ora mais densos, ora por mais leves, mas sempre envoltos por magia e poder. Para aqueles que não temem fantasmas, monstros, bruxas e criaturas de todo o gênero é uma excelente leitura banhada por sangue, intrigas e maldições;






10 Considerações sobre Ruas Estranhas, ou como caminhar por lugares bastante diferentes... 10 Considerações sobre Ruas Estranhas, ou como caminhar por lugares bastante diferentes... Reviewed by Douglas Eralldo on quinta-feira, junho 14, 2012 Rating: 5

6 comentários

  1. Parece ser incrível!
    Vou ver se consigo na Cia do Livro de minha cidade.
    Bjoks

    ResponderExcluir
  2. Comecei a ler o livro hoje, e li as 2 primeiras histórias, e infelizmente , na minha opnião, acho que deixou muito a desejar. Mas espero que as próximas melhorem :)

    ResponderExcluir
  3. As 2 historias mais bem escritas e mais envolventes são 'Lorde John e a peste de zumbis' ( que pelo nome pode parecer muito comum, mas que acaba surpreendendo) e 'De vermelho, com perolas'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorde John e a peste de zumbis é envolvente?!?!?!
      Desculpa, vou respeitar sua opinião. Mas esse foi o conto que eu mais esperei desde que eu li os títulos no índice do livro e foi que eu mais odiei. O título do conto tem as palavras "Peste de Zumbis" e em momento nenhum houve uma peste de zumbis. O conto fala de fazendas queimadas, aí pula pra um ataque sem sentido nenhum de zumbis e termina com o cacique tirando uma cobra imaginária do ombro do protagonista. Tipo... whatafuck?
      Assim, eu fiquei meio revoltado com o autor Martim desde que eu li o primeiro livro dele, "A Morte da Luz". Eu já li muitos livros, e esse sem dúvida nenhuma foi o pior livro que eu já li na vida.
      E "Ruas Estranhas" deixou MUITO a desejar. Eu esperava contos que me deixassem realmente tensos, como os livros de Stephen King; e isso eu não senti em nenhum dos contos.
      Bom, a opinião é de cada um, devo respeitar.

      Excluir
  4. Excelente análise amigo, estou lendo e ainda não terminei.

    Obrigado pelo texto é bem coerente e preciso.

    ResponderExcluir