10 Considerações sobre O Cavalo e seu Menino, ou como, meninos, meninas e cavalos falantes em uma jornada épica são imperdíveis...

1 - A junção de cavalos falantes, meninos e meninas aventureiras, em terras ermas e fantástica, o que mais pode esperar o leitor? O cavalo e seu menino, reúne o que há de melhor quando se trata de aventura;

2 - Pela ordem de preferência do autor, é o terceiro livro, e talvez por já estarmos ambientado a Nárnia e suas terras vizinhas, podemos entrar de cabeça nesta história, hipnotizados pela jornada do herói, neste caso o jovem shasta;

3 - O enredo se passa na época de ouro em Nárnia, durante o primeiro reinado dos quatro reis, que aqui surgem apenas como coadjuvantes da história;

4 - Shasta, em fuga com Bri, um cavalo falante pretensioso, se joga numa grande jornada, com muitas reviravoltas até mesmo sobre o jovem Shasta, que em meio a fuga ainda encontra Aravis uma tarcaína muito valente e esperta, e a égua narniana Huin;

5 - O livro de seu começo ao fim está repleto de ação, seja durante a fuga, ou então nas batalhas, [até agora, o livro que encontramos mais lutas] e ao passo que os personagens crescem, e também evoluem durante a jornada;

6 - Em o Cavalo e se Menino podemos ver também a reunião de tudo que deve [ou deveria] ter nos melhores contos de fadas e fantasia, por mais clichê que seja. Reis rotundos, príncipes irresponsáveis, ou totalmente insanos, guerras, conflitos, superação e surpresas de ultima hora, e obviamente revelações, pois nos contos de fadas, o a mais humilde dos homens podem superar desafios, e conquistar o impensável ;

7 - Quem for ler C. S. Lewis tem de estar certo, que irá encontrar referências católicas. E talvez neste livro, usa o autor fortemente ao longo de toda a saga sem que esteja perceptível aos seus olhos, e quando se revela, logo você se lembrará da parábola "Pegadas na Areia", e você se perguntara, se ele não podia ter sido menos explícito;  

8 - Como em todo conto de fadas, e nas fábulas, o livro está recheado com aquele típico "moral da história", em muitos casos ensinando a humildade, e a perseverança, e sabem de uma coisa, este tipo de escrita é muito importante, principalmente porque por ela se iniciam muitos jovens, e a eles sempre será bom começar com bons exemplos;

9 - Dos três livros que já devoreis, este está entre meus preferidos, até mesmo por que tem um dos finais mais carregado no humor, e isso sempre ganha pontos com este leitor

10 - Enfim. Só posso dizer, que é uma leitura imperdível. Embora isso soe um tanto óbvio.

***
Estou lendo o volume único de As Crônicas de Nárnia, porém resolvi ir postando as considerações a cada livro que o compõe, e no final uma resenha reunindo toda a obra, onde também será colocado o gráfico de avaliação; 

Resenhas da série:
- O Sobrinho do Mago;
- O Leão, a Feiticeira, o Guarda-roupa;

10 Considerações sobre O Cavalo e seu Menino, ou como, meninos, meninas e cavalos falantes em uma jornada épica são imperdíveis... 10 Considerações sobre O Cavalo e seu Menino, ou como, meninos, meninas e cavalos falantes em uma jornada épica são imperdíveis... Reviewed by Douglas Eralldo on terça-feira, fevereiro 14, 2012 Rating: 5

5 comentários

  1. Amo lêr, mas o meu tempo é tão pouco!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. "O Cavalo e seu Menino" é um dos meus livros favoritos das Crônicas(isso de não for O preferido), apesar de não ter "cameos" nos outros livros da saga, sendo praticamente uma história fechada. "As Crônicas de Nárnia" são uma leitura meio mágica...Apesar da história ser bem voltada ao público infantil, tem alguma coisa ali que me faz grudar nos livros e não querer parar mais!xD As mensagens positivas também são ótimas para revigorar o espírito, ^^. É o tipo de leitura que eu recomendaria para todo mundo MESMO (a não ser, é claro, que a pessoa em questão fosse um hater de histórias fantásticas, rss).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você quanto a magia de leitura, e a capacidade que as estórias tem em nos tragar. Até agora, meu preferido é O Cavalo e Seu Menino, por todo o conjunto do livro, e pelos elementos constantes nele.

      Excluir
  3. Excelente análise, amei o livro. Minha única ressalva, no entanto é que as referências que o autor faz não são católicas. Ao contrário de seu grande amigo Tolkien, escritor de O Senhor dos Anéis, C.S. Lewis era protestante anglicano. É até bem interessante a história de sua conversão de ateu para teísta, e depois para cristão. Vale ressaltar também que o autor foi um célebre teólogo, sendo o autor de diversas e renomadas obras sobre o assunto.

    ResponderExcluir