7 Razões para abandonar a leitura de um livro

Por muito tempo esta foi uma questão cara ao blog e a mim: abandonar a leitura de um livro. Na verdade sempre tive problema com isso e a falsa construção de uma ideia quase pecaminosa de que iniciada uma leitura, esta não deveria ser abandonada. O tempo e algumas experiências compartilhadas, contudo, demonstraram que essa é uma questão que não deve ser tratada com radicalismo, afinal, em muitos casos qual o problema de abandonar a leitura de um livro? Listamos nesse post 7 razões para isso:


1 - Falta de conexão: O termo não é lá muito preciso, mas precisamos concordar que a leitura de um livro não se trata de um processo objetivo. A literatura é por excelência o campo das subjetividades e ocorre que muitas vezes ao iniciarmos uma leitura o "match" entre leitor e obra não ocorre. Às vezes insistir um pouco até vale a pena, mas em alguns casos, não tem jeito, a coisa não vai (considera aqui também o momento, por vezes vale apena abandonar num momento e de repente você começa a ler a mesma obra e ama-a). Quando a leitura torna-se um incômodo e a conexão não se cria, abandonar a leitura não é nenhum crime. Mas atenção, falta de conexão não deve significar abandonar porque o que ali está me incomodo ou mesmo confronta minhas próprias ideias e ideologias. Consideramos muito rico a leitura que rompa com qualquer bolha pessoal, aqui mesmo no blog nossas leituras são diversas e não raro lemos autores e obras das quais discordamos, e muito. Em muitos casos, inclusive, elogiamos tais trabalhos e noutros, como é de costume, não vemos problemas em apontar falhas e contradições. Falta de conexão não deve ser desculpa para não ler quem discordo;

2 - Problemas textuais: Essa é uma questão que não ocorre muito com editoras maiores, ainda assim, pode acontecer. Mas para quem lida com blogs e recebe muito material para leitura bem o sabe, como muitas vezes temos o prazer de receber obras incríveis e promissoras, há também muitas obras problemáticas nesse quesito. Antigamente forçávamos a leitura até o fim, entretanto, nos livramos dessa postura, obras com acentuados problemas textuais podem ser abandonadas sem muita dor na consciência. E não estamos falando aqui de casos em que faltou um pouco mais de revisão, mas sim de textos bem mais complicados que isso;

3 - Problemas conceituais: Há obras em que autores são especialistas em gramática, contudo, ao avançar das páginas o leitor vai encontrando problemas conceituais severos, seja de formação intelectual ou erudita do autor, ou mesmo básica de conhecimentos gerais que a despeito do que pretende-se, flertam com o absurdo. Temos pouca paciência com isso, pois a ficção demanda conceitos sólidos. Não se trata aqui de conceitos problematizados ou questionados, mas sim quando por meio de uma falha conceitual o autor apresenta um engano um erro de desconhecimento daquilo que aborda. Achamos isso muito complicado;

4 - Coerência narrativa: Um romance é um tecer de tramas e ideias. É uma espécie de bordado com as palavras que carece e muito de coerência em sua construção. Por isso a revisão de um livro é algo mais complexo que meramente observar a gramática. Em sua versão final, a que chega ao leitor, a obra precisa ter suprimida seus erros de continuidade. Esse é um problema que pode fazer o leitor abandonar a leitor em estágio mais avançado, o que pode ser uma pena a uma obra;

5 - Abandono pit-stop: Esse é um tipo de abandono de leitura temporário. Isso porque muitas vezes e especialmente naquelas obras em que nos deparamos com atitudes experimentais, o leitor pode demandar um momento específico e especial para sua leitura. Ocorre que especialmente nas obras mais conceituais a exigência ao leitor é maior, por isso consideramos que nesses casos nem sempre é bom conselho iniciar imediatamente ou quando não nos disponibilizaremos com a máxima atenção para o experimento. Por isso abandonar momentaneamente a leituras é mais do que recomendável, pois se concederá ao abandonado a maior atenção possível;

6 - Ressaca literária: Em 2022 passamos, ou temos passado por esse processo. A ressaca literária é algo que não está muito no leitor, mas convenhamos, é uma razão, senão, uma das principais que pode levar o leitor a abandonar a leitura de livros. Muitas vezes até tentamos, contudo, as páginas não avançam, cada linha parece o caminhar num campo de areia movediça. Da lista é uma das razões que não está na obra, mas sim no leitor;

7 - O livro é ruim: E não tem jeito, tem livro que é ruim mesmo. Na faculdade meio que fiquei de caras com uma professora que dizia sem medo que não lia livros ruins. Isso para mim é um incômodo porque se nos dedicamos àquilo que já é conhecido como despertar para novas obras? Não dá pra definir que uma obra é ruim por ser desconhecida, por seus autores estiverem longe do círculo etc. Por isso aqui no blog sempre tivemos a política de receber toda e qualquer obra, pois a leitura é sempre iniciada. Agora o que não nos obrigamos mais é seguir até o final da leitura. Tem livro que por natureza é ruim mesmo, não tem jeito. Nesses casos o leitor não deve se recriminar por abandonar a leitura, afinal, ele tentou. E não custa reforçar que cabe ao autor encantar e seduzir os leitores página a pagina até o final da obra.

1 Comentários

  1. Excelente explanações. Eu sempre tive muita dificuldade em abandonar um livro. Cem anos de solidão do Gabriel Garcia Marquez foi abandonado por mim duas vezes. Dois anos depois voltei a ele, finalizei a leitura e achei sensacional.

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem