Header Ads

10 Maiores taradões da literatura

[Essa lista contém palavrões - siga por sua conta] Na lista de hoje selecionamos homens tipo Professor Raimundo na literatura. Sim, que "só pensam naquilo", para desespero da Dona Bela; Confira nossa lista com os maiores taradões da literatura;

1 - Tyrion Lannister: Anão ardiloso e incapaz de fugir de um bordel e das putas. A vergonha da família em virtude de suas libertinagens [ e algumas paixões]. O fato é que o sexo é constituinte de toda a saga das Crônicas do Gelo e do Fogo, mas sem dúvida alguma o anão é dentre tantos protagonistas o mais pervertido;

2 - O homem parecido com o cara da Bombril: Agora um tarado diferente. Um marcado pela fixação na bunda de Rosebud. Todo O Cheiro do Ralo gira em torno da bunda. O taradão do antiquário não esquece tal bunda, ainda que entregue às abjeções, não faltam punhetas e sexo com balangas do craque;

3 - Christian Grey: Para muitos, talvez um taradão nutella das novas gerações. Mas o fato é que o rapaz gosta dum lesco-lesco diferenciado, sem falar na sua dedicação ao sadomasoquismo e aos acessórios para incrementar a noitada;

4 - Humbert Humbert: Sabe o Tiozão da Sukita que ao chegar a certa idade vai assumindo o clichê de véio taradão ligado nas novinhas? É bem possível que essa imagem tão presente nasça com esse professor, apaixonado por Lolita. A obra, no contexto de hoje, certamente encontraria mais problemas do que já encontrara em sua época;

5 - Suguro: Esse velhinho guarda umas taradices secretas e trata da sexualidade na complexa e exigente cultura japonesa retratado no romance Escândalo. Tem um pouco, inclusive, de autobiográfico que torna a narrativa ainda mais interessante;

6 - Max Califórnia: Obras interessantes são as do escritor Zeka Sixx que narra aventuras sexuais - por vezes abjetas - pela noturna Porto Alegre. Partindo das referências da indústria pornô e a burguesia noturna da capital gaúcha, A era de ouro do pornô e Tudo o que poderíamos ter sido são boas pedidas;

7 - Os 4 libertinos de Sade: Bem, libertinagem e safadeza não é de hoje, e talvez poucos autores a trouxeram tanto à baila quanto Marquês de Sade que legou ao mundo o termo sadismo. Em Os 120 dias de Sodoma, o aristocrata, o religioso, o banqueiro e o juiz se trancam para todas as safadezas enquanto o mundo lá fora está cheio de problemas;

8 - O Professor: Vamos trazer aqui mais um personagem de Lourenço Mutarelli, se bem todos os personagens de Mutarelli são tarados. Esse é um dos tantos duplos de O Grifo de Abdera envoltos com o sexo e os desejos mal resolvidos;

9 - Macunaíma: Na literatura brasileira não nos faltam taradões. Não que esse seja um dos taradões explícitos, mas sua incansável vontade de brincar mostra o quão nosso herói sem nenhum caráter só pensa naquilo;

10 - Macário: Para fechar nossa lista esse personagem de Álvares de Azevedo que faz a noite de Um Drinque No Inferno parecer festinha do jardim. No final da peça. ele ainda é levado pelo Bode Velho a ter o vislumbre doutra noitada em tavernas; 


Nenhum comentário