Header Ads

10 Bons motivos para conhecer Os Pecados de Perséphone

No post de hoje convidamos vocês a conhecer mais um projeto bacana da nossa literatura nacional, uma campanha coletiva que está conquistando leitores e leitoras, confira:

1 - O livro Os Pecados de Pérsephone está sendo publicado por meio de financiamento coletivo no catarse e nos apresenta um belo projeto cuja meta está indo muito bem. Além disso, como vocês sabem, nestas campanhas sempre tem aquelas recompensas legais, além, é claro do próprio livro que possui proposta bem interessante;

2 -  Na obra, em uma sociedade demoníaca, Perséphone comete um crime… e confronta… o Rei de todos os demônios. Nessa perspectiva é que se faz a pergunta, mas enfim, numa sociedade demoníaca, o que seria pecado?

3 - O livro promete ser a sua passagem para uma viagem ao submundo, onde o inferno tem diversos principados, mas nenhum deles poderia preparar Perséphone para seu encontro com o Rei do Submundo. Perséphone sabe que odeia demônios. Sabe que precisa derrotar todos e cada um deles se quiser que a Grande Raiz tenha uma chance de florescer. Precisa dela, afinal, para livrar a humanidade do domínio do inferno. Apesar da clara determinação para que se mantenha submissa para sobreviver, segue então em uma jornada rumo à Capital...

4 - A viagem lhe reserva indescritíveis desafios, enquanto o tempo corre contra humanos e fadas, e o grande Rei parece cada vez mais distante de seu alcance. Perséphone sabe que é apenas uma em meio a um imenso domínio demoníaco. A verdade, porém, é que isso nunca a impediu de lutar;

5 - A autora da obra, Luisa Soresini é graduada em Letras Português na Universidade Federal de São João del-Rei, atualmente atua como professora de inglês e revisora. Escritora, publicou os livros A Filha do Norte – parte 1 (2015), A Filha do Norte – parte 2 (2016), além de dois spin off, A Filha do Norte – E o Pilar do Oeste (2018) e A Filha do Norte – E a Arca do Tempo (2018). Participou das antologias Demontale – as caçadoras do submundo (2015), Por baixo D’Água (2017), Kowai (2018), Academia de heroínas da vida real (2020). Além disso, foi convidada a escrever o prefácio do livro Damas do Império (2016). Para conhecer seu trabalho vale aquela olhada em seu Instagram para acompanhar seus projetos;

6 - Também vale aquela espiada no Insta da editora, a Delirium, — voltada para a busca de histórias e textos criativos, indo do lirismo à loucura, passando pelo lúdico, sempre com ousadia — é uma microeditora carioca, que vem crescendo. Temos no nosso catálogo e no planejamento o intuito de publicar livros ousados e criativos, com temas importantes, sempre com um jeito imaginativo de criar histórias;

7 - Voltando ao livro, a obra é uma jornada fantástica, portanto, nesse submundo de feridas abertas e de vingança. Com isso, a jornada de Perséphone é banhada por sangue e sofrimento, que servem de nutrientes para que a Grande Raiz nasça novamente...

8 - Vale dizer ainda que a obra está inserida no contexto da Inspirium – Sobre Mulheres Inspiradoras, uma vertente da Deli­rium editora totalmente focada na publicação de mulheres, sejam elas as autoras e/ou as protagonistas das histórias. O que procura­mos não se limita a um único gênero; está em toda e qualquer palavra que revele a complexidade que ser mulher guarda. Buscamos textos inspirados e que inspirem. Queremos ajudar a dar voz às mulheres. E queremos que sejam ouvidas, em uma luta íntima e também coletiva por sua liberdade;

9 - Além disso, ao participar do projeto, a sua recompensa está garantida, pois por ser do tipo Flex você receberá a sua recompensa, mesmo se não atingirmos a meta; entretanto, atingir a meta é tão bom, bater a meta garante brindes extras e melhorias especiais no acabamento do livro;


10 - Mas acima de tudo, é a oportunidade de conhecer e colaborar com um promissor projeto da literatura nacional e sua narrativa carregada de elementos interessantes e fantásticos em sua jornada ao submundo e sua trama cheia de alternativas.

Um comentário: