Header Ads

10 “Individualidades” Sobre O Mundo De My Hero Academia

My Hero Academia é uma série de mangás shounem escrita e ilustrada por Kōhei Horikoshi. Para muitos, My Hero Academia não passa de um mangá porradeiro como vários outros por aí, e ele é mesmo. Mas se tem uma coisa em que My Hero Academia se destaca perante a outras obras do mesmo estilo é em como seu mundo é construído, trazendo vários pontos interessantes a se olhar. Por isso hoje aqui no Blog Listas Literárias, em mais uma lista do @jukain20, veremos as 10 “individualidades” sobre o mundo de My Hero Academia. Confira:


1 - Lutas: Por ser um mangá shounem, My Hero Academia tem foco na ação. Mas aqui não é apenas uma ação gratuita, pelo contrário, todas as lutas se encaixam muito bem na história da obra e são muito bem feitas. E muito disso é pela maneira que o universo de My hero Academia foi criado, que é o que falaremos a seguir;

2 - Mundo Super-Humano: Nesta história 80% da humanidade tem algum tipo de poder, as chamadas “individualidades”. Estas individualidades vão desde os mais incríveis poderes, até uma simples mutação genética que te faz nascer com um chifre ou uma cauda, por exemplo. E voltando rapidamente ao tópico sobre as lutas, muito por esta questão da “sociedade sobre-humana” que nos é apresentada que facilita fazer uma boa ação que se encaixe bem na história;

3 - Heróis assalariados: Em My Hero Academia, por 80% da população ter uma individualidade, os super-heróis são basicamente funcionários públicos. Não tem esta história de ser super-herói quem quer, para a sociedade não virar um caos total com todos usando seus poderes livremente; neste universo o uso de suas individualidades para combate é proibido para os civis, e para ser um herói se precisa estudar em “academias de heróis” e de uma licença para agir em público. Os heróis também ganham salários baseados em suas ações, como em qualquer outro emprego;

4 - Símbolo da paz: Um herói que se destaca aos outros é o All Might. Seja em seu design, que é diferente dos outros personagens, ele se assemelha aos quadrinhos americanos, com grandes músculos e sombreamento forte. Mas seu destaque vem principalmente pela sua função neste mundo, onde ele é o “símbolo da paz”. Sendo o herói número um do ranking, e sendo sem dúvida o mais carismático, sempre salvando as pessoas com um sorriso no rosto. O All Might é o principal responsável por dar esperança e segurança as pessoas e por fazer as taxas de criminalidade despencarem radicalmente;

5 - A queda do símbolo (SPOILERS): ATENÇÃO! Para aqueles que ainda não leram, ou estão no início da história e se importam com spoilers, este ponto da lista vai conter alguns. Se o surgimento do All Might gerou várias consequências positivas à sociedade, a sua queda também geraria várias coisas negativas. Após sua luta com o All For One, onde ele vence, mas fica impossibilitado de continuar trabalhando como e herói, e com Izuku Midoriya ainda não estando pronto para lhe suceder como símbolo da paz. Então All Might se aposenta, deixando Endeavor, um herói detestado por muitos, como o novo herói número um, em um Japão agora sem um símbolo da paz. Isso gera um grande impacto social, deixando muitas pessoas com medo de continuarem suas vidas como antes, principalmente pela gigantesca alta nas taxas de criminalidade que não paravam de subir;

6 - Embate de ideais entre os vilões: Uma sociedade repleta de super-heróis também seria repleta de super vilões, e vilões que muitas vezes entram em combate por suas diferenças de ideais. Um exemplo é a Liga dos Vilões, que tem como objetivo impor o caos no mundo; e algumas vezes eles tiveram conflitos com outros vilões. Como Stain, que pretendia acabar com os “falsos heróis” que estavam ali por dinheiro e fama ao invés de por quererem salvar pessoas, deixando vivo apenas o All Might, que seria o único herói verdadeiro segundo o seu ideal distorcido sobre a sociedade. Outro que entrou em combate com a Liga foi o Overhaul, que queria os Yakuzas de volta ao topo do crime japonês a todo custo;

7 - Embate de ideais entre os heróis: Isto também acontece com os heróis, e é algo muito mostrado na UA (academia de heróis), onde vemos aspirantes a heróis com diversas motivações. Midoriya quer salvar as pessoas com um sorriso no rosto igual ao All Might, o Bakugo quer ser o herói mais forte de todos, a Uraraka quer dar uma boa condição de vida aos seus pais, o Iida quer ser um herói que nem seu irmão, entre outros vários motivos que dão uma boa diversidade a história.;

8 - Parada no avanço tecnológico: Para a pessoa que está lendo tranquilamente, é fácil se pensar que My Hero Academia se passa nos dias atuais, mas esta é uma história que se passa alguns anos no futuro. Mas como a sociedade não soube lidar com o número de pessoas com individualidades aumentando cada vez mais, tivemos momentos de caos social, o que interferiu bastante no avanço tecnológico neste mundo;

9 - Fim do crime organizado atual: Mais acima falamos brevemente sobre o personagem Overhaul, que pretendia levantar novamente os Yakuzas. Pois bem, neste universo com o surgimento das individualidades, o crime organizado perdeu o controle e poder que tinha, fazendo grandes grupos criminosos serem praticamente extintos.

10 - Academias de heróis: Por fim, o eixo principal do mangá, a academia de heróis. Na história principal acompanhamos a UA, a academia mais prestigiada do Japão, mas existem várias outras. Estas academias têm o dever de criar as próximas gerações de heróis do mundo, funcionando como um ensino médio para aqueles jovens que pretendem seguir a profissão de herói. É nela que grande parte do mangá se passa, mostrando o convívio dos alunos, os eventos que acontecem nela, e também sobre como eles são atacados e se protegem dos vilões.


Nenhum comentário