Header Ads

10 Razões para ler Lourenço Mutarelli

 Vez por outra aqui no blog trago dicas de autores brasileiros que não podemos deixar escapar a leitura. É o caso do artista múltiplo, Lourenço Mutarelli. Quadrinista premiado, ator, diretor, teatrólogo e bem doidão, Mutarelli escreve uma das mais autênticas vozes da literatura contemporânea. Confira, razões para ler o autor:

1 - Mestre do ordinário: Os romances de Mutarelli partem do mundano, do ordinário. Personagens comuns e lugares comuns que são atravessados de tal modo pela estética do autor, que esse comum ganha um novo e poderoso sentido;

2 - Personagens peculiares: Os personagens do autor, visto seu universo são peculiares e nada nada amaciados. Eles vão fundo nos dramas humanos e na doideira que é a própria existência. No fundo eles destapam aquilo que geralmente se pretende deixa sob as sombras;

3 - Os tabus e as fixações humanas: Isso porque de modo geral são todos seus habitantes, os habitantes do universo mutareliano, marcados pela "prisão da carne", da matéria, dos desejos e das abjeções. Isso faz de sua obra uma fuga dos eufemismos ou das posturas e condutas morais. É uma literatura rebelde como pouco vista nos tempos de hoje;

4 - O homem que gostava do cu [essa palavra com acento ficava bem mais legal]: Dentre as fixações e paranoias do autor, também as obsessões como a de Mutarelli pelo ânus, pelo furico, pelo olho de tundera, fiofó, pelo cu, mesmo. O cu é personagem recorrente em suas narrativas, e isso merece nosso respeito;

5 - Corpos bizarros: Nesta lista pensamos mais em sua literatura, mas seu traço já traz essa coisa do corpo enquanto um pesadelo kafkaniano. O corpo é elemento também importante em suas narrativas, em seu naturalismo radicalizado marcado pela obsessão abjeta das possibilidades desses corpos;

6 - Sátira, humor e deboche: Desconfio que o projeto literário do autor, para além do drama, também está na sátira, no deboche e na provocação à própria literatura. é possível observar como seus romances, embora como diz seus personagens, se repetem, a cada obra parecem flertar ou provocar este ou aquele gênero, o que confere ao seu trabalho um projeto estético que talvez nem todo mundo até agora tenha percebido;

7 - Linguagem e poder semiótico: Tenho pesquisado obras do autor e é impressionante que mesmo aquelas cujos críticos encontram menos qualidade, é possível extrair delas uma grande quantidade de semioses e possibilidades de linhas interpretativas. Seus romances como uma caixa de pandora que de acordo com o olho do leitor pode-se desentocar tudo ou quase tudo;

8 - Literatura sem filtros: Talvez o mais relevante em seu trabalho seja isso, sua literatura não possui filtros. Está ali para por em discussão justamente o incômodo, o não falado;

9 - Sério, sem perder a graça: A bem da verdade suas narrativas são pesadas, discutem coisas pesadas, todavia, o mais interessante e proveitoso que são também leituras divertidas, marcadas por uma ironia de mais de 7 pontos na escala Richter;

10 - Universal: Justamente por adentrar terrenos que os homens escondem, sua narrativa é das mais universais, em que pese suas personagens ordinárias, fedidas a gordura, deprimidas ou fracassadas que podem ser nós, eu você, qualquer um. O autor faz um realismo, mas é um realismo um tanto diferente do que pensamos do termo.     

Nenhum comentário