Header Ads

7 Escritores que testemunharam eventos trágicos

No post de hoje selecionamos 7 escritores que em algum momento da vida acabaram testemunhando eventos trágicos [eventos trágicos aqui verão tratar-se de ocorrências isoladas, pois a lista de autores que testemunharam tragédias coletivas é infinita]. A alguns deles as tragédias parecem ter impactado suas próprias narrativas. Confira:

1 - Nelson Rodrigues: Uma das cenas mais trágicas no universo da literatura brasileira, Rodrigues testemunhou a morte e agonia do irmão, Roberto, assassinado na redação do jornal por Sylvia, exposta em uma crônica falando de seu desquite;

2 - Stephen King: Embora o próprio autor descarte o evento como influência, ainda enquanto criança Steve testemunhou um acidente horrível ao ver uma amigo ficar preso aos trilhos do trem e ser atropelado pelo comboio;

3 - Philip K. Dick: Também testemunhou quando criança uma tragédia destas que ninguém quer presenciar. Uma outra criança acabou morrendo queimada frente aos seus olhos. Há também que fale dos impactos disso nas lembranças do autor;

4 - Érico Veríssimo: Ao andar pela Rua da Praia com seu irmão, o autor testemunhou a queda de uma mulher do alto de um dos edifícios. Dois anos depois disso acabou publicando O resto é silêncio, em que uma mulher se suicida atirando-se de um prédio;

5 - Jorge Amado: Ainda que nesse caso não tenha se levado à morte, testemunhar uma tocaia é testemunhar uma tragédia. Tragédia pessoal e social. Quando criança testemunhou a tocaia que deixou o pai gravemente ferido, evento que lhe serviria de inspiração a Terras do Sem fim;

6 - Glória Vanderbilt: Atriz, designer de moda, autora de livros de não ficção e três romances, a escritora americana em sua vida conturbada a maior das tragédias testemunhada por ela foi o suicídio de um de seus quatro filhos;

7 - Jim Morrison: Musicista e poeta, o autor testemunhou um trágico acidente entre um caminhão e um carro com índios e que teria lhe causado muita impressão de acordo com a biografia Jim Morrison - O poeta xamã; 

Nenhum comentário