Header Ads

10 Livros para ler em quarentena

No post de hoje o escritor Paulo Souza enviou uma lista de leituras para botarmos nossas leituras em dia neste período de recomendação que fiquemos em casa.


***

Em tempos de coronavírus, você vai ter que ficar em casa. Seja por reclusão voluntária, seja por quarentena obrigatória, vai precisar de uma boa companhia para passar o tempo. O Blog Listas Literárias lhe estima muita saúde e uma breve volta à rotina. Enquanto isso, lista aqui 10 livros sobre temáticas relacionadas a pandemias que, periodicamente, afligem o mundo. Boa leitura!

1 – A Peste, de Albert Camus: é o livro do momento na Europa. Nas últimas semanas, por conta do covid-19, o romance entrou nas lista dos mais vendidos do velho continente. O enredo faz alusão à ocupação nazista na Europa, em especial, em Paris. Escrita em 1947, a obra rendeu o Prêmio Nobel ao autor franco-argelino dez anos depois, e até hoje atrai leitores atrás de um dos melhores livros da história do século XX.

2 – Peste e Cólera, Patrick Deville: narra a vida de Alexandre Yersin. Ele foi um médico franco-suíço doutorando de Louis Pasteur, gênio criador da primeira vacina da humanidade, a antirrábica. Em ritmo de romance, o autor conta como o jovem Yersin estudou a tuberculose em seu doutorado e rodou o mundo para experimentos pessoais. Por exemplo, criou uma fazenda de seringueiras made in brazil na Indochina, atual Vietnã. Já mais experiente, voltou a trabalhar com o Instituto Pasteur em Hong Kong, descobrindo a bactéria da peste bulbônica e desenvolvendo a respectiva vacina, tal qual seu professor-orientador. O autor Deville, também francês, tem seus instintos de viajante. Como professor, trabalhou no Oriente Médio, na África e na América Central. Isso pode explicar sua motivação para criar o romance não ficcional da vida de Yersin.

3 – Ensaio sobre a Cegueira, José Saramago: fala de uma pandemia fantástica, uma cegueira que se espalha e passa a afligir homens e mulheres nos momentos mais cotidianos. Os doentes são confinados, momento no qual a natureza e o caráter humanos são postos à prova. Ensaio sobre a Cegueira é leitura obrigatória para qualquer pessoa que queira conhecer o melhor da língua portuguesa.

4 – A Peste das Batatas, de Paulo Sousa: é uma sátira política do Brasil de ontem e de hoje. É um romance nacional muito bem humorado, com personagens pitorescos e muitas metáforas, ora sutis, ora escancaradas. No livro, a misteriosa peste não atinge humanos, mas as batatas que, sem motivo aparente, transformam-se em sal. Para complicar mais a situação, a peste só acontece no Brasil, interrompendo sua proliferação nas fronteiras tupiniquins. O caos que toma conta do país é descrito sob a pele de Omar Salgado, agricultor humilde e endividado, e Jameson Playfair Lindley, professor universitário com devaneios megalômanos. Sem dúvida, para os dias de tédio, o humor inteligente de A Peste das Batatas é uma ótima pedida.

5 – Astérix e a Transitálica: é o 37º álbum do herói gaulês. A história narra como Astérix e Obélix entram na Itália, participam de uma corrida de biga e combatem Coronavírus. Isso mesmo, e olha que o quadrinho foi lançado em 2017! Coincidências que só a arte pode proporcionar. Na ficção, contudo, o Coronavírus é um polêmico “piloto de biga”. A obra, assinada por Jean-Yves Ferri e Didier Conrad, tem sua edição em português feita pela Leya de Portugal. Por isso, infelizmente, seu preço no Brasil pode custar os olhos da cara (sem tocá-los para não contaminar). Você pode importar um exemplar direto da Terrinha e, se tiver sorte, recebe-lo ainda sob reclusão involuntária.

6 – Cidade Febril – Cortiços e Epidemias na Corte Imperial, Sidney Chalhoub: livro do historiador brasileiro que leciona em Harvard. Autor premiado, escreveu em 1996 o livro Cidade Febril – Cortiços e Epidemias na Corte Imperial, que fala da relação dos cientistas responsáveis pelas condições sanitárias com moradores de cortiços no Rio de Janeiro. O autor narra também os efeitos indesejados das decisões oficiais, problemas sobre os quais, frequentemente, os sanitaristas lavavam suas mãos (siga o exemplo hoje em dia!). Esses conflitos se refletem nas atuais políticas públicas de saúde e saneamento. A pesquisa e a fruição do texto renderam ao autor o Prêmio Jabuti de 1997 na categoria Ensaio.

7 – O Decamerão, Giovanni Boccaccio: é um conjunto de histórias florentinas escritas entre 1348 e 1353 por Giovanni Bocaccio. Seu nome une os vocábulos gregos deca (dez) e hemeron (jornadas), pois são dez os narradores das cem narrativas. É uma obra de valor histórico incalculável pois, além de servir de relato sobre a peste negra que então afligia a Europa (e dizimou um terço da população), traz uma ruptura na temática medieval vigente à época e é considerado o primeiro livro realista da história. Suas mais de mil páginas podem assustar, mas tempo é o que não vai faltar nessa clausura imposta na qual nos encontramos. De toda forma, é um dos livros mais importantes da literatura e merece ser lido.

8 – O Véu Pintado, Somerset Maugham: um autor que nasceu em solo francês escreve sobre um famoso médico que vai a Hong Kong durante uma epidemia severa. Já viu uma história parecida? Bem, no caso do livro de Somerset Maugham, a trama ficcional gira ao redor de uma mulher adúltera, um galã inconsequente e um marido traído que se auto exila no interior da China para curar sua dor de cotovelo e, quem sabe, uma epidemia de cólera. O Véu Pintado, lançado originalmente em 1925, é um dos inúmeros livros do britânico Somerset Maugham (ele nasceu na embaixada britânica em Paris), que também escreveu peças de teatro e novelas que o tornaram famoso na Europa.

9 – Os Olhos da Escuridão, Dean Koontz: escrito em 1981, Os Olhos da Escuridão, de Dean Koontz, traz semelhanças incríveis com a situação atual. No livro, uma estranha doença, meio bactéria, meio fungo, ataca a população mundial. Seu nome? Wuham-400 (a mesma cidade que foi epicentro da pandemia atual). O cientista responsável por desvendar a tão letal doença chama-se Li Chen, nome de um médico que publicou vários estudos sobre o coronavírus, família viral que causa severos danos ao sistema respiratório, como a Severe Acute Respiratory Syndrome (SARS). Finalmente, o autor teve a audácia de escrever que, em 2020, esse vírus se espalharia, causando mortes por todo o mundo. Assustador? Premonitório? Ou uma sorte danada? Leia o livro e tire suas próprias conclusões. .

10 – Os Pestes, de Roald Dahl: na obra, o senhor Peste e a senhora Peste resolvem aprisionar uma família de macaquinhos e obrigá-los a trabalhar em seu circo terrível. Tudo muda quando uma ave africana aparece no quintal dos Pestes e, por ser bilíngue, entende a língua dos macacos. Os Pestes é mais uma das obras de Roald Dahl, famoso por escrever histórias que agradam adultos e crianças, sendo a mais célebre A Fantástica Fábrica de Chocolates. O livro traz ilustrações de Quentin Blake, feitas à mão com charme e humor, um traço que lembra as melhores charges de jornal.

3 comentários:

  1. Adorei as dicas, vou salvar com toda certeza.
    Apesar de não ler tanto livros do gênero eu gosto bastante.

    https://www.amorpelaspaginas.com/

    ResponderExcluir
  2. Adorei as dicas, vou salvar com toda certeza.
    Apesar de não ler tanto livros do gênero eu gosto bastante.

    www.amorpelaspaginas.com/

    ResponderExcluir
  3. Adorei as dicas, vou salvar com toda certeza.
    Apesar de não ler tanto livros do gênero eu gosto bastante.

    https://www.amorpelaspaginas.com/

    ResponderExcluir