Header Ads

10 Grandes escritores a te ajudar compreender comportamentos humanos durante pandemias e crises globais

Estamos vendo todo tipo de postura durante a crise da pandemia do Covid-19, da solidariedade aos nefastos empresários e políticos que querem deixar morrer seus avós, pais, parentes idosos em nome de uma falsa possibilidade de "salvar" a economia. O cenário é de uns lutando no combate ao vírus e espertinhos dando golpes por aí. Mas isso não é novidade, grandes autores têm por meio da literatura nos oferecido análises acerca do comportamento humano em períodos difíceis como uma pandemia. Selecionamos 10, confira:

1 - José Saramago: Grande mestre da literatura capaz de trazer luz aos autoritarismos e totalitarismos humanos, tendo em seu Ensaio sobre a cegueira uma das obras não a falar de uma epidemia, mas sim dos tipos e dos comportamentos que afloram em períodos sombrios;

2 - Albert Camus: O escritor francês e seu livro A peste têm sistematicamente sendo lembrado nestes tempos pandêmicos, sendo que o romance é um dos exemplos a analisar o comportamento social a partir de uma pandemia;

3 - Stephen King: O autor americano é um grande rei das catástrofes e muitas de suas obras tratam do apocalipse humano sobre a terra. Mas acima dos eventos de destruição, no caso de King é possivel acompanhar como os indivíduos comuns acabam lidando com as situações, inclusive os distintos comportamentos que brotam derrubando em grande parte os muros de civilidade;

4 - H. G. Wells: Embora nem sempre lembrado, Guerra dos Mundos com as distinções de trocarmos um vírus mortal por alienígenas, os comportamentos humanos em meio a crise trazem "personagens" reconhecidos independentemente de qual seja crise, inclusive os histéricos atacados pelo medo, como o presidente do Brasil que é tal qual o histérico no livro e no filme que põe em risco a vida do protagonista;

5 - Cormarc MacCarthy: Outro autor a olhar com dureza para os comportamentos humanos em um cenário apocalíptico, caso de seu maior sucesso, A Estrada, num mundo absolutamente degradado e sem qualquer estrutura social;

6 - Ignácio de Loyola Brandão: Para pensarmos numa realidade nacional, um contexto mais próximo, as distopias de Loyola Brandão dão o tom do comportamento nacional em meio a crises enormes, caso de Não verás país nenhum, que embora não uma pandemia viral, o cenário é todo apocalíptico e ideal para um monte de espertalhões e tiranos;

7 - Dean Koontz: O início da pandemia acabou gerando um grande volume de pesquisas no Google pela obra desse autor, também conhecido por sua literatura apocalíptica;

8 - Peter Heller: Ainda que talvez não muito conhecido por aqui, seu Na companhia das estrelas avança alguns degraus trazendo um mundo destruído por uma doença e os novos modelos e contratos sociais em meio a esse cenário desolado. É uma narrativa bem interessante;

9 - Robert Kirkman: O universo de The Walking Dead, nos quadrinhos, na televisão ou nos romances escritos juntos com Jay Banansinga trazem exemplos interessantes dos comportamentos humanos, coletivos e individuais em meio a uma crise global e diante da redução do pacto civilizatório;

10 - Rachel de Queiroz: Olha, a seca tem lá seus efeitos de uma pandemia viral, e nesse sentido, o clássico O Quinze desde a década de trinta nos narra alguns comportamentos nacionais em meio a crises graves. Aliás, a experiência do mundo real cada vez mais nos mostra como a literatura é eficiente ao nos ler.

Nenhum comentário