Header Ads

10 Diferenças entre o livro e o filme: Blade Runner, o caçador de androides

Fazia tempo que não fazia destas listas, mas como dia desses foi dedicado a filme das antigas, no post de hoje selecionamos 10 diferenças entre o livro e o filmes, Androides sonham com ovelhas elétricas, de Philip K. Dick e Blade Runner (1982) dirigido por Ridley Scott, confira:

1 - A questão do título: Bem verdade que é comum alterações de títulos quando das adaptações, embora a percepção é de que de modo geral se procura manter a homonimia entre livro e filme que o adapta. No caso deste dois houve a escolha por mudar o título, o que fez, a partir do sucesso da adaptação com que o título do livro fosse de certa forma eclipsado pelo título do filme. Hoje em dia, publicações como a da Aleph utilizam a duplicidade de Blade Runner: o caçador de androides e Androides sonham com ovelhas elétricas? É praticamente impossível não relacionar a nomenclatura da adaptação ao livro de Dick. Esse claro, é um detalhe para além da produção em si, que como vocês verão, a partir de muitas diferenças conseguiu certa fidelidade ao romance construindo assim uma curiosa relação;

2 -  Nada de esposa: Uma das coisas que Rick Deckard perde no filme em relação ao livro é a esposa. No romance de Dick o "caçador" vive uma relação desgastada com uma esposa animada artificialmente, que a seu modo caracteriza um perfil de mulher presente em algumas narrativas distópicas, e a exemplo de Mildred, de Fahrenheit 451, a esposa de Deckard mostra um tanto alienada e fútil;

3 - Ah, sim, e as ovelhas elétricas?: A questão dos animais elétricos é essencial ao romance. O título, aliás, por mais estranho que possa parecer, tem relação direta com as dúvidas perpetradas pela narrativa quanto à identidade de Deckard. Enquanto caça androides, o policial nutre o desejo de ter um animal de verdade, diferentemente de sua ovelha elétrica. Isso porque nesse futuro distópico praticamente não há mais animais biológicos e quem os possui, por certo guardou uma boa grana. Deckard deseja muito mudar de status conseguindo uma ovelha, e esse desejo move a narrativa, enquanto no filme teremos apenas alguma referência aos animais elétricos, como quando Deckard-Movie segue as pistas numa escama de serpente sintética;

4 - Nada Mercer: No livro também é bastante relevante a filosofia de Mercer, o mercerismo, espécie de religião a partir do mito de Sísifo que molda toda aquela sociedade futura, que no filme também acaba desaparecendo;

5 - E os sintetizadores Penfield: É curioso como as distopias evocam a fuga pela alternativa simulação dos sentimentos, das percepções. No caso de Ovelhas, temos um apetrecho que calibra suas emoções, e que no filme também não teremos referência;

6 - Buster Gente Fina: No romance o personagem ocupa seu espaço a partir de sua onipresença enviando notícias de Marte, até cair na desgraça das revelações de seus segredos. Não aparece no filme, cuja onipresença da mídia surge nos telões de naves que sobrevoam a metrópole, contudo com uma personagem feminina e de traços orientais;

7 - Edifício Bradbury: Uma curiosa referência e homenagem à F.C. no filme é o edifício Bradbury, embora não tenhamos um Building Dick no filme;

8 - Emigre ou Degenere: Esse é um conceito sempre lembrado no livro, pois apenas os párias permanecem na terra, já que a nata humana vive agora em Marte. No filme essa não é uma questão presente;

9 - Guerra Mundial Terminus: Evento histórico no livro, que exerce forte influência nos andamentos da vida na terra. Já no filme, a revolução dos androides, é o conflito em maior evidência;

10 - O elemento da identidade: O filme até que lança suas suspeitas acerca da identidade de Rick Deckard e a possível suspeita de que seja um robô, mas esta desconfiança bastante tênue na película, enquanto no livro ela incorpora-se à aura do romance. No romance esta será uma dúvida eterna e bem mais complexa que o "dilema Capitu". Uma provocação reforçada, como dissemos, pelo título do livro invertendo a pergunta. O fato é que no livro as evidências são  bastante fortes de que Deckard seja também um androide, enquanto no filme, essas dúvidas são pequenas provocações. 

Nenhum comentário