Header Ads

10 Considerações sobre O guia geek de cinema, de Ryan Lambie ou sobre preparar a pipoca

O Blog Listas Literárias leu O guia geek de cinema - 30 filmes de ficção científica que revolucionaram o gênero, de Ryan Lambie publicado pela editora Seoman; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Antes de mais nada, precisamos dizer que o livro tem a alma aqui do Listas Literárias, afinal, o que não faltarão nesta interessante publicação sobre cinema e ficção científica serão curiosas e, por que não, polêmicas listas, afinal, nelas é natural que sintamos falta desta ou daquela obra, ou que então consideremos desnecessária esta ou aquela inclusão. Contudo, creio que este tipo de efeito será bastante reduzido neste volume, pois nele estão presentes filmes que por uma razão ou outra garantiram seus espaços na memória da sétima arte;

2 - Em sentido mais resumido O guia geek de cinema é uma grande lista organizada por Ryan Lambie, um dos editores do site especializado Den of Geek, onde por meio de ensaios enxutos, mas bastante abrangentes abordará a história a construir 30 filmes que considera os mais importantes para a ficção científica construindo uma linha temporal de Méliès a blockbusters como Avatar e os mais recentes filmes de Star Wars. Como um dos atrativos de sua seleção, o fator que utiliza diferentes elementos para elaborar sua seleção, não restringindo-se, por exemplos, apenas aos sucessos de bilheteria, aos bem recepcionados pela crítica, de modo que a lista é composta por diferentes formas de marcar o cinema que encontraram filmes de grandes orçamentos ou mesmo produções independentes;

3 - Mas de modo geral os 30 filmes selecionados por Lambie são bastante reconhecíveis, mesmo não se tratando o leitor/espectador de alguém especializado no gênero visto que na grande maioria estamos falando de algumas obviedades que seriam imprescindível num levantamento desses. Nesse sentido, então, é possível que abordagens sobre filmes como Brazil - o filme, O enigma de outro mundo e Vampiros de Almas soem como novidade ao leitor comum, que não esteja totalmente dentro das discussões do gênero de ficção científica;

4 - Aliás, a publicação é outra forte constatação do quanto este gênero que foi desprezado por algum tempo na literatura, e talvez até de forma mais forte pelo cinema, saiu de um status de gênero menor para tornar-se hoje, talvez o gênero de maior alcance da cultura de massa e que já não apenas a esta atrai atenção, como agora cada vez mais é estudado por pesquisadores e críticos a ponto de ser o gênero em maior evidência neste final de década, especialmente no cinema cujas produções encabeçam as mais procuradas pelos espectadores;

5 - E antes que possamos relacionar tal popularidade pela características escapistas de algumas dessas obras, o livro de Lambie em sua seleção não apenas reforça a diversidade entre estas narrativas, que levam muitas delas para além do simples escapismo, mas também como a ficção científica tem sido capaz de trazer discussões e reflexões não apenas dotadas de crítica social, mas também como seu desenvolvimento e temáticas trabalhadas podem ser analisadas em conjunto do processo social e histórico nesta era moderna;

6 - Tudo isso do que acaba sendo considerada vantagem para grande parte dos leitores, a simplicidade e a dinâmica do texto de Lambie, uma produção, quem sabe de fã para fã, sem o peso como vemos no posfácio da obra da sisudez do texto acadêmico, mas ainda assim, sem deixar de tocar nos pontos relevantes para a discussão e debate;

7 - Além disso, a edição brasileira vem acrescida de uma apresentação de Cláudia Fusco e a Introdução ao gênero, especialmente a partir de uma perspectiva pessoal de Roberto Causo. Na parte final soma-se ainda artigo um tanto apressado de Alfredo Suppia onde fala do gênero e o Brasil listando 16 filmas nacionais de ficção científica;

8 - Dito isto, se você é fã de cinema, mais do que isso, fã de ficção científica, certamente poderá encontrar bons momentos e novas descobertas por trás de filmes, os quais, muitos deles temos certa relação de memória e afeto por estarem presentes em diferentes momentos da nossa vida. Ademais, a natureza eclética desta seleção, além do diálogo que o autor estabelece entre as obras centrais de cada ensaio e outras dezenas de produções que dialogam entre si, narra a história do próprio cinema e os desafios dessa arte, como produção ou então as soluções técnicas que possibilitam a construção da "aura" desta arte;

9 - Mas claro, como dissera antes, justamente por ser amplo o livro, haverá em cada leitor aquela lembrança pessoal que talvez merecesse mais atenção de Lambie, até porque em alguns casos quando escreve sobre sequências de obras já abordadas, fica a sensação de que poderia feito aí alguma substituição. No meu caso, por exemplo, acho que talvez tivesse sido interessante ao menos citar obras como Eu, Robô e Eu Sou a Lenda,  e mais ainda,  O demolidor com Stallone que trás um cenário totalitário ainda mais desafiador que Minority Report, por exemplo. Nesse sentido, um ensaio específico sobre a ficção científica e a era da franquia Marvel talvez merecesse atenção.

10 - Enfim, O guia geek de cinema, embora cumpra o papel de guia, é um pouco mais que isso. Trata-se de um documento da história da ficção científica no cinema, agregado a isso, toda a relação e respeito do autor da relação destas produções com a própria literatura de gênero, lembrada no todo do livro. Um bela jornada por aventuras fantásticas e reflexões pertinentes.





Um comentário:

  1. Eu achei bem legal esse livro essa linguagem que ele que passar para nós fala sobre o cinema e a função científica que é muito fã foram selecionados 30 filmes por Lambie esses filmes são bastante conhecido ele saiu do cinema e foi pro mundo da leitura torna - se um gênero maior alcance da cultura Esse livro me chamou bastante a atenção pelo o Modo que ele conta sobre as Experiência da vida dele Gostei muito.

    ResponderExcluir