Header Ads

10 Considerações sobre Tributo ao sertão, ou sobre o voo da asa branca

O Blog Listas Literárias leu Tributo ao sertão publicado pela Helvetia Edições; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Tributo ao sertão parte da "ideia de colecionar textos de Prosadores e Poetas para a feitura desta importante obra, (e) chegou-se a um diversificado "mosaico" de talento e sensibilidade sobre o Sertão Nordestino de nosso País" organizado e publicado pela editora suíço-brasileira Helvetia Edições. Cabe-nos aqui discutir e analisar se as narrativas presentes cumprem o proposto pela editora;

2 - De imediato podemos dizer que a imagem de "mosaico" retrata bem a fragmentação de formas e estilos presentes no livro. A obra, a bem da verdade, é uma reunião multigênero reunindo do conto ao lirismo da poesia, com espaço para a crônica, ensaio e mesmo uma resenha, toda a produção, claro, tendo como tema o sertão;

3 - Para ampliar sua natureza múltipla, a obra ainda é enriquecida com o componente da fotografia, que no trabalho de Lu Lisboa ilustram a publicação, bem como a capa do livro. Nesse aspecto temos uma questão curiosa pois que parece-me que o trabalho fotográfico acaba suplantando o texto por sua pungência e aridez típica dos sertões. O trabalho em imagens parecem-me os que mais bem caracterizam o sertão dentro da obra;

4 - Nisso adentro a questão que talvez mais tenha chamado-me a atenção para os trabalhos que compõe esta coletânea. Fica a sensação de que em grande parte dos textos a imagem do sertão apresentada nos é um tanto distante das referências que temos. Estou entre aqueles que em termos de literatura discute criticamente "o lugar de fala" pois a natureza dos bons autores está justamente em compreender e entender espaços que não são seus. Aliás, geralmente são os escritores aqueles que não ocupam espaço algum, assim conseguem habitar tantos lugares e coisas. Assim, não é a esta questão a que me refiro, independentemente de onde esteja a pessoa ou quanto tempo ela esteja distante, sempre se pode chegar a uma aproximação do espaço, entretanto, em boa parte das publicações do livro, tal distância acabou não sendo vencida;

5 - Entretanto não significa dizer que não tenhamos encontrados boa matéria literária em muitos textos aqui presentes. No caso dos contos, por exemplo, em "A colheita" de Cecy Barbosa Campos encontramos boa dose de literalidade numa narrativa com pinceladas do naturalismo sempre presente na literatura nacional tendo o ambiente ligação direta com as tragédias humanas;

6 - Outro ótimo conto pertencente à publicação é "Destempo" de Elsa Dorotéa Lopes, com sua narrativa melódica, bastante digna da contação de estórias e com certa alma roseana em sua escrita. É das narrativas a que reúna talvez melhor exemplo da alma sertaneja presente em nossas referências e imaginário.

7 - Aos já citados, destacaria ainda "Asa Branca" de Melchiades Montenegro que revisita a canção de Luiz Gonzaga produzindo um conto cuja estrutura estética é bem interessante em sua construção apenas por diálogos e também "O vestido de lurex", de Neca Machado em que memórias, objetos e espaço são trabalhados com autoridade e beleza;

8 - Quanto aos integrantes líricos na coletânea teremos maior regularidade estética e talvez maior aproximação com nossas referências de sertão, caso do poema "Toda gente é sertão" de Maria Beatriz Gonçalves que carrega o sentimento presente em Guimarães Rosa de toda a amplitude do sertão, algo para além do espaço geográfico;

9 - Contos e poemas predominam na publicação, mas a qual reunirá ainda bom número de crônicas, estas talvez mais superficiais e distantes do sertão. Além delas, teremos ensaios, uma ótima resenha tratando do marranismo e o sertão, além de um interessante texto acerca dos campos de concentração criados durante as primeiras décadas do Século XX no Ceará em virtude das secas;

10 - Enfim, Tributo ao sertão é uma publicação diversa, com textos embora tratando do mesmo tema, com suas diferenças e singularidades. Embora, como dissemos, alguns dos textos mantenham-se distantes de nossas principais referências de sertão ou então carreguem certa visão burguesa ou de partes mais elitistas deste espaço, outros conseguirão penetrar a alma mítica do sertão, com diferentes gradações de sucesso.

   

Nenhum comentário