Header Ads

10 Considerações sobre A argumentação no discurso, de Ruth Amossy

O Blog Listas Literárias leu A argumentação no discurso, de Ruth Amossy, publicado pela editora Contexto; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Publicação voltada ao perfil acadêmico - mas não restrita a ele -, A argumentação no discurso apresenta-nos sólido trabalho em que a partir das teorias do discurso procura observar um elemento especifico deste, ou seja o argumento e seu funcionamento nas práticas discursivas;

2 - Para tanto, a autora parte de que "o uso da palavra está necessariamente, ligado, à questão da eficácia. Visando uma multidão indistinta, a um grupo definido ou a um auditório privilegiado, o discurso procura sempre produzir um impacto sobre seu público. Esforça-se frequentemente, para fazê-lo aderir a uma tese: ele possui, então uma visada argumentativa". Assim a autora inicia o prefácio de sua publicação observando "o estudo da argumentação como parte integrante da análise do discurso";

3 - Nesse sentido de que a argumentação integra o discurso, Amossy diz que "compreende-se, então, a tarefa assumida pela análise dita retórica ou argumentativa: ela estuda as modalidades múltiplas e complexas da ação e da interação linguageiras. Desse modo ela reivindica seu lugar não somente nas ciências da comunicação, mas também no seio de uma linguística do discurso, compreendida em sentido amplo como um feixe de disciplinas que se propõem a analisar o uso que se faz da linguagem em situações concretas", noção corroborada pelo próprio trabalho cujo estudo e analise faz uso de discursos concretos, em grande parte das atividades políticas e públicas, para demonstrar as aplicações de suas teorias;

4 - Isto dito, a publicação divide-se então em quatro grandes partes: O dispositivo de enunciação; Os fundamentos da argumentação; As vias do logos e do pathos; e Os gêneros do discurso. Além de conter nas extremidades deste miolo a introdução e a conclusão acerca das discussões apresentadas na obra;

5 -  Somada a alguns elementos constante no prefácio, a introdução da publicação nos apresenta o registro das diferentes vertentes e fundamentações teóricas referentes a questão do discurso, partindo desde a retórica aos pensadores contemporâneos e as perspectivas diferentes que surgem neste campo de pesquisa, de modo que permite ao leitor um bom apanhado crítico e histórico do desenvolvimento da análise do discurso. A partir dessa introdução, Amossy então toma "como objeto a "argumentação" com a seguinte definição: os meios verbais que uma instância de locução utiliza para agir sobre seus alocutários, tentando fazê-los aderir a uma tese, modificar ou reforçar as representações e as opiniões que ela lhes oferece, ou simplesmente orientar suas maneiras de ver, ou de suscitar questionamento sobre um dado problema";

6 - Na primeira parte observando o dispositivo de enunciação, a autora trata da adaptação do auditório que segundo ela "vê-se, então, que a construção do auditório no discurso pode manifestar-se como técnica argumentativa. Trata-se de fazer o alocutário aderir a uma tese ou adotar um comportamento por se identificar a uma imagem de si que lhe é agradável. Se essa estratégia se expõe em geral aos riscos da sedução ou da demagogia, ela não é em si negativa. Ela pretende influenciar propondo ao parceiro aderir a imagem de sua própria pessoa que lhe é proposta".  Nesta parte ainda Amossy fala do ethos discursivo ou a encenação do orador que segundo ela "está, então, associada à questão da construção de uma identidade que permite, ao mesmo tempo, criar uma relação nova para si e para outro";

7 -   Na segunda parte quando trata dos fundamentos da argumentação a autora trata de diferentes questões do discurso, isto de Aristóteles a Perelman discutindo elementos como o topoi, a doxa e outros elementos da retórica trabalhados e diferentes perspectivas teóricas. Amossy também trata nesta parte dos esquemas argumentativos no discurso , segundo ela "se o esquema argumentativo é redutor, na medida em que exclui os elementos discursivos que dão à troca o seu sentido e a sua força, ele não deixa de ser, todavia, um componente essencial do texto";

8  - Na terceira parte, a autora procura discutir as vias do logos e da pathos por meio da observação de elementos de pragmática para uma análise argumentativa em que discorre, por exemplo, de elementos como o não dito ou implícito, os conectores, os ditos, etc... debate ainda o pathos ou o papel das emoções na argumentação, como refletir sobre as imbricações do logos e do pathos no discurso observando que "os diferentes elementos emocionais e racionais são tecidos na mesma trama discursiva, e, por isso, são inseparáveis" tratando de uma escrita de Duras. Nesta parte a autora ainda dedicou-se a debater a relevância das figuras, entre logos e pathos;

9 - Na quarta parte da publicação a autora dedicou-se aos inúmeros gêneros do discurso, reforçando nisso de que "a argumentação depende diretamente do quadro discursivo no qual ela se desenvolve", buscando ela mais uma vez reforçar-se de exemplos do discurso na política. Por fim a autora então parte para suas conclusões dizendo que "estudar a argumentação no discurso é explorar a maneira pela qual a palavra oral ou escrita age sobre o outro, ora levando-o a tomar uma posição, ora orientando sua visão do real; e formular a hipótese de que toda fala busca, deliberadamente ou não, te peso e influência sobre o alocutário. A argumentação [então] não é um tipo de discurso entre outros: ela faz parte integrante do discurso..." Ainda segundo Amossy "a argumentação no discurso permite estudar a argumentação em língua natural, da qual toma formas de que a lógica não dá conta";

10 - Enfim, A argumentação no discurso, para além das próprias teorias propostas pela autora, especialmente para o que diz respeito sobre as questões argumentativas, é boa forma de introdução às principais discussões relativas à análise do discurso, fértil campo para estudos linguísticos. Ademais, a perspectiva ampla usada na obra de Amossy além de discutir as posições diversas relativas ao discurso, penetra ainda em sua relação com a literatura, que possibilita novas compreensões dessa relação. É portanto uma ótima obra para estudantes acadêmicos ou leitores curiosos que procuram compreender o poder do discurso e sua presença em nosso cotidiano.






Nenhum comentário