Header Ads

10 Escritores famosos e seus "complexos"

Quem habitualmente acompanha um e outro autor consegue perceber que em muitos casos eles acabam repetindo ou sempre trazendo um elemento constante a suas obras, que aqui, carinhosamente chamaremos de "complexos" e que não traduzem o essencial de seus trabalhos, mas que levantam nossa curiosidade. Confira:

1 - Edgar Allan Poe e as paredes: Em alguns contos de Poe ele repete a dose de emparedar suas mulheres mortas e também malditos gatos pretos que não podem deixar uma alma atormentada em paz;

2 - Stephen King e os acidentes de carro: Logicamente não queremos aqui misturar nada, mas é sabido que acidentes marcaram a vida de King, e o detalhe curioso é que muitos de seus livros contam com acidentes de carros bastante dramáticos narrados vividamente, sem falar é claro, no próprio Christine, o carro assassino;

3 - José J. Veiga e os relógios: O tempo - e os relógios - surgem muitas vezes nas narrativas fantásticas deste autor brasileiro, como o relógio da igreja em A Hora dos Ruminantes e o próprio livro O Relógio de Belizário;

4 - Ken Follet e o lesbianismo: Não importa a época em que o autor queira passar suas pretensas narrativas históricas, o fato é que no meio de uma cena ou outra o autor irá inserir uma cena lésbica, geralmente como propósitos fetichistas-masculinos;

5 - Agatha Christie e os venenos: Há muitas formas com que se matar pessoas, contudo para a rainha do crime a forma predileta e que esta entre as mais recorrentes é o envenenamento, inclusive rendendo o belo título Um Brinde de Cianureto;

6 - Murilo Rubião e os edifícios: Muitos, e alguns dos melhores contos do autor tem na arquitetura e na estranheza dos edifícios uma temática sempre presente com prédios com populações estranhas ou que nunca terminam;

7 - Douglas Adams e a burocracia: Se há algo que o autor destila toda a sua raiva é contra a burocracia e os burocratas, algo que faz com seu tradicional e irreverente humor presente em suas obras;

8 - Dan Brown e os códigos: Não importa se dos antigos ou se das novidades digitais, para o escritor americano o que não pode faltar em sua vida são códigos e mais códigos, e tendo-os é o que lhe basta para começar contar suas histórias;

9 - Gayle Forman e a arte: No universo da autora quase todo mundo é artista ou tem alguma relação com a arte e a cultura, especialmente a música como se a vida fosse sempre um grande musical;

10 - José Eduardo Agualusa e os animais:  Um dos romancistas contemporâneos bastante aceito pela crítica tem uma peculiaridade em sua narrativa que é a constante presença de animais ligados de alguma forma a suas personagens.

Nenhum comentário