Header Ads

10 Considerações sobre Fraude Legítima, de E. Lockhart ou como descobrir a realidade

O Blog Listas Literárias leu as provas antecipadas de Fraude Legítima, de E. Lockhart que será lançado pela editora Seguinte; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo, sobre o livro:

1 - Novo livro de E. Lockhart, Fraude Legítima reforça o talento narrativo desta autora que dentre as vozes contemporâneas consegue trazer alguma surpresa com trabalhos que não pecam quanto entretenimento quanto nos compromissos literários, pois em suas obras somos sempre intrigados pelo caráter fosco de suas tramas e pelas personagens complexas que consegue unir a linguagem moderna aos compromissos estéticos literários;

2 - A estética, aliás, neste romance é um grande destaque ao nos colocar diante de um thriller narrado como nenhum outro thriller, com sua narração-rewind temos inicialmente o fato, contudo ao invés da investigação ser feita avançando no tempo é justamente pela regressão temporal da narração que o (s) crime (s) relacionados a Jule vão sendo expostos de forma gradual que a cada capítulo constrói o todo dos acontecimentos. Além disso, essa narração regressiva nos provoca uma espécie de "prova dos três" da questão do revólver de Tcheckhov, que no caso desse livro  partimos "das armas usadas" para o seu primeiro aparecimento;

3 - Mas além do fato muito interessante da narração-rewind, a ela soma-se as peculiaridades da provável narradora que embora onisciente é bastante seletiva e por vezes mistura-se à voz das personagens, bem como a própria natureza complexa e obscura de suas protagonistas que coloca tudo em suspeição, inclusive esgarçando os limites entre o real e a fantasia psicótica;

4 - É que temos na trama vozes bastante fortes, peculiares e de identidade própria, mas que intencionalmente para os acontecimentos da narrativa aos misturarem-se em meio ao processo de "fraude", ao final temos plantada a dúvida sobre quem são de fato Jule West Williams e Imogen Sokoloff;

5 - Para além destas questões estruturais e estéticas, temos então uma mescla entre thriller juvenil e feminino, destes que ganharam destaque em obras como A Garota no Trem, e embora essa aproximação, reforço ainda a distinção de Fraude Legítima de tais publicações, cuja aproximação refere-se apenas aos acontecimentos criminosos, ao ritmo e a participação feminina forte na narrativa;

6 - Aliás, Fraude Legítima possui uma pegada feminista bem forte e ativa, e ainda que possamos discutir que de forma isso se dá, temos na protagonista anti-heroica Jule a busca pela afirmação de identidade e de gênero, mas acima de tudo a luta por ser o próprio centro de sua narrativa de modo que as visões que daí saltam das páginas interligam mundo e personagem;

7 - Além da força feminina, já marcante na obra de E. Lockhart, outras de suas características estão presentes neste novo lançamento, entre elas a dubiedade da narrativa capaz de deixar o leitor tanto atento quanto desconfiado do que se narra e do que se passa, de modo que somos provocados e estimulados para olhar além das palavras transcritas para o papel porque a escrita da autora, nesse romance mais do que nunca, forma um mosaico de mistérios e reflexões que o levam para além do entretenimento;

8 - No mesmo sentido, a autora assim como em Mentirosos volta ao universo das grandes fortunas e para as águas da simbólica Martha's Vineyard e insere nestes recantos burgueses alguns pontos de inflexões e reflexões e dá um tratamento ao movimento do dinheiro, que no caso de Fraude Legítima servirá de ferramenta para capitalizar o movimento das personagens em meio a suas vidas montadas;

9 - Mas acima de seus crimes e suas personagens Fraude Legítima vai propor um intenso jogo de ilusões através de sua estética que nos conduz vorazmente ao mesmo tempo que nos surpreende com uma forma nova de revelar. Além disso o livro nos leva por um caminho sombrio que contrasta fortemente com a ambientação luminosa de seus cenários;

10 - Enfim, Fraude Legítima é uma gostosa preciosidade, séria e interessante como poucas obras contemporâneas podem ser de um modo que tanto trama quanto estética trazem valores que agradarão não só ao grande público mas também os mais exigentes leitores demonstrando que mesmo em publicações de massa é possível construir qualidade literária. 



Nenhum comentário