Header Ads

10 Livros brasileiros para refletir sobre corrupção

Não se fala noutra coisa no país recentemente: corrupção. Nas ruas, botecos, nos lares os brasileiros parecem estar num divã para tentar refletir sobre a corrupção nacional. Por isso selecionamos 10 livros que podem contribuir essa reflexão, confira: 

1 - Não Verás País Nenhum, de Ignácio Loyola de Brandão: Para quem acha que corrupção começou ontem, essa distopia brasileira dos anos 80 bastante impactada pelo regime militar é um dos cenários mais devastadores do país, num ambiente desolado em que a corrupção é sistêmica e abrange a todos os habitantes num governo em que o Estado transformou-se em "Esquema" e que a corrupção é uma das poucas formas de sobrevivência

2 - Incidente em Antares, de Érico Veríssimo: Além de traçar um longo arco sobre a história brasileira, e, claro, os diversos escândalos de corrupção, o livro ainda traz as denúncias de Cícero Branco, o morto-vivo que aponta o dedo para a sociedade e expõe as vísceras da hipocrisia de Antares, em alegoria a toda sociedade;

3 - Os Ratos, de Dyonélio Machado: Uma das primeiras obras urbanas do Brasil, neste romance temos já a ineficácia do poder público, mas acima de tudo a corrupção do indivíduo que entre sobrevivência e apatia como é o caso de Naziazeno a corrupção e as formas não ortodoxas de ganhar dinheiro são as preferências dos personagens;

4 - Descobri Que Estava Morto, de J. P. Cuenca: Especulação imobiliária e a corrupção pré copa são o pano de fundo desta obra singular do autor, em que, inclusive, uma camionete com o adesivo do PMDB simboliza o perigo disso tudo;

5 - Sobre Caçadores, Vigaristas e Banqueiros Suíços, de J. C. de Toledo Hungaro: O autor é referência em thrillers econômicos e conhece bem o sistema financeiro que neste romance retrata o funcionamento deste capitalismo selvagem, que aqui no Brasil, como podemos observar tem sido levado ao extremo;

6 - Memórias de Um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida: Clássico da literatura brasileira é obra necessária para compreensão da "malandragem nacional" através de seu protagonista, Leonardo Pataca;

7 - Oeste: A Guerra do Jogo do Bicho, de Alexandre Padilha: Neste thriller fantástico e um dos melhores do gênero no país demonstra através da guerra pelas bancas de jogo do bicho como a corrupção estatal funciona aliada ao submundo;

8 - Depois do Fim, de Alex Bezerra de Menezes: É um romance bastante interessante para observar os diversos processos de corrupção, tanto ao fundo do romance através do contexto social e histórico a que está inserido, como na constituição de seu protagonista que reflete parte de nossa sociedade, talvez grande parte;

9 - Sombras de Reis Barbudos, de José J. Veiga:  Há neste romance de Veiga escrito como alegoria ao regime militar uma série de corrupções discutidas na obra, inclusive a corrupção de valores humanos que permitem a muitos de seus personagens aderirem a governos autoritários;

10 - Carta de Caminha: E aqui abrimos espaço para este documento que está anexado ao cânone literário nacional em que depois de sua longa, ufanista e propagandista argumentação Pero Vaz encerra de uma forma que parece que marcaria a nação para todo o sempre, pedindo uma vantagem ao rei.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Puxa, que grata coincidência, acabei de baixar o digital (Não Verás País Nenhum) para ler no kindle! Muito bom! Abraços,
    Drica.

    ResponderExcluir