10 Considerações sobre Tudo e Todas as Coisas, de Nicola Yoon ou porque de "boas intenções" o inferno está cheio

O Blog Listas Literárias leu Tudo e Todas as Coisas,de Nicola Yoon publicado pela editora Novo Conceito; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro, confira:

1 - Tudo e Todas as Coisas é uma leitura cativante e envolvente que faz jus às boas histórias de amor, num romance de cara e espírito jovem que certamente poderá conquistar seus leitores;

2 - É que na verdade a história de Maddy e Olly não deixa de ser um clássico conto de fadas moderno, sem a necessidade de príncipes e princesas literais; contudo a estrutura do romance em que nos apresenta "a donzela" aprisionada em sua bolha por causa de uma doença e seu sagaz "príncipe" que senão vindo num cavalo branco para salvar a moça, é ótimo em le parkour, congregam os principais elementos deste gênero tão antigo e consolidado entre leitores;

3 - Assim, está presente na obra uma série de elementos dos contos de fada, como o antagonismo que inesperadamente pode revelar-se perverso, mas essencialmente a busca pela liberdade que no caso chega através de toda a vitalidade do amor que inicia rompimentos com estruturas estabelecidas e serve como combustível para novas jornadas. Portanto, não deixa de ser uma obra sobre a força do amor, mas que não vejo como piegas como pode parecer em alguns casos. Na questão do livro, esse amor se tornará essencial no sentido de transformar-se numa janela de possibilidades e que só assim poderá revelar à Maddy alguma luz, numa realidade que lhe é tão sombria;

4 - Além disso, ainda que não explicitamente, o livro fala sobre valores da vida, e principalmente sobre o que é realmente viver. Madeline sempre esteve viva, por exemplo, entretanto, a obra mostrara que alguns viveres ganham nova dimensão ao passo que passamos a compreender o restante de tudo e de todas as coisas. É mais ou menos dizer que as coisas tomam novo tamanho quando se pode sair de sua bolha e observar o quão grande é o mundo;

5 - Da mesma forma, esta é uma obra rica em influências e referências em que muitas dificilmente passarão despercebidas dos leitores, especialmente quando muitas estão explícitas no texto; Além disso, não tem como não estabelecer ligações entre esta obra e o sucesso A Culpa é das Estrelas, contudo, aqui as coisas são bem mais felizes (mesmo no drama) e esperançosas;

6 - Outro detalhe interessantíssimo da obra é sua linguagem muito jovem e convidativa. Na verdade é algo que tenho notado em muitas obras (principalmente estrangeiras do Young Adult), a invasão de diferentes gêneros textuais na estrutura do romance, criando assim algo novo. Entretanto, essa "invasão" não se trata basicamente de impacto visual, pois desempenham papel fundamental na compreensão e constituição de seus personagens, como é o caso do livro que reúne grafismos, post em redes sociais, e-mails e ilustração que mais do que ilustrar, complementam texto tornando-se integrado a ele, formando um único conjunto;

7 -  Sem falar, que no caso deste romance cheio de ritmo, seus protagonistas são encantadores e lidam de uma forma apaixonada e persistente com seus desejos, projetos e amores, possibilitando num mundo tão distante de bons sentimentos, a fruição de emoção e empatia;

8 - Nesse sentido, não podemos esquecer também que a obra nos mostra as possibilidades do correr risco, do jogar-se. Tudo bem que talvez Maddy estivesse numa situação em que não correr o risco não lhe fosse opção, entretanto, ela poderia optar por isso, poderia escolher jamais sair de sua zona de conforto, mesmo que isso lhe trouxesse perigos e ampliando aquele sentimento perda (e ela não deixa de avaliar isso ao longo dos acontecimentos), contudo se ela, por fim não topasse os riscos, não haveria narrativa, não haveria mundo, porque dentro ou fora de uma bolha de proteção uma coisa é certa: viver será sempre um risco, ainda que possa não parecer;

9 - Também não poderia deixar de falar aqui que os leitores deverão estar preparados a fortes surpresas durante a leitura, e ainda que na primeira parte do livros as pistas sejam muito superficiais que possivelmente sequer as notamos, ao se dirigir para a parte final as sombras da suspeição tomam o livro revelando o impacto de seu antagonismo, algo que não deixará o leitor imune à descoberta;

10 - Enfim, este livro é uma ótima leitura, e caso vocês tenham ficado intrigados com o título deste post, não deixe de ler a obra, creio que sintetiza um bocado coisas que acontecem no romance e põe em discussão uma série de elementos que não poderia abordar aqui sem cometer o pecado dos spoilers.



10 Considerações sobre Tudo e Todas as Coisas, de Nicola Yoon ou porque de "boas intenções" o inferno está cheio 10 Considerações sobre Tudo e Todas as Coisas, de Nicola Yoon ou porque de "boas intenções" o inferno está cheio Reviewed by Douglas Eralldo on sexta-feira, abril 01, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário