10 Considerações sobre Enfrentando o Dragão, de Mark Cheverton ou porque enfrentar os "bullies"

O Blog Listas Literárias leu Enfrentando o Dragão, de Mark Cheverton publicado pela editora Galera Júnior; neste post as 10 considerações de Douglas Eralldo sobre o livro:

1- Enfrentando o Dragão é uma aventura enérgica que certamente irá agradar ao público alvo que se destina, numa batalha por salvar Minecraft cuja ação se dá do princípio ao fim do livro, sem falar das voltas e reviravoltas da trama;

2 - Neste terceiro livro que continua com a saga do usuário-que-não-é-um-usuário para salvar o jogo e voltar para a casa, a batalha contra as criaturas sombrias do Minecraft prossegue, só que neste livro num ritmo muito mais intenso do que os anteriores com lutas e batalhas praticamente em todos os capítulos;

3 - No entanto, vale ressaltar que neste momento da jornada do protagonista já deveríamos vê-lo mais forte e preparado, porém Gameknight mostra-se ainda mais reticente e medroso diante dos desafios, o que por um lado diz respeito à sua humanidade, mesmo assim, diante de tanta coisa já passada por ele no ambiente virtual era de se esperar um "herói" melhor preparado;

4 - Neste terceiro livro vemos também o retorno do autor ao tema bullying de uma forma mais efetiva na narrativa, assim como podemos ver em A Invasão do Mundo da Superfície, só que desta vez através do sofrimento de Pastor e das reminiscências de Gameknight;

5 - Contudo vale discutir algo a respeito do livro que o torna contraditório (e aqui deixo claro que no âmbito de uma leitura crítica e adulta, já que do ponto de vista de seus jovens leitores tudo é muito legal) pois se por um lado o autor apresenta nos três volumes a intenção de discutir o bullying de forma crítica, inclusive, mas porém numa narrativa, em especial neste terceiro livro, estruturada a partir da guerra, e mais do que isso, observando sob uma perspectiva positiva da guerra. Creio que esse é um detalhe que não pode deixar de ser observado;

6 - Mas voltando ao livro em si, importa dizer que ele reúne todos os elementos para cativar o público jovem, especialmente os garotos (embora eu sempre frise que não há livro específico para esta ou aquela idade, ou para este ou aquele gênero, mas sim apenas indicações de público) que muitas vezes são vistos enganosamente com preguiçosos no hábito da leitura. Com aventura e muita ação esta obra acaba lhes sendo muito atrativa;

7 - Além disso, não podemos deixar de observar o quão interessante é essa hibridização de espaços da narrativa, visto que a partir do universo em ambiente do jogo, o autor consegue criar sua trama e discutir seus assuntos de interesse, além é claro de aproximar públicos de diferentes idades;

8 -   Portanto, esse é um livro para pura diversão pois sua história dialoga com os jovens leitores e lhes entrega uma aventura contemporânea (ainda que ancorada em pilares oitentistas) em que o herói cumpre sua jornada enfrentando logicamente uma série de desafios que são cumpridos, mas que mais que isso, apresenta aprendizados que a despeito de suas contradições, podem ser focalizados e muito úteis;

9 - Sem falar que qual de nós nunca desejou entrar dentro do "videogame" e usar armadura, espadas, explodir zumbis, lutar contra gente má, e obviamente, salvar o mundo e de raspão, Minecraft;

10 - Enfim, Enfrentando o Dragão encerra um ciclo da jornada de Gameknight, numa série cheia de aventuras e perigos que além da discussão presente, pode também estimular o letramento e o gosto pelo livros em jovens leitores unindo duas paixões, livros e games.



10 Considerações sobre Enfrentando o Dragão, de Mark Cheverton ou porque enfrentar os "bullies" 10 Considerações sobre Enfrentando o Dragão, de Mark Cheverton ou porque enfrentar os "bullies" Reviewed by Douglas Eralldo on sexta-feira, janeiro 15, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário