10 Considerações sobre Número Zero, de Umberto Eco ou porque não confiar nos jornais

Neste post a avaliação do blog do livro Número Zero, de Umberto Eco publicado pela editora Record. Confira as 10 considerações sobre o livro:

1 - Número Zero é um romance complexo que se envereda por uma série de debates em que o leitor é tragado para dentro da história e completamente envolvido pelas teorias conspiratórias abordadas, de tal forma, que assim como Colonna se rende a Braggadocio, nós também somos envolvidos pela intensa movimentação de Número Zero;

2 - Mas acima de tudo, e de todas as suas conspirações, o livro põe em debate, de de forma bastante crítica, o jornalismo e seu poder, numa espécie de manual que revela as técnicas mais sórdidas dos jornais e que nos impulsionam, inclusive a traçar paralelos ou encontrar similaridades com os meios os quais conhecemos, e assim, Umberto Eco de certa forma faz por meio de seu livro o mesmo que Colonna e a equipe do jornal Amanhã pretendem fazer;

3 - No livro, o leitor também irá se deparar com uma série de personagens bastante peculiares cuja soma de todos seus fracasso os ligará nesta experiência de editar um jornal cheio de más intenções. Além disso, o encontro de tais personagens é o que possibilita o pano de fundo em que o autor faz um desfile pela história recente e com isso atirando ao ar uma série de teorias que vão da Segunda Guerra Mundial a atentados papais;

4 - Além disso, o livro assim como suas personagens é do submundo, criaturas quase que invisíveis, mas que caminham por ruas perigosas. Esse ambiente fora de um eixo natural é responsável pelo tensionamento e densidade da obra;

5 - Mais do que entregar algo, o livro simplesmente revela, e, através de ações e acontecimentos vai expondo ao leitor a intrincada teia do poder e do dinheiro, num mundo em que a corrupção e a chantagem acontecem num jogo de poder movido sempre pelo dinheiro;

6 - Outro detalhe é a discussão que se pode fazer através de Colonna sobre o gerenciamento de carreira e os insucessos na vida, independente do conhecimento tido, sendo que aqui, inclusive há certa pitada crítica à vida acadêmica;

7 - No entanto, embora possa parecer, Número Zero não é um romance policial. É romance, e nesse romance a ação física fica distante das personagens, já que os perigos que lhes ameaçam são muito mais psicológicos, em que em sua narrativa em primeira pessoa, Colonna necessita ficar em estado de alerta enquanto relembra num apartamento se água, o que pode ter levado-lhe até uma aparente situação perigosa;

8 - Mas tudo isso será um convite ao leitor, porque Umberto Eco joga sobre a mesa uma série de questões, mas nada é revelado explicitamente, de forma que será necessário ao leitor recolher de todas as informações a sua opinião final, pois caberá a ele julgar tudo aquilo por qual Colonna e Maia vivenciaram;

9 - Por fim, nesta narrativa tão peculiar e num local tão absurdamente possível e com suas personagens carregadas de informação, embora toda a sua compreensão literária, restará sempre uma pulga na orelha deixando-nos com uma sensação de que podemos ter deixado escapar algo;

10 - Enfim, Número Zero é uma leitura inteligente e provocativa que percorre o submundo da informação e do poder através de personagens que vivem fora do sistema, e com isso, conhecem os caminhos tortuosos e nada simpáticos, e justamente por suas constituições, estão sempre em perigo. Portanto, Número Zero é uma obra com muita informação, e a qual você será tentado a investigar qual dela é a que realmente importa.



 
10 Considerações sobre Número Zero, de Umberto Eco ou porque não confiar nos jornais 10 Considerações sobre Número Zero, de Umberto Eco ou porque não confiar nos jornais Reviewed by Douglas Eralldo on quarta-feira, agosto 19, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário