10 Considerações sobre Eu Te Darei o Sol, de Jandy Nelson ou porque a metáfora tem poder

O Blog Listas Literárias leu Eu Te Darei o Sol, de Jandy Nelson publicado pela editora Novo Conceito; neste post as 10 considerações sobre o livro, confira:

1 - Eu Te Darei o Sol é um romance contundente que a despeito de qualquer crítica que se façam aos bestsellers consegue com uma linguagem quase poética abordar um drama contemporâneo de forma inteligente que nos mergulha dentro das profundidades e complexidades das famílias modernas num intenso conflito sobre a questão como observamos o mundo, ou como o mundo nos observa;

2 - Essa multiplicidade de pontos de vista desde o primeiro instante já pode ser percebida pela escolha da autora em produzir uma narrativa com duas vozes diferentes e em tempos distintos, o que possibilita ao leitor observar os enganos e os desencontros das visões de Noah e Jude, tanto temporalmente quanto de expectativas. Tal escolha além de demonstrar toda a capacidade e intenção da autora em produzir algo singular, também possibilita ao leitor uma série de reflexões;

3 - É desta forma que Jandy Nelson conta a trama dos gêmeos em meio ao descobrimento e formação de seus próprios caráteres, em que os dois através de suas culpas, medos, anseios e enganos vão descortinando uma dissolução familiar que nada tem a ver com eles mesmos, embora tanto um quanto outro tenha a tendência de buscar culpar-se pelo ruir dos laços frágeis ligando os quatro membros da família;

4 - Além disso, ao apresentar narrativas desencontradas no tempo, vamos observando as metamorfoses que ocorrem com Jude e Noah em que ambos acabam dobrando-se às próprias cobranças, e em determinando momento, fogem daquilo que realmente são. Aliás, o livro é uma constante discussão sobre a fuga, e não apenas Jude e Noah tendem a fugir de seus monstros pessoais;

5 - Portanto, não há a mínima rasura na constituição das principais personagens deste livro, que reúnem complexidades bastante realistas que dão a obra uma verossimilhança crível e condizente entre aquilo que as personagens falam e agem. Não são apenas isso, ou aquilo, são pessoas em constante formação e descobrimento e que precisam lidar com uma série de pesos que as tornam humanas e palpáveis;

6 - E mesmo dentro de uma perspectiva realista o livro consegue passar ao leitor uma atmosfera onírica, graças ao  efeito provocado pela narrativa extremamente psicológica de Jude e Noah carregada de metáforas e imaginação que colocam diante do leitor toda a dualidade existente no interior de ambos. Esse uso extremo das metáforas leva o leitor a uma jornada literal dentro da mente das duas personagens como se houvesse tudo em dobro, aquilo que os dois realmente faziam, e aquilo que de fato desejavam fazer ou ser e que ficava guardado de uma forma tão interior, que só mesmo esse mergulho profundo para decifra-los;

7 - Justamente por isso, considero Eu Te Darei o Sol um livro ambicioso, pois é nítido quais são as intenções da autora com a obra. Jandy Nelson deixa claro que quer fazer literatura, e para isso não precisa deixar de falar de coisas tão contemporâneas e que falam diretamente com os seres humanos do hoje;

8 - E não é apenas sobre sexualidade que o livro acaba discutindo. O debate vai muito além disso, pois na obra o que está em pauta é toda a complexidade dos relacionamentos humanos, a abnegação, o estupor da paixão, nossas regras pessoais de convívio, a forma como lemos nosso próprio mundo, a nossa capacidade tanto de acertar, quanto errar, de fazer a coisa certa, ou simplesmente botar os pés pela mão. Esse é um livro que apesar de aparentemente ser uma história simples, há muito para ser interpretado ou refletido. 

9 - O livro além de toda a sua riqueza de debate e conteúdo é também um belo exemplo de referências, intertexto, principalmente com questões relacionadas ao mundo das artes, e isso é mais um detalhe a somar positivamente nesta obra;

10 - Enfim, Eu Te Darei o Sol é um livro que pode surpreender até mesmo o mais crítico dos leitores. De longe, não é apenas uma história a mais envolvendo o público jovem. Nesta narrativa metafórica o leitor se jogará numa bela e contundente jornada em busca da compreensão do mundo que nos cerca. É um livro muito rico, cuja leitura é capaz de mudar seus leitores.



10 Considerações sobre Eu Te Darei o Sol, de Jandy Nelson ou porque a metáfora tem poder 10 Considerações sobre Eu Te Darei o Sol, de Jandy Nelson ou porque a metáfora tem poder Reviewed by Douglas Eralldo on quinta-feira, julho 09, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário