10 Considerações sobre As Cores do Entardecer, de Julie Kibler ou porque tempos sombrios não terminam facilmente

O Blog Listas Literárias leu As Cores do Entardecer, de Julie Kibler publicado pela editora Novo Conceito e neste post publica suas 10 considerações sobre o livro, confira (há pequenos spoilers, siga por sua conta):

1 - As Cores do Entardecer é uma comovente e emocionante história que mais do que nos remontar vidas perdidas, é um alerta ao quanto ainda precisamos avançar para derrubar os muros do racismo;

2 - No livro somos apresentados a duas personagens muito fortes, a idosa Isabelle McAllister, branca e com um passado a ser revelado e Dorie, uma cabeleireira negra em que o presente cobra decisões e atitudes as quais serão influenciadas pela amizade e pela história de Isabelle;

3 - Tudo isso vai acontecendo durante uma viagem das duas do Texas a Cincinnati para participarem de um misterioso funeral. É durante esta viagem que Miss Isabelle vai recordando seu passado e sua grande história de amor, proibida pela intolerância e pelos conflitos raciais;

4 - E ao lembrar do romance entre Isabelle e Robert, um jovem negro, inteligente e apaixonado, o livro retorna à década de 40, época em que o preconceito produzia coisas terríveis e a distância dos direitos entre brancos e negros era imensa. Desta forma o romance de Robert e Isabelle é muito mais marcado pelas não realizações e desencontros do que por suas realizações;

5 -  No entanto, fica claro também as fraquezas das próprias personagens cujos raros ímpetos de coragem permitem o casamento de Robert e Isabelle. Porém são os titubeios e a desesperança que acabam muitas vezes distanciando o caminho dos dois;

6 - Tais lembranças do passado acabam também tendo relação muito íntima com a viagem que acontece no presente. Ao ouvir as lembranças da amiga, Dorrie aos poucos vai compreendendo para onde estão viajando ao mesmo tempo que começa a conhecer verdadeiramente aquela senhora no banco ao lado;

7 - E nesse jogo entre passado e presente fica claro a alusão do subtítulo do livro, "Lembranças de um tempo que não terminou". O passado de Isabelle e o presente de Dorrie revelam o quanto ainda estão abertas certas feridas do preconceito racial e como ainda hoje haja divisões pela ignorante observação da cor da pele de alguém;

8 - Todo esse drama é narrado com bastante categoria pela autora, que consegue ambientar em sua narrativa toda a tristeza da história que está contando;

9 - É um livro que literalmente vai tirar lágrimas de seus leitores, principalmente quando todas as cartas estiverem na mesa e a incrível história de desencontros ser revelada por completo em todos os seus desfechos dramáticos que servem como gatilho às nossas emoções;

10 - Enfim, As Cores do Entardecer é uma bela e trágica história de amor cuja discussão de pano de fundo é essencial para que avancemos contra a ignorância presente nas distinções raciais. É um livro para quem gosta de histórias humanas e contundentes.



10 Considerações sobre As Cores do Entardecer, de Julie Kibler ou porque tempos sombrios não terminam facilmente 10 Considerações sobre As Cores do Entardecer, de Julie Kibler ou porque tempos sombrios não terminam facilmente Reviewed by Douglas Eralldo on domingo, maio 24, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário