10 Considerações sobre O Inquisidor, de Mark Allen Smith ou porque você está ferrado, Jones

O Blog Listas Literárias leu O Inquisidor, de Mark Allen Smith publicado pela editora Record. Neste post as 10 considerações sobre o livro:

1 - O Inquisidor, de Mark Allen Smith é um thriller intenso cheio de ação, suspense e que se desenvolve num ritmo frenético em que o leitor é incapaz de largar a leitura;

2- Ao percorrer pela vida de Geiger, um torturador renomado no ramo de OI (Obtenção de Informações), o leitor além de estar diante de uma ação em ritmo vertiginoso, terá também a disposição uma série de assuntos para debate e reflexão;

3 - Desta forma o livro penetra através do recorte de um caso específico e de tempo limitado no cotidiano de trabalho de Geiger e seu parceiro Harry em questões como princípios e valores, especialmente sobre independentemente de quem somos, há dentro de cada um de nós princípios individuais que nem sempre são possíveis deixar de lado;

4 - Com ação constante e personagens habitantes de um mundo envolto por sombras, sem de fato existirem no contexto social, O Inquisidor aborda a tortura como presença há muitos anos entre os homens como ferramenta de obtenção de resultados, geralmente ligados a jogos de poder e dinheiro;

5 - E é dessa forma que Geiger ganha a vida, e o interessante é que tanto ele, quanto seu contraponto na obra, Dalton, cujos valores e princípios são bem mais esgarçados, representam dois aspectos da tortura, sendo um representante do fator físico, em que a dor é o caminho, e outro do fator psicológico em que a mente de homens e mulheres são dobradas;

6 - E Geiger é de fato um mestre da tortura psicológica (embora também saiba produzir dor), pois é no quebrar a mente de seus "Jones" que está seu grande talento, um talento que teremos mesmo que parcialmente uma explicação ligada a sua não-existência. Geiger consegue as informações justamente vencendo a mente das pessoas;
















7 - Mas é o contexto que amarra o enredo de O Inquisidor que apresenta questões maiores como os limites nas relações de poder e diplomacia, já que Geiger com tempo descobrirá em qual perigoso jogo politico está metido;

8 - Embora um livro sobre e com algumas torturas não me pareceu pesado ao ponto de cenas impactar pela violência, ficando desta forma a atenção concentrada mais nos panos de fundo presentes na narrativa;

9 - A narrativa, aliás, se dá de forma envolvente como comum aos thrillers, numa prosa fluente e convidativa que vai ligando as teias da escrita e ao final se amarra num belo romance policial;

10 - Enfim, O Inquisidor é uma ótima leitura, especialmente para que procura por ação, inteligência, e personagens críveis ao mesmo tempo que se apresentam tão originalmente numa obra repleta de sangue, anestésicos, e personagens perturbadas. Vale a pena a sua leitura.

:: + na Saraiva ::


10 Considerações sobre O Inquisidor, de Mark Allen Smith ou porque você está ferrado, Jones 10 Considerações sobre O Inquisidor, de Mark Allen Smith ou porque você está ferrado, Jones Reviewed by Douglas Eralldo on domingo, março 01, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário