10 Considerações sobre E Não Sobrou Nenhum, ou porque há inteligência no crime...

O Blog Listas Literárias leu E Não Sobrou Nenhum, de Agatha Christie e publicado pela Globo Livros com nova capa; neste post as 10 considerações sobre o livro, na qual tentarei não repetir mais do mesmo:

1 - E Não Sobrou Nenhum, de Agatha Christie, considerado um dos melhores livros policiais de todos tempos justifica esta fama com sua narrativa cirúrgica e enredo arguto e extremamente inteligente que instiga o leitor o tempo todo a buscar a solução dos crimes que embora numa atmosfera fantástica é absolutamente real;

2 - O interessante neste trabalho que justamente por ser um dos maiores ícones do gênero desfaz o mito da necessidade de haver um crime logo no primeiro capítulo, pois neste livro Agatha Christie consegue ao inicialmente apresentar seus personagens de maneira tão atraente que desde esse princípio obtem sucesso em cativar seu leitor;

3 - Neste livro todas as qualidades da autora estão presentes, especialmente a forma simples de contar uma história, mas que além de bem construída revela todas as complexidades que a autora se propõe a trabalhar, nos entregando personagens distintos e originais, cada um deles com suas complexidades e características;

4 - É possível que (mas não garantido) talvez nos dias de hoje e a avançada tecnologia de investigação policial os crimes da Ilha do Soldado fossem passíveis de mais fácil solução, mas à época que foi escrito o livro Agatha Christie conseguiu engendrar um planejamento intrincado mas inteligente capaz de possibilitar o santo gral dos assassinatos, "o crime perfeito";

5 - Um ponto interessante que o leitor que ainda vai descobrir o livro precisa se ater é no narrador, em terceira pessoa, mas porém onisciente e intruso capaz de conhecer até mesmo o pensamento das personagens, o que coloca-o com um blefador e mestre da dissimulação já que por justamente saber de tudo, ao final o leitor perceberá que este narrador guardou muitas informações para si;


















6 - Como o narrador entrega algumas pistas, e esconde muitas outras, a solução da-se tão somente pela confissão presente no último capítulo, e aí sim toda a inteligência da autora é confirmada quando o leitor é colocado ciente de toda a fórmula sem falhas que construiu o enredo;

7 - Mas acima de um romance de crime é possível ao leitor de E Não Sobrou Nenhum se defrontar com questões interessantes como a discussão sobre punição e absolvição, especialmente como se é possível matar alguém sem pagar pelo que se faz;

8 - Além disso as personagens do livro fazem uma leitura contextual da sociedade de determinada época, mas que ainda assim permanecem muito atuais pois no âmago de cada um deles está presente situações e ações extremamente humanas, ás vezes em suas piores acepções;

9 - Um detalhe, creio que desta edição que me incomodou um pouco foi a utilização de travessão em alguns pensamentos quando creio que as "aspas" seriam mais indicadas já que a presença do travessão dificilmente afastará o leitor de ver o discurso como falha;

10 - Enfim, o que mais eu poderia dizer sobre E não Sobrou Nenhum, ou Agatha Christie que vocês já não saibam? Leiam.




10 Considerações sobre E Não Sobrou Nenhum, ou porque há inteligência no crime... 10 Considerações sobre E Não Sobrou Nenhum, ou porque há inteligência no crime... Reviewed by Douglas Eralldo on quinta-feira, agosto 07, 2014 Rating: 5

Um comentário

  1. Merecidamente um dos melhores policiais de todos os tempos. Difícil comentar aqui sem estragar o incrível final. Única coisa que incomoda é que não temos um "herói" por quem torcer. Todos são vilões! Além disso, alguns talvez ainda ressintam a mudança do título para um mais politicamente correto, mas como a rima infantil que deu base ao livro não é conhecida por aqui não incomoda muito.

    ResponderExcluir