10 Considerações sobre Cartas de Amor aos Mortos, ou como "eles" podem nos ajudar...

O Blog Listas Literárias leu Cartas de Amor aos Mortos, de Ava Dellaira, publicado pela editora Seguinte; neste post essas 10 considerações sobre o livro:

1 - Cartas de Amor aos Mortos, de Ava Dellaira é uma leitura extremamente emocionante cuja carga dramática irá envolver o leitor que se compadecerá e se envolverá com os desabafos de Laurel através de suas cartas dedicadas à personalidades mortas;

2 - Embora num universo juvenil, o livro prima pela profundidade dos temas, todos eles complexos, com os quais lida; assim se torna uma leitura importante porque discute com seriedade dramas que mais do que pertencerem ao universo adolescente, são universais;

3 - Desta forma "as cartas" de Laurel são um alerta sobre a dificuldade que possuímos para lidar com determinadas situações. No caso específico dela com a perda da irmã, e também outros traumas que vão sendo revelados tão somente ao passo que "as cartas" se avolumam e ela sente-se confortável por estar as "enviando" a pessoas mortas e assim conseguindo revelar seus piores sofrimentos, principalmente aqueles que a banham com um sentimento de culpa;

4 - O livro além de apresentar o drama de Laurel, é também muito rico em referências culturais, tanto no cinema, na literatura, e principalmente na música. Mas é a referência constante ao filme Conta Comigo que parece influenciar o todo da obra, pois em ambos está presente a forma com que os jovens lidam com mortes próximas;

5 - No caso de Laurel o problema é ainda mais acentuado, porque além de ter de lidar com a perda da irmã mais velha, nesse caso a pessoa na qual ela se espelhava e via como inquebrável, é necessário também lidar com a dissolução do família que com o fato se implode de vez num processo que já vinha ocorrendo antes da morte de May;

6 - Além disso, o livro apresenta personagens que procuram por se reencontrarem, uma luta entre o que se é e o que se quer ser, e também o que se deveria ser. Desse modo nos apresenta situações e diferentes formas de lidar com elas que podem significar o nosso sucesso ou fracasso quanto pessoas;

















7 - Ao começar escrever as cartas depois da sugestão de um trabalho escolar, Laurel na verdade se expõe ao leitor que assume cada uma das personalidades mortas (Kurt Cobain, River Phoenix, Amy Winehouse...) com quem ela se corresponde, o que nos coloca numa situação também de congelamento já que o leitor então encontra aquela menina que através de suas cartas parece gritar por ajuda; porém o leitor está de mãos atadas, sem pode-la ajudar, sem poder avisar aos mais próximos de Laurel que ela caminha rumo a um precipício perigoso;

8 - Além do drama de Laurel, será curioso você acompanhar também durante o livro suas considerações sobre aqueles com que ela se corresponde, pois em suas cartas além de falar de si, a menina questiona os mortos, reavalia-os, e em alguns casos passa após muitas correspondências a ver alguns deles sob novo prisma;

9 - Agora há algo no livro que me chama a atenção: é a escolha dos mortos para os quais Laurel escreve suas cartas, cujo tempo é elástico, sendo algumas figuras mais recentes (mas não tanto) e outras que influenciaram jovens pro exemplo nos anos 80, e que pelo visto, continuam a dialogar com a juventude, nos revelando de certa forma que nem sempre a morte é capaz de acabar com a mensagem que se que transmitir;

10 - Enfim, Cartas de Amor aos Mortos, é um drama de leitura inteligente e discussões importantes como a capacidade de lidar com traumas, o abuso sexual, o "desperdício" da vida de jovens que partem muito cedo, com um mundo ainda a se desbravar. Neste livro Laurel fala disso tudo, de uma forma tão pessoal que se torna quase física a experiência da leitura;




10 Considerações sobre Cartas de Amor aos Mortos, ou como "eles" podem nos ajudar... 10 Considerações sobre Cartas de Amor aos Mortos, ou como "eles" podem nos ajudar... Reviewed by Douglas Eralldo on quarta-feira, agosto 20, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário