10 Razões porque ler qualquer coisa é melhor do que não ler nada

Obviamente o título acima tem caráter polemista, além de este blogueiro não ter pensado nada melhor. Na verdade a proposta aqui surgiu do debate nos comentários deste post sobre afinal, o melhor ler qualquer "coisa" a não ler nada? Pois bem, o Listas Literárias entra na jogada buscando contrariar os leitores digamos mais cultos, e ou exigentes com suas leituras. Uma afronta a acadêmicos mas uma necessidade dizer que sim, mais vale um leitor de O Alquimista do que alguém que não lê livros. Confira porque da opinião do blog:

1 - Desperta o hábito: Dificilmente, mesmo nos leitores mais avançados você encontrará alguém já iniciado na literatura devorando Tolstói, James Joyce ou qualquer outro clássico. É muito comum o leitor iniciar sua jornada com a literatura de massa como Paulo Coelho, Stephenie Meyer, Dan Brown, entre outros. Por isso é um desserviço à literatura ofender leitores de tais livros, pois antes de tudo eles estão criando o hábito da leitura, e sem essa etapa não há leitores;

2 - Proximidade: A leitura de livros, independente da qualidade literária, é responsável pela aproximação entre leitor e livro. É quase que um reconhecimento de terreno aparando possíveis arestas. Muitos especialistas por exemplo indicam a aproximação das crianças com os livros antes mesmo que estas saibam falar. Quanto mais próximo dos livros, mais leitores teremos;

3 - Há saberes e conhecimentos diferentes: Mesmo nas piores literaturas haverá a exposição de conhecimentos e saberes diferentes, e isto é também uma forma de ampliar os horizontes, mesmo que seja para promover o debate se vampiros brilham ou não?

4 - Colabora com noções de linguagem: (Antes de mais nada estou falando aqui de obras minimamente publicáveis, embora não desconheça que tem livro por aí que é melhor não levar este ponto a sério) Independente da qualidade literária de determinada obra, uma coisa é fato: ao se tornar um leitor habitual as normas da linguagem tornam-se mais acessíveis aos leitores, o que por si só é uma grande vantagem;

5 - A literatura é leitura progressiva: Talvez revelar isso possa prejudicar mas tenho convicção de que o hábito da leitura é uma experiência progressiva. Ou seja, o leitor pode (talvez até deva) começar com obras menos complexas mas ao tempo que aumenta seu volume de leitura, avança também sua criticidade, e inevitavelmente depois de um tempo aumentará suas exigências literárias;

6 - Ler também é um prazer: O hábito da leitura pode sim substituir uma ida ao teatro ou ao cinema. Em muitos momentos o que a pessoa - nesse caso o possível leitor - deseja é tão somente um bom entretenimento, e por que não obtê-lo com os livros?

7 - Sim, você está um passo a frente: Diante de apenas alguns deste fatores colocados aqui e contrariando muitos teóricos e autores, me parece óbvio que sim, mesmo os que não leem livros dos cânones literários estão um passo ou dois a frente de quem não lê nada;

8 - Sustentam o mercado: Se eu fosse o "leitor intelectual" não zombaria dos leitores de Meyer, E. L. James pois os best-sellers  acabam desempenhando um importante papel de sustentação de todo um mercado, pois nem sempre as obras ditas eruditas são rentáveis para editoras, e se o fossem talvez os preços fossem ainda maiores;

9 - Por que fazer isto? Sinceramente tentar diminuir ou desmerecer qualquer coisa, atitude, ação, realização até mesmo leituras, não deveria ser prática de alguém que pressupomos estar um nível acima dos meros mortais. Não compreendo o papel de quem apenas critica o quê se lê ao invés de revelar novos caminhos e desafios;

10 - O Rejeitado de hoje pode ser o clássico de amanhã: A literatura é um campo extremamente volátil e não são raros os casos em de que livros e ou autores criticados com o tempo se tornaram clássicos. As vezes o livro espezinhado hoje pode ser o "cult" de amanhã;



10 Razões porque ler qualquer coisa é melhor do que não ler nada 10 Razões porque ler qualquer coisa é melhor do que não ler nada Reviewed by Douglas Eralldo on segunda-feira, junho 02, 2014 Rating: 5

5 comentários

  1. A parte mais estranha dos comentários do post que gerou esse foi a carinha fazendo "terapia" discutindo e respondendo tudo sozinho.

    ResponderExcluir
  2. Agora no tema desse, eu acho que cada um deve ler o que preferir, e realmente dessa forma deve ser mais fácil tomar gosto pela coisa. E os super gênios deveria ser evoluídos o suficiente para aceitar que ninguém é obrigado a gostar do mesmo que eles :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é a questão. O mundo está se tornando muito intolerante, algo como "se não gosto disso, não presta". As coisas não podem ser assim. Ao menos não deveriam ser.

      Excluir
    2. corrigindo meu erro ali: *deveriam

      Sim, concordo contigo, falta tolerância e respeito. Fora que levam muito para o pessoal. É horrível esses que questionam a tua inteligência baseado no que você gosta, mas não é muito melhor os que não aceitam concordar em discordar, dá para se dar bem sem concordar em tudo, não gostar de algo que o outro gosta não é uma ofensa.

      Excluir
  3. Eu amei o post e acharia legal se todos os leitores o lessem! Ah, acho horrivel criticar uma obra só porque é famosa, clichê! E horrivelmente horrivel uma pessoa falar mal de um livro que nunca leu, ou leu só até a metade! E super tolo falar mal de um autor, só porque leu apenas uma obra do mesmo e não curtiu!

    (To falando coisas que não foram levantadas nesse post, né) Parei.

    Gabryelfellipeealgo.blogspot.com
    El Costa - Confins Literários

    ResponderExcluir