10 Considerações sobre A Espada de Shannara, ou porque espadas salvam o mundo

O Blog Listas Literárias leu A Espada de Shannara, de Terry Brooks, publicado pelo selo Bang! da editora Saída de Emergência, e publica neste post suas 10 considerações sobre o livro:

1 - A Espada de Shannara, de Terry Brooks é uma jornada épica que reúne todos os principais elementos dos melhores romances de fantasia numa ação apresentada em detalhes por personagens em evolução num mundo criativo cuja paz está prestes a ruir pelo avanço das forças do mal;

2 – É possível perceber ao longo do livro as nítidas influências de O Senhor dos Anéis nesta obra, bem como semelhanças que fazem com que o leitor recorde-se da jornada de Gandalf e seus amigos da sociedade do anel;

3 – Necessitando encontrar a mítica espada de Shannara para que se possa vencer o temível Lorde Feiticeiro, o meio elfo Shea é um dos elementos que levam o leitor por uma longa jornada, cheia de revezes, titubeações, medos, e especialmente muita ação e batalhas;

4 – Terry Brooks busca em sua narrativa ser o mais detalhista possível em sua obra, tanto na ambientação dos cenários onde em determinados momentos me parece com desnecessária redundância das paisagens por tornar um pouco repetitiva; como também no momento das lutas e da ação, nesse caso sim utilizada com necessidade, pois quanto mais detalhada uma briga, mais o fôlego do leitor é tragado e renovado;

5 – Por outro lado o mundo criado por Brooks é muito criativo e vívido esbanjando um cenário de paisagens fantásticas e criaturas interessantíssimas que moldam um universo que certamente é capaz de encantar os leitores;

6 – Um dos elementos que fazem de A Espada de Shannara um trabalho interessante é a diversidade de suas personagens, especialmente em suas composições, intercalando personagens como Shea, reticente e um tanto fraco para a missão que possui, ou Flick, seu irmão de criação, cuja obstinação e coragem são essenciais, ou como Menion Leah, que na obra revela-se em evolução partindo de um homem irresponsável para tornar-se uma personagem comprometida e séria que será importante para o desenvolvimento da ação;

7 – A ação em A Espada de Shannara se desenvolve em um período menor de tempo se comparado a outros trabalhos do gênero, no entanto seus acontecimentos são tão intensos e exigentes de suas personagens que o livro se aproxima da saga. Terry Brooks a jogar suas personagens na ação, não os dá descanso em momento algum;

8 – O livro em sua definição final irá apresentar ao leitor uma grande metáfora tendo como centro a verdade e como ela pode ser essencial entre a luta entre o bem e o mal, seja na fantasia, seja dentro de nós mesmos;

9 – Aliás, se durante o livro a ação é alongada e espichada ao máximo (ás vezes com a redundância já dita) o final se desenrola com rapidez quando do confronto entre o bem e o mal representados por Shea e o Lorde Feiticeiro;

10 – Enfim, A Espada de Shannara é um livro que poderá agradar bastante os leitores, com suas virtudes e também com elementos que poderão o leitor mais crítico questionar parte da obra; Mas acima disso é uma jornada fantástica que mergulhará seus leitores num universo muito rico em detalhes e em ação;





10 Considerações sobre A Espada de Shannara, ou porque espadas salvam o mundo 10 Considerações sobre A Espada de Shannara, ou porque espadas salvam o mundo Reviewed by Douglas Eralldo on sábado, junho 14, 2014 Rating: 5

Um comentário

  1. Muito bom o seu comentário. Reproduzi no twitter do "Batalha dos Nerds", um abraço.

    ResponderExcluir