Header Ads

10 Livros de fantasia que fazem seus leitores pensar sobre política...

Sabemos que os jovens tem grande aversão pela política nos dias de hoje, o que convenhamos não poderia ser assim. No entanto há uma série de leituras que podem fazer com que seus leitores pensem sobre política, e de certa forma conseguem dialogar com os jovens este tema tão controverso. O Listas Literárias publica uma lista com 10 livros que estimulam seus leitores a pensar sobre política:

1 - As Crônicas do Gelo e do Fogo, de George R. R. Martin: Poucos livros de fantasia abordam com tanta constância e sob tantos aspectos da política como esta série de Martin. Ainda que na era dos reis, o leitor de Martin estará diante de articulações políticas, a busca sedenta pelo poder, os bastidores e as formas para se vencer o jogo dos tronos, desde à simulação aos jogos sexuais. Além disso, embebido em revoluções e processos eleitorais como a escolha do novo líder da Patrulha da Noite condizem com muitos paralelos do mundo político;

2 - O Olho do Mundo, de Robert Jordan: Não conheço o restante da série A Roda do Tempo, mas neste primeiro livro já é possível perceber alguns aspectos políticos, entre eles o livro acaba demonstrando o distanciamento político que ocorre por exemplo dos grandes centros a lugares remotos como Dois Rios;

3 - A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr:  O livro do escritor brasileiro Eduardo Spohr também apresenta muitas discussões que podem fazer o leitor refletir politicamente, especialmente falando sobre rebeldia e não aceitação ao poder e a tirania, além de promover diversos acordos e articulações;

4 - A Corte do Ar, de Stephen Hunt: Esta fantasia do Steampunk é um livro altamente politizado apresentando questões por exemplo o debate entre o parlamentarismo e a república, além de apresentar a burocracia do sistema e dentro deste universo ainda falando do anarquismo ao comunismo, além de uma crítica voraz a todas as formas de governo;

5 - As Crônicas de Nárnia, de C. S. Lewis: Os livros das crônicas de Nárnia embora falem praticamente sobre a monarquia, e em maior parte da forma glamourosa de se ver os reis e rainhas. Ainda assim há exemplos entre os livros de maus governos, mas em geral os reis de Nárnia se mostram benevolentes e próximos do povo, em grande parte pelos grandes tempos em que Nárnia foi governada pelos irmãos Pevensie;

6 - Bruxos & Bruxa, de James Patterson:  A série juvenil capitaneada por um dos mestres dos thrillers policiais também acaba falando bastante sobre política, especialmente na figura ditatorial e do regime de exceção imposto pela Nova Ordem, que de alguma forma podemos perceber a clara inspiração e crítica ao período do nazismo;

7 - O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien: A trilogia de Tolkien também apresenta muitos aspectos políticos, especialmente a formação de alianças e a necessidade de em certos momentos ter de superar questões antigas e passadas por um bem comum, além é claro de abordar os efeitos do poder sobre os homens;

8 - A Queda dos Reinos, de Morgan Rhodes: Este livro que fala sobre domínio e poder e também sobre a dominação política sob a ótica da dominação comercial pode fazer o leitor refletir sobre as questões que forma a relação entre as nações. Além disso, o livro apresenta de governos fracos, a ambiciosos, e ainda um governo dominador e propenso aos caprichos de seu líder expansionista;

9 - A Trilogia do Mago Negro, de Trudi Canavan: Embora eu tenha lido apenas o terceiro livro, a trilogia por inteiro fala de aspectos políticos. No romance que fecha a série, O Lorde Supremo além das disputas políticas das classes dominantes há toda uma discussão sobre a ausência de governo nas camadas mais pobres;

10 - Etéreos - Despertar, de Lilia Uzêda: Certamente o livro menos conhecido desta lista, resolvi incluí-lo por causa de seus personagens mais distantes do poder e seus príncipes, e que acabam refletindo um pouco o olhar que muitos colocam sobre seus líderes, com mais devoção do que com criticidade, deixando-se fascinar apenas pela posição do poder e pelas benesses da corte;

Um comentário: